Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Seu destino > Coreia do Norte
Início do conteúdo da página

Coreia do Norte

Alertas para este país

Trata-se de alerta que exige algum grau de cautela. Os efeitos ou consequências da situação descrita no alerta ainda podem ser sentidos, em grau variável, por brasileiros que se encontrem no país.
Viagens à Coreia do Norte22/09/2017Coreia do Norte

Informações básicas

Capital Pyongyang
Língua Coreano
Moeda Won Norte-Coreano
Validade do passaporte Deve ser valido no momento da entrada
Página do passaporte em branco Duas páginas necessárias para carimbo de entrada
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações Nenhuma vacina específica é necessário para entrada
Restrições de moeda para entrar Não há
Restrições de moeda para sair Não há

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

 

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

 X

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Cidadãos brasileiros devem viajar à Coreia do Norte com alto grau de cautela. Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página. 

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato da Embaixada do Brasil em Pyongyang, que, se necessário, poderá prestar assistência consular a nacionais na Coreia do Norte.

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar.  Os Postos com serviço consular estão à disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular para saber o que uma Repartição consular pode ou não pode fazer por você. 

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos "Segurança" e "Saúde" do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado. Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar.

 

Embaixada do Brasil em Pyongyang 

Endereço: 3 Munsudong, n°41 - térreo Distrito de Taedonggang Pionguiangue-RPDC

Telefone: (0086) 10-65442447

Plantão Consular: (8501) 912500361 (SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS)

Email: ---

Site da Repartição:  ----

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

Não há Consulado Honorário no país. 

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira

Localizado na Península Coreana e limitado ao norte por Rússia e China, ao sul pela Coreia do Sul, a leste pelo Mar do Japão e a oeste pela Baía da Coreia, o país é provavelmente um dos territórios menos visitados por ocidentais e menos expostos a fluxos de informações vindos de fora. À exceção dos servidores públicos da Embaixada do Brasil, não há comunidade brasileira no país.

Principais destinos   

Pyongyang é a capital da RPDC e seu centro político, administrativo, econômico e cultural. Sua população, segundo dados de 2009, é de 3.256.000 habitantes. A cidade não só reúne a maioria dos atrativos do país, como também serve de base para os turistas que desejam explorar outras regiões. A cidade é arborizada, com diversos parques públicos acessíveis à população local e estrangeira.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela          

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Korea International Travel Company

A política de concessão de vistos de turismo da RPDC é condicionada à contratação de pacotes de viagem operados pela agência de turismo oficial (a Korea International Travel Company, http://www.korea-dpr.com/kfa_travel.html) e vendidos por agentes de viagem em todo o mundo. É impossível viajar à Coreia do Norte sem a contratação do serviço da Korea International Travel Company.

Requisitos de entrada         

Antes de submeter o pedido de visto à Embaixada da RDPC ou à agência de turismo, deve-se verificar se o passaporte permanecerá válido por pelo menos 6 meses depois da data de chegada à Coreia. Cidadãos brasileiros que não cumpram esse requisito podem ter a entrada impedida.

Viagens independentes

Viajantes independentes precisam de um convite por parte de uma instituição ou pessoa que se responsabilize por ele e de uma permissão do Ministério de Negócios estrangeiros da RPDC, que geralmente só é concedida para viagens de negócios.   

Jornalistas

Jornalistas não podem entrar na RPDC com visto de turista e precisam de uma autorização especial do governo norte-coreano para visitar o país. Caso um jornalista brasileiro que esteja se passando por turista seja descoberto pelas autoridades, não apenas será deportado e correrá risco de prisão, como gerará problemas para todos os envolvidos, incluindo para os demais turistas do Brasil, para os funcionários da agência de turismo e, principalmente, para os guias norte-coreanos designados para acompanhar o viajante durante sua estadia no país. 

Viagens à China

As conexões internacionais para Pyongyang geralmente se dão por Pequim. Geralmente, cidadãos com destino à Coreia do Norte devem desembarcar em Pequim e, necessariamente, fazer check-in para embarque para a Coreia do Norte. Dessa forma, recomenda-se que cidadãos brasileiros permaneçam atentos aos requisitos para entrada na China.

