Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Seu destino > Coreia do Sul
Início do conteúdo da página

Coreia do Sul

Alertas para este país

Trata-se de alerta que exige algum grau de cautela. Os efeitos ou consequências da situação descrita no alerta ainda podem ser sentidos, em grau variável, por brasileiros que se encontrem no país.
Síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) na Coreia do Sul 17/06/2015Coreia do Sul

Informações básicas

Capital Seul
Língua Coreano
Moeda Won Sul-Coreano
Validade do passaporte Deve ser valido no momento da entrada
Página do passaporte em branco Uma página
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações Nenhuma vacina específica é necessário para entrada
Restrições de moeda para entrar Não há
Restrições de moeda para sair Não há

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

X

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

 

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Não há, na Coréia do Sul, avisos específicos ou situações que demandem grande atenção por parte dos viajantes brasileiros, mas algum grau de cautela é sempre necessário ao viajar, independentemente do destino escolhido. Cidadãos brasileiros devem viajar à Coréia do Sul com precauções normais de segurança. Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página.           

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato da Embaixada do Brasil em Seul, que, se necessário, poderá prestar assistência consular a nacionais na Coréia do Sul.        

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar. Os Postos com serviço consular estão a disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular para saber o que uma Repartição consular pode ou não pode fazer por você.            

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos "Segurança" e "Saúde" do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado. Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar.

 

Embaixada do Brasil em Seul

Endereço: 141, IHN Gallery Bldg. 4-5 Floor Palpan-dong, Jongno-gu, Seoul, Republic of Korea ZIP CODE: 110-220

Telefone: (82-2) 738-4970 / 73/720-4428/722-4428

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site da Repartição: http://seul.itamaraty.gov.br/

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

Não há Consulado Honorário no país.

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira       

É relativamente baixa a quantidade de imigrantes brasileiros estabelecidos na República da Coreia. Dados do governo coreano de 2013 indicavam a presença de cerca de 1.000 brasileiros vivendo no país. Desde 2012, a Coreia tem recebido, ainda, alunos do  Programa Ciência sem Fronteiras. São cerca de 200 alunos por ano, concentrados, na sua maioria, na região de Seul.

Principais destinos   

As principais cidades do país são Seul, Busan, Daegu, Incheon, Gwangju e Daejeon. A maioria dos brasileiros encontra-se na região metropolitana de Seul. A segunda área de maior concentração é o sudeste do país, próximo a Busan, onde há expressiva presença de empresas brasileiras trabalhando em consórcio com estaleiros e construtoras coreanas.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.   

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela          

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto  

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Viagens a trabalho/estudo  

Para nacionais brasileiros que pretendam viajar à Coreia do Sul para estudar ou trabalhar, será exigido visto de  entrada, que deve ser solicitado à repartição consular coreana competente.

Vacinação     

Não há necessidade de vacinas para nacionais brasileiros que visitam a Coreia.

Entrada de menores            

Em esforços para prevenir sequestro internacional de menores, alguns Governos estrangeiros começaram a verificar o status de menores em pontos de entrada do país. Essas verificações frequentemente incluem exigência de documentos que comprovem a relação do menor com a pessoa que o estiver acompanhando e autorização de viagem,  por escrito,  do genitor ausente. Caso um dos genitores tenha falecido, é necessário portar cópia do certificado de óbito. Para mais informações, pode-se acessar a página Viagem de menores brasileiros ao exterior.

Dupla nacionalidade           

O país permite a dupla nacionalidade. Destaca-se, no entanto, que, no Brasil, nacionais devem entrar e sair portando passaporte brasileiro. Assim, cidadãos com dupla nacionalidade devem viajar necessariamente com o passaporte brasileiro. Mais informações estão disponíveis no aviso Brasileiros com dupla nacionalidade.

Restrições alfandegárias     

A República da Coreia restringe a entrada de plantas e algumas frutas frescas, impondo quarentena, bem como limita a quantidade de outros bens. O sítio eletrônico da Embaixada da Coreia no Brasil traz informações mais detalhadas: http://bra-brasilia.mofa.go.kr/worldlanguage/america/brabrasilia/visa/entry/index.jsp

Informações adicionais       

Para maiores informações, recomenda-se visita ao endereço eletrônico do Serviço de Imigração da República da Coréia: http://www.immigration.go.kr/HP/IMM80/index.do

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior  

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países.

