Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Antes de viajar > Segurança do viajante
Início do conteúdo da página

Segurança do viajante

A situação geral de segurança varia muito no mundo. Cada país possui diferentes condições de segurança.Em alguns destinos, a criminalidade é muito baixa, e cidadãos podem viajar tendo, apenas, precauções normais de segurança. Em outros, viajantes devem ter a mesma cautela que teriam nas grandes capitais brasileiras. Já em outros países, nacionais podem estar submetidos a graves riscos de segurança.

Para fazer uma viagem consciente, leia, com muito cuidado, as informações sobre cada país disponíveis no Portal Consular. A recomendação de viagem do Itamaraty está dividida em 5 níveis distintos, e a classificação de cada país em uma das categorias é feita pela área consular do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília. Para isso, são levados em consideração diversos relatos da Rede Consular brasileira acerca da realidade local, eventual identificação de casos de violência, ameaças à saúde ou ao bem-estar de turistas e quaisquer outros problemas estruturais que possam eventualmente afetar nacionais do Brasil naquele local, incluindo diferenças culturais, sociais ou políticas que tenham impacto real na vida do estrangeiro. Critérios objetivos, como a existência de Consulado ou Embaixada do Brasil no país, ameaças bélicas, recorrência de catástrofes naturais na região e deficiências na infraestrutura também embasam a classificação, que é revisada anualmente e poderá ser alterada excepcionalmente ao decorrer de um determinado ano por situações excepcionais. 

As 5 categorias de recomendação do Itamaraty são:

 

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

 

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

I. Viajar com precauções normais de segurança
Não há, para o país escolhido, avisos específicos ou situações que demandem grande atenção por parte dos viajantes brasileiros, mas algum grau de cautela é sempre necessário ao viajar, independentemente do destino escolhido. Cidadãos brasileiros devem viajar ao país com precauções normais de segurança.

II. Viajar com grau moderado de cautela
O destino escolhido oferece algum risco, o que exige, de cidadãos brasileiros grau moderado de cautela, com atenção redobrada a seus pertences e a movimentações estranhas à sua volta. 

III. Viajar com alto grau de cautela
Os riscos potenciais a cidadãos brasileiros são altos. Deve-se adotar prudência semelhante ou superior àquela que se tem nos grandes centros urbanos das maiores capitais do Brasil.      

IV. Evitar viagens não-essenciais
Viagens não-essenciais ao país escolhido devem ser evitadas por cidadãos brasileiros. Se possível, a viagem deverá ser reconsiderada, optando-se por destino alternativo que ofereça menor risco a nacionais brasileiros. Em cenário de violência sistêmica, a assistência consular a ser prestada por nossas Repartições pode ser limitada.

V, Não viajar
Nesse caso, cidadãos brasileiros deverão evitar toda e qualquer viagem ao país escolhido. Cidadãos brasileiros que já estejam naquele país deverão retirar-se, com a urgência necessária, daquele território, e manter contato permanente com a Representação brasileira responsável por aquela jurisdição.

Ressalta-se, no entanto, que, independentemente do destino, viajantes brasileiros devem ser, sempre, vigilantes enquanto permanecerem no exterior, ainda que o país escolhido tenha baixo índice de violência. Lembre-se que crimes de menor (como furtos e roubos) e maior (como atentados terroristas) gravidade podem acontecer em todos os países do mundo. Esteja sempre atento!              

São listadas, a seguir, recomendações gerais de segurança baseadas em experiências vividas por cidadãos brasileiros no exterior:                  
1. Cuidado com aglomerações, principalmente em shoppings, restaurantes, metrô e outros meios coletivos de transporte.  A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences e a movimentações estranhas, por exemplo.         
2. Nunca descuide das bagagens, bolsas, sacolas, mochilas e outros pertences. Todos os pertences pessoais, incluindo celular, cartões de crédito e dinheiro, devem ser mantidos em local seguro e visível.     
3. Evitar circular sozinho, especialmente à noite. Em alguns países, viajantes não devem evitar sair à noite, ainda que acompanhados.                   
4. Muito cuidado na entrada e saída de hotéis (principalmente nos momentos do "check-in" e do "check-out"). Furtos de bagagens costumam acontecer no momento em que os turistas estão mais distraídos.                         
5. Prefira, sempre, deslocar-se em táxis identificados e que tenham taxímetro. Enquanto estiver no táxi, observe com atenção o taxímetro e, ao descer, separe as notas para pagar a corrida.             
6. Muito cuidado com abordagens de estranhos. Golpistas muitas vezes simulam ou forçam situações para roubar turistas distraídos (exemplo: em alguns países da América do Sul, golpistas "caem" subitamente nas ruas, para que seus comparsas roubem aqueles que se dispõem a ajudar).   Permaneça vigilante!           
7. Contrate excursões somente com companhias de turismo conhecidas (não aceitando, por exemplo, promoções oferecidas na rua).        
8. Troque dinheiro apenas em casas de câmbio oficiais e evite expor dinheiro enquanto estiver na rua ou em locais de grande aglomeração de pessoas. Falsificação monetária, em alguns países, é um problema sistemático.                     
9.  Tenha total atenção ao pedir bebidas em bares ou clubes noturnos e outros lugares públicos. Deve ser evitada a aceitação de bebidas, alimentos ou objetos oferecidos por desconhecidos, sobretudo em casas noturnas.
11. Enquanto estiver no exterior, siga, sempre, as recomendações das autoridades locais de segurança. Reporte qualquer situação anormal a um policial.          
12. Afaste-se imediatamente de brigas, confrontos e/ou manifestações que estejam acontecendo em lugares públicos ou estabelecimentos comerciais. A experiência demonstra que a possibilidade de esse tipo de incidente escalar para situações de violência é sempre alta.
13. Tenha cuidados básicos para evitar clonagem de seus cartões de crédito.  Deve-se, sempre, solicitar que o cartão seja manuseado na presença do portador. Em comércios informais, recomenda-se preferivelmente realizar pagamentos com dinheiro em espécie. Em caixas eletrônicos, deve-se verificar, antes do uso, se não há câmeras ou qualquer tipo de alteração na máquina.
14. Se for vítima de crimes de suborno, propina, fraude eleitoral, nepotismo, cleptocracia, pilhagem legal, plutocracia ou qualquer outro tipo de corrupção, contate a Repartição brasileira, que poderá acionar as autoridades locais para denúncia e apuramento da situação.
15. Com toda a antecedência possível, leia, com muito cuidado, informações sobre o destino escolhido, procurando informar-se sobre os principais crimes e delitos ocorridos naquele país. Quanto mais informação você tiver, mais protegido estará. 

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:         
a) consultar um médico, se necessário;         
b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;          
c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

Fim do conteúdo da página