Observe se sua bagagem está de acordo com o limite de peso aceito pela companhia aérea que fará o trecho Pequim - Pyongyang. A Air China estabelece o limite de uma mala média de 23 Kg, mesmo para passageiros que vêm de conexões internacionais. Muitas vezes é preciso pagar o excesso de bagagem.

Vacina obrigatória

Apesar de não existirem exigências por parte do governo norte-coreano, é necessário trazer um comprovante de vacinação contra a febre amarela para o ingresso na China. Ainda que não seja exigida pelas autoridades norte-coreanas, o Governo brasileiro recomenda a vacinação de nacionais com destino à Coreia do Norte. Mais informações podem ser obtidas no tópico "Saúde".

Entrada de animais domésticos     

Não há necessidade de quarentena para animais domésticos que ingressam na RDPC, porém todos os animais precisam ser examinados por um veterinário do Governo no local de entrada no país. Certificados internacionais de vacinação são necessários e devem ser obtidos antes da chegada do animal. É importante observar que os animais também precisam atender às exigências chinesas ao passar pelo Aeroporto Internacional de Pequim.

Restrições alfandegárias

Evite trazer livros ou outras publicações na língua coreana. Qualquer material religioso, pornográfico ou por algum motivo considerado inapropriado pode ser confiscado pelas autoridades norte-coreanas, o que inclui não apenas livros, mas também revistas, CDs ou outras mídias. No entanto, a alfândega não costuma confiscar materiais em línguas estrangeiras, a menos que neles haja fotos explícitas relacionadas à política do país.

Materiais contrários ao governo geralmente são confiscados, especialmente livros sobre a história do país.

Material pornográfico está sujeito a penalidades severas, baseadas no número de peças que são trazidas para o país, podendo chegar à detenção se o número for considerado grande demais (por exemplo, mais de 100 vídeos no computador).  

Celulares podem ser trazidos, mas devem ser registrados no aeroporto.

Dispositivos com GPS não são permitidos na Coreia do Norte.

Visto de saída

Ao contrário da prática adotada por outros países, a RDPC estabelece uma distinção entre vistos de entrada e vistos de saída. É recomendável se informar se o visto recebido já inclui a autorização de partida ou se será necessário solicitá-la junto ao governo norte-coreano. O descumprimento dessa prescrição pode acarretar o pagamento de multas por ocasião da partida do país.

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países.

Trabalhar no exterior

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Registro de estrangeiros

É necessário registrar-se junto ao Ministério de Negócios Estrangeiros se a visita durar mais de 24 horas. No entanto, os hotéis fazem esse procedimento automaticamente após a chegada do visitante.

Visto de permanência         

Cidadãos que desejam obter visto de permanência devem procurar as autoridades norte-coreanas para informar-se sobre os requisitos. No Brasil, a Embaixada da República Popular Democrática da Coreia (RPDC) em Brasília deverá ser contatada.

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a  Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante.

Perda de documentos brasileiros   

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura das informações da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Vítimas de crimes

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

Respeito às leis locais            

Há riscos associados ao desrespeito às leis norte-coreanas. Em 2008, uma turista sul-coreana foi morta ao invadir uma área militar restrita, e existem turistas norte-americanos presos no país. Embora casos como esses sejam raros e que turistas brasileiros dificilmente podem vir a ser alvos de desconfianças específicas por parte das autoridades norte-coreanas, nacionais do Brasil devem certificar-se de permanecer em áreas permitidas, principalmente ao visitar regiões sensíveis, como a zona desmilitarizada, retirando-se imediatamente quando solicitado por oficiais norte-coreanos.

Viagens ao interior 

Existem severas restrições a viagens pelo interior do país. Seja a turismo ou a negócios, o visitante deverá estar sempre acompanhado de um guia e só poderá ir aonde este permitir. O guia ficará responsável por obter as permissões necessárias a viagens fora de Pyongyang. Existem postos de controle militar na entrada e saída de cada cidade.

Segurança pública

Pyongyang é uma cidade segura e relatos de ataques a estrangeiros são raros. É possível caminhar com segurança pelas ruas de Pyongyang mesmo em altas horas da noite, apesar da iluminação parca. Nas zonas rurais, é comum ver mulheres caminhando sozinhas em áreas ermas, aparentemente sem temer por sua segurança pessoal. Como em qualquer outro país, alguns cuidados são recomendáveis, como evitar deixar itens de valor em quartos de hotel ou veículos destrancados.

Conflito internacional

A península coreana está dividida por uma zona desmilitarizada, que separa a RDPC (conhecida como Coreia do Norte) da República da Coreia (conhecida como Coreia do Sul). As duas Coreias permanecem, juridicamente, em estado de beligerância, uma vez que, ao final da Guerra da Coreia (1950-1953), não foi assinado tratado de paz, mas apenas um armistício. O nível de tensão pode mudar repentinamente, como em 2006, 2009 e 2013, quando a RDPC realizou testes nucleares. Segundo avaliação da Embaixada do Brasil em Pyongyang, o risco real de que venha ocorrer uma conflagração militar é considerado baixo, ainda que tal fator consista em um dos aspectos que mais preocupam turistas que consideram visitar a RPDC. Alguns atores da comunidade internacional, por outro lado, acreditam que uma guerra poderia eclodir a qualquer momento na Península Coreana - inclusive com uso de armamentos nucleares.  

Corrupção    

Caso cidadão brasileiro seja vítima ou presencie crimes de suborno, propina, fraude eleitoral, nepotismo, cleptocracia, pilhagem legal, plutocracia ou qualquer outro tipo de corrupção, recomenda-se que a Embaixada brasileira seja imediatamente notificada com vistas a que sejam acionadas as autoridades locais para denúncia e apuramento da situação.

Assédio sexual e crimes contra a mulher  

Denúncias de assédio sexual são raras, mas podem ocorrer em qualquer país, independentemente do destino escolhido. Mulheres devem evitar andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas. Mais informações estão disponíveis no aviso Mulheres em viagens ao exterior.

Tráfico de pessoas   

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Caso seja vítima ou tenha alguma informação sobre eventual caso de tráfico internacional de pessoas envolvendo cidadão ou cidadã brasileira, recomenda-se fortemente que procure a Representação consular, para relatar o caso e receber orientações. Os dados serão tratados com a devida confidencialidade. Mais informações estão disponíveis em http://www.justica.gov.br/sua-protecao/trafico-de-pessoas

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.

Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.

Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde (OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.

Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências.

Rede de saúde

Os hospitais a que os estrangeiros têm acesso em Pyongyang são limpos e moderadamente bem-equipados. O Hospital Friendship, localizado no bairro diplomático, tem capacidade de atender emergências básicas. Todos os médicos nesse hospital são coreanos. Estão plenamente qualificados para tratar doenças comuns, porém tratamento especializado precisa ser buscado fora do país (preferencialmente em Pequim).

Os hospitais, mesmo aquele destinado a estrangeiros, podem sofrer de falta de equipamentos médicos e suprimentos básicos, além de terem constantes quedas de energia.

Serviços de diagnóstico e de laboratório também são limitados. A disponibilidade de medicamentos - inclusive anestésico também é limitada. Frequentemente os médicos prescrevem medicamentos feitos à base de ervas tradicionais, que devem ser evitados por cidadãos brasileiros.

Transfusões de sangue podem não estar disponíveis. Assim, cirurgias no país devem ser evitadas e, em caso de problemas médicos mais graves, a evacuação pode ser necessária.

Seguro-saúde           

Devido à alta probabilidade de que evacuação seja necessária em caso de enfermidades mais graves, recomenda-se fortemente a contratação de seguro-saúde internacional antes da viagem à Coreia do Norte. Os custos de uma eventual evacuação médica para a China podem ser expressivos, sobretudo devido ao número relativamente baixo de opções de saída da Coreia do Norte para outros países. 

Em caso de traumas, acidentes ou quaisquer outras graves situações de saúde, serviço de evacuação médica pode ser necessário. Nesse caso, recomenda-se a cidadãos brasileiros que contratem seguro de saúde internacional que cubra esse tipo de atividade. Recorda-se aos turistas que serviços de evacuação médica podem custar valores expressivos. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Evacuação médica   

Caso seja necessário fazer evacuação médica a partir da Coreia do Norte, as seguintes empresas poderão ser contatadas:

a) International SOS (www.internationalsos.com/en/)

Telefone:  (China): (86-10) 6462-9100, 6462-9112 

b) Medex Assistance Corporation (www.medexassist.com)

Telefone:  (China) (86-10) 6595-8510)

c) Global Doctor

Telefone:  (China) (86-10) 8315-1914.

Farmácias

Não há farmácias privadas em Pyongyang. Para viagens ao país, turistas devem levar um estoque adequado de analgésicos, remédios para resfriados, comprimidos para diarréia, antialérgicos, kit de primeiros socorros e eventuais remédios que sejam tomados regularmente.

Medicamentos                      

Grande parte dos medicamentos disponíveis no Brasil podem não ser encontrados no país. Recomenda-se que cidadãos brasileiros levem quantia suficiente de medicamentos para viagens ao país, portando, sempre, a receita médica em inglês desses remédios.   

Vacinação

Para viagens ao país, o Governo brasileiro recomenda que seus nacionais vacinem-se contra hepatite A e B, tétano, difteria, febre tifoide, BCG para tuberculose, e poliomielite. Embora Cartão Internacional de Vacinas não seja necessário para entrada no país, todas as vacinas devem ser tomadas – por adultos e crianças.

Condições ambientais

Recomenda-se trazer hidratante para a pele e lábios para evitar ressecamento durante o inverno. Durante o verão, pode ser útil ter à mão repelente para insetos.

Endemias em geral

Pyongyang não apresenta problemas de saúde ou higiênicos graves. Embora conste nos relatórios da OMS que a RPDC apresenta casos de malária e tuberculose, essas enfermidades são raras na capital, sendo mais provável encontrá-las no campo, onde as condições de vida e o padrão alimentar das pessoas é mais baixo. Por causa do clima seco e da queima de carvão, no inverno as doenças respiratórias são mais frequentes. Durante o verão, há ocorrência de encefalite japonesa.

Cólera

Há risco de cólera na República Popular Democrática da Coreia (RPDC), pois a água de Pyongyang não é potável. É recomendável lavar cuidadosamente os vegetais e frutas antes de consumi-los, além de beber apenas água fervida ou engarrafada e de evitar pedir gelo em bebidas.

Malária

O risco de saúde apresentado pela malária ou impaludismo pode ser alto em regiões florestais do país. As medidas de proteção básicas incluem a preferência por locais climatizados, protegidos com telas apropriadas, isolamento de compartimentos para evitar a circulação de mosquitos no interior das instalações; usa de repelentes específicos para a pele e o vestuário, nos horários de maior risco entre o pôr do sol e o amanhecer. Note-se que o mosquito pode também apresentar risco em período diurno, sempre que tenha entrado durante a noite. A disciplina de proteção é de mais difícil manutenção no caso de crianças.

A decisão de tratamento preventivo com medicamentos disponíveis pode ser tomada com a assistência de médicos locais, em função do quadro clínico e preferências e indicações de cada individuo. O recurso ao médico no Brasil e no país de origem é indispensável para uma decisão ajuizada.

Transportes

Infraestrutura de transportes

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular.

Transporte aéreo

O aeroporto de Sunam, localizado 24 km ao norte do centro da cidade, possui voos operados pela Air China e Air Koryo. As conexões internacionais para a RPDC são limitadas: a Air China opera voos apenas para Pequim, enquanto que a Air Koryo possui linhas regulares para Pequim (diário, exceto nas quartas-feiras) e Vladivostok (semanal), além de algumas linhas sazonais para cidades como Shenyang, Bangkok e Kuala Lumpur.

As aeronaves operadas pela Air Koryo, com exceção de duas Tupolev Tu204, não têm permissão para realizar voos para a União Europeia, pois não atendem a padrões internacionais de segurança. Muitas vezes há um requisito mínimo de passageiros para que os voos da Air Koryo possam decolar.

Transporte ferroviário

É possível também entrar e sair do país por via ferroviária, via Sinuiju/Dandong (cidades de fronteira norte-coreana e chinesa). Atrasos, no entanto, são frequentes, devido a cortes de energia. Além disso, cidadãos brasileiros devem ter em mente que as instalações de bordo são básicas e que podem ser muito mais simples que aquelas encontradas em países ocidentais.  

Transporte público

Pyongyang conta com sistema público de transporte, mas estrangeiros não estão autorizados a utilizá-lo.

Taxis  

Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar taxis avulsos.

Transporte rodoviário        

Estrangeiros não podem dirigir na Coreia do Norte e todos os deslocamentos devem ser feitos em carros da agência de turismo norte-coreana. É comum a ocorrência de enchentes na estação chuvosa (de julho a agosto), o que pode atrapalhar planos de viagem, especialmente para áreas rurais. 

O fluxo, como no Brasil, dá-se pelo lado direito da pista. Apesar de já terem sido instalados diversos semáforos nos principais cruzamentos, há diversos guardas de trânsito postados para conduzir o fluxo de veículos. As placas de trânsito estão todas em coreano, sem tradução para o inglês.

O trânsito em Pyongyang não é intenso, mas tem crescido muito nos últimos anos. Congestionamentos são raros, exceto em alguns horários de pico. Como à noite a cidade é mal-iluminada, é necessário ter especial cuidado com os pedestres, que costumam vestir-se com roupas escuras. Os motoristas geralmente não param na faixa de pedestres, mas soam a buzina à distância como aviso.

Os faróis devem estar acesos durante todo o tempo em que se conduz o carro, mesmo durante o dia.

Num cruzamento, é sempre possível virar à direita, ainda que o semáforo esteja fechado. Essa regra se aplica sempre, e ela é importante porque o motorista não acostumado pode obstruir o trânsito, por desconhecer a prática.

Os guardas de trânsito na Coreia do Norte também possuem comandos que não são intuitivos. Via de regra, quando o guarda está de frente ou de costas para o condutor, é preciso parar o carro. Quando ele está de lado, é possível seguir em frente pela faixa que passa por suas costas, porém não se deve passar com o carro pela faixa que passa pela sua frente. Quando o guarda está de lado e aponta com o bastão para a esquerda ou direita, isso significa que é permitido virar nessas direções.

Carteira de Habilitação

A RDPC não aceita a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) brasileira, nem a carteira internacional de motorista.

Aluguel de veículos  

Não é possível alugar carros no país.

Pedestres

Turistas não podem transitar pela cidade desacompanhados de um guia ou intérprete norte-coreano. Recomenda-se fortemente que turistas brasileiros sigam essa recomendação com o devido rigor. Punições a eventuais desobediências são severas.

Infraestrutura turística

Orientações gerais    
Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em  Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Infraestrutura turística

O turismo tem sido crescentemente incentivado pelas autoridades norte-coreanas. Mesmo em grupos organizados por agências de turismo internacionais, a autorização para os passeios depende da Korean International Travel Company, que designará um ou mais guias norte-coreanos, funcionários da agência, para acompanhar o grupo.

Roteiro turístico

Chegando ao país, os visitantes devem estar sempre acompanhados por esses guias norte-coreanos, que organizarão o que poderá ser visitado e como chegar até os locais definidos. Os pacotes turísticos incluem as passagens, hospedagem, refeições, guias, transporte dentro da cidade e todos os procedimentos burocráticos necessários.

A Embaixada do Brasil em Pyongyang não se responsabiliza pelos serviços prestados por empresas turísticas que atuam na RDPC. Caso necessite de assistência consular durante sua estadia no país, o cidadão brasileiro deve se dirigir à Embaixada do Brasil.

Atrações turísticas

Pyongyang é uma cidade limpa e adequada para caminhada, corrida e atividades ao ar livre. Proibições de ingresso em determinadas áreas, consideradas não são acessíveis a estrangeiros, devem ser religiosamente respeitadas. O Morambong Park, próximo ao Rio Taedong, é o maior e mais amplo parque no centro de Pyongyang. O Parque Munsubong, é menor, mas pode ser uma boa atração aos turistas no país. Pode-se, ainda, visitar os Jardins de Mangyongdae, local de nascimento do Presidente Kim Il Sung. Nos limites norte da cidade ficam o Zoológico de Pyongyang, o Jardim Botânico e a área de piquenique do Monte Taesong. Existe a opção de navegar de barco pelos rios.  A duas horas de carro de Pyongyang está localizado o Monte Myohyang, local de singular beleza cênica, onde está situado o Palácio dos Presentes e o Templo Budista Pohyon. É possível fazer trilhas ou piqueniques na área. A duas horas de carro da capital está a Estação de Esqui Masikryong. As instalações são de boa qualidade e estão abertas a estrangeiros. O guia de viagens deverá ser montado em parceria com a agência de turismo norte-coreana.  

Câmbio e moeda

Estrangeiros não estão autorizados a utilizar a moeda local. Boa parte das lojas e restaurantes aceita euros, dólares e renminbi. Não há acesso a máquinas ATM na RPDC, Recomenda-se trazer notas de pequeno valor, já que nem sempre os estabelecimentos possuem o troco correto na moeda utilizada (é comum o troco ser dado em moeda chinesa). Entretanto, como os pacotes turísticos incluem todos as despesas dos viajantes, só é necessário trazer o dinheiro necessário para a compra de souvenires. Cerca de US$200,00 a US$500,00 costumam ser o suficiente para essa finalidade.

Cartões de crédito e débito

Cartões de crédito internacionais não são aceitos no país, com exceção de alguns chineses. Em razão das severas limitações do sistema bancário norte-coreano (decorrentes das sanções internacionais a que o país está sujeito), recomenda-se que o estrangeiro que chega ao país traga consigo razoável quantidade de moeda estrangeira, preferencialmente euros.

Sistema de telecomunicações

No país, celulares só poderão ser usados depois da compra de um chip norte-coreano, que custa a partir de 50 euros. A internet 3G também está disponível, tanto para computadores como para smartphones, embora tenha um elevado custo de instalação, que praticamente inviabiliza seu uso por turistas. É possível realizar ligações internacionais para o Brasil a partir de hotéis. O custo gira em torno de US$2,4 por minuto.

Não há internet disponível em cafés ou outros estabelecimentos da cidade; apenas em alguns hotéis e, ainda assim, com muitas restrições. Normalmente, é possível apenas pedir ao hotel que envie um e-mail, a partir do endereço eletrônico do próprio hotel, após o pagamento de uma pequena quantia.

O país possui 4 canais de TV: Televisão Central da Coreia, Televisão Mansudae, Rede Cultural e Educacional da Coreia e Televisão Kaesong, cujo público alvo é a população sul-coreana. As notícias são fornecidas pela Agência Central de Notícias da Coreia. Boletins de notícias são transmitidos pela Televisão Central da Coreia, e pelo maior jornal do país, o Rodong Sinmun, publicado pelo PTC.

Livros, revistas e jornais

As livrarias nos principais hotéis vendem publicações coreanas em inglês, francês, russo, espanhol, chinês e árabe. Publicações estrangeiras não estão disponíveis. Um jornal semanal, o Pyongyang Times, é publicado em inglês e francês, e duas revistas mensais, Korea Today e Korea Pictorial, são publicadas em inglês, francês, russo, árabe e chinês. O periódico Foreign Trade concentra-se nos assuntos econômicos e políticos sobre a RDPC.

Estabelecimentos comerciais           

A quantidade de estabelecimentos comerciais em Pyongyang tem crescido nos últimos anos. O Governo norte-coreano passou a tolerar o aparecimento espontâneo de pequenos mercados e lojas. Ainda que formalmente não tenha havido uma reformulação da economia socialista na prática vem se observando uma gradual flexibilização do sistema de distribuição de bens. Caso necessário, a Embaixada brasileira poderá oferecer lista, meramente indicativa, dos estabelecimentos comerciais disponíveis no país. Algumas das lojas atendem apenas a diplomatas a trabalho em Pyogyang, e outras lojas são apenas para norte-coreanos. Há, no entanto, disponibilidade de estabelecimentos que podem ser visitados por turistas.

Comunicação e idiomas

A imensa maioria dos coreanos não sabe falar inglês, nem mesmo palavras básicas, e tampouco compreende o alfabeto latino.

Informações adicionais

Maiores informações sobre como adquirir um pacote turístico para a RDPC podem ser adquiridas pelos seguintes sítios eletrônicos:

a) Korean Internation Travel Company - agência oficial do governo coreano

(E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

b) Uri Tours -empresa baseada nos Estados Unidos, com atuação em todo o continente americano (www.uritours.com)

c) Koryo Tours - empresa inglesa baseada em Pequim (www.koryogroup.com)

d) Pinto Lopes - empresa portuguesa; a partir de 2015 pretende organizar grupos de brasileiros (www.pintolopesviagens.com).

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.        

Questões de gênero

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam  detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior

Prisão de cidadão brasileiro

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior.

Identificação 

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Respeito às leis locais

Reforça-se ao turista brasileiro a importância de que as leis locais sejam estritamente seguidas durante a permanência na Coreia do Norte. As regras sobre o que é permitido aos turistas na Coreia da Norte mudam com grande frequência. Em caso de dúvida, sempre siga a orientação do seu guia.

Vigilância

O Governo norte-coreano mantém intenso programa de vigilância tanto de seus nacionais quanto de cidadãos estrangeiros. Quartos de hotéis, conferências, conexões de internet, fax e telefone podem ser monitorados. Interações com estrangeiros são desaconselhadas. Caso o Governo norte-coreano interprete que essas interações têm alguma forma de natureza política, estrangeiros podem sofrer penalidades legais, inclusive prisão.

Nacionalismo

Mostre respeito pela cultura local. Os líderes do país são reverenciados na RPDC e insultos ou piadas sobre o sistema político norte-coreano e suas lideranças são mal-vistos. Não é esperado que turistas demonstrem a mesma devoção, pois a ideologia Juche, vigente no país, é voltada especificamente para a população local e não se aplica a estrangeiros. Criticar os líderes do país, no entanto, é altamente ofensivo e ilegal, o que pode gerar problemas muito graves.

Em algumas ocasiões, espera-se que os estrangeiros prestem reverência a monumentos patrióticos ou a estátuas dos líderes. O indivíduo que visita a RDPC deve entender que, ainda que possua discordâncias ideológicas quanto ao regime atualmente vigente no país, é recomendável não expressá-las durante sua permanência, sob o risco de ofender a população local.

Vestuário

Os coreanos preferem roupas escuras e discretas e as mulheres vestem roupas longas e conservadores. Para o trabalho, considera-se aceitável o padrão de escritório (camisa e calça sociais mais gravata). Para as mulheres não há recomendações específicas, mas geralmente se considera inapropriado o uso de roupas muito curtas ou decotadas, especialmente em lugares considerados sagrados.

Andar descalço no verão não é bem visto.

O inverno em Pyongyang é muito severo e exige vestimentas apropriadas para as baixas temperaturas.

Gorjetas        

Oficialmente, dar gorjetas é visto com maus olhos, mas é cada vez mais esperado por parte dos funcionários de hotel.

Tolerância LGBT

Apesar de não haver nenhuma lei proibindo a homossexualidade na RDPC, relações homossexuais são consideradas inaceitáveis pelas autoridades. Para mais informações, recomenda-se a leitura cuidadosa do aviso LGBT em viagens ao exterior.

Portadores de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida

Pyongyang não conta com boas instalações para acessibilidade de portadores de necessidades especiais. Para mais informações, recomenda-se a leitura da página Pessoas com deficiência em viagens ao exterior.

Fotografias

Peça permissão antes de tirar fotos e não fotografe militares. Deve-se, também, evitar tirar fotografias de prédios e construções públicas. Tais fotografias podem ser consideradas indício de comportamento suspeito.

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Informações adicionais

IMPORTANTE: A relação de fontes para leitura adicional é meramente indicativa. O Itamaraty não se responsabiliza pelo conteúdo do material indicado.

 

Guias internacionais

Lankov, Andrei. The Real North Korea: Live and Politics in the Failed Stalinist Utopia. Oxford University Press, 2013.

Willoughby, Robert. North Korea. 3ª ed. Bradt Travel Guides .Ltd, 2014.

http://www.rodong.rep.kp/en/

http://dailynk.com/english/

http://blog.keia.org/

http://38north.org/

http://www.northkoreannews.net

Guias norte-coreanos

http://www.kcna.kp/

http://naenara.com.kp/

 

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.

 

Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com a Coreia do Norte clique aqui.

Fim do conteúdo da página