Trabalhar no exterior           

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Registro de estrangeiros     

Estrangeiros portando visto adequado que pretendam permanecer na Coreia por mais de 90 dias devem registrar-se junto ao Korean Immigration Office após a chegada ao país e solicitar a emissão da carteira de identidade para estrangeiros ("Alien Card"). Somente com um "Alien Card" será possível ao estrangeiro realizar diversas outras atividade do dia-a-dia, como adquirir telefone celular próprio ou abrir conta bancária.

Extensão do visto     

Extensões de permanência, possíveis em algumas circunstâncias, podem ser solicitadas diretamente ao "Korean Immigration Office" (www.immigration.go.kr) até dois meses antes de expirado o prazo máximo de partida. Pedidos de extensão feitos após o vencimento do prazo de permanência são punidos com multa.

Ciência sem Fronteiras       

No âmbito do programa "Ciência sem Fronteiras" O Governo do Brasil tem adotado ampla política de concessão de bolsas para que jovens brasileiros possam estudar em universidades no exterior. Para solicitar assistência durante sua estada em outros países, inclusive na Coreia do Sul, bolsistas do programa podem contatar a Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo ou o Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) em Brasília. Para dúvidas técnicas sobre aspectos do programa ou auxílio financeiro, os estudantes poderão contatar a CAPES ou o CNPq diretamente. Para mais informações, recomenda-se leitura da página "Apoio ao bolsista no exterior", disponível no sítio do Programa Ciência sem Fronteiras, em  http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/apoio-ao-bolsista-no-exterior

Penalidades por estada irregular   

A República da Coreia pune tanto a permanência de estrangeiro no território coreano além do prazo concedido como também a realização de atividade incompatível com o visto ou a autorização de permanência. Além da pena de multa, o estrangeiro nessa situação pode ser deportado.

Informações adicionais       

Para cidadãos que residem ou planejam residir na Coreia do Sul, recomenda-se a leitura das cartilhas "Morando na Coreia do Sul - Informações Úteis", "Relações de Trabalho na Coreia: Orientações para brasileiros" e "Orientaçãoes para o trabalho no exterior". Estão disponíveis para download no site da Embaixada do Brasil em Seul, no seguinte link: http://seul.itamaraty.gov.br/pt-br/morando_na_coreia_do_sul__

informacoes_gerais.xml. Outras informações podem ser encontradas no endereço eletrônico: http://www.hikorea.go.kr/pt/index.html, opção "Information" e"Immigration Guide".

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a  Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante.

Perda de documentos brasileiros    

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura das informações da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Vítimas de crimes     

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

Segurança pública   

Os índices de criminalidade na Coreia são baixos, e crimes violentos como assaltos e sequestros são praticamente inexistentes. Há bastante policiamento ostensivo e é comum ver grande número de policiais concentrados em áreas turísticas e/ou próximas a prédios governamentais e embaixadas. Recomenda-se aos viajantes habitual cuidado com seus pertences pessoais, sobretudo em zonas turísticas com grande fluxo de pessoas. O excesso de confiança na baixa criminalidade pode levá-lo a expor-se desnecessariamente a riscos. Caso se veja envolvido em alguma situação de emergência, a polícia coreana pode ser contatada pelo número 112 e os bombeiros, pelo número 119. Ressalta-se, no entanto, que o atendimento é feito em idioma coreano.

Conflito internacional

A península coreana está dividida por uma zona desmilitarizada, que separa a RDPC (conhecida como Coreia do Norte) da República da Coreia (conhecida como Coreia do Sul). As duas Coreias permanecem, juridicamente, em estado de beligerância, uma vez que, ao final da Guerra da Coreia (1950-1953), não foi assinado tratado de paz, mas apenas um armistício. O nível de tensão pode mudar repentinamente, como em 2006, 2009 e 2013, quando a RDPC realizou testes nucleares. Segundo avaliação da Embaixada do Brasil em Seul, o risco real de que venha ocorrer uma conflagração militar é considerado baixo. Alguns atores da comunidade internacional, por outro lado, acreditam que uma guerra poderia eclodir a qualquer momento na Península Coreana - inclusive com uso de armamentos nucleares. 

Manifestações populares    

Alguns protestos podem ocorrer no país, sobretudo em datas simbólicas, como o dia do trabalho ou demais comemorações civis. Ainda que os protestos sejam pacíficos, recomenda-se que cidadãos brasileiros evitem áreas com registro de manifestações, já que esse tipo de atividade pode escalar para conflitos em caso de confrontação com autoridades policiais locais.

Instituições fraudulentas

Recomenda-se aos brasileiros que planejam viajar ao país para estudar que se informem sobre a situação das instituições de ensino escolhidas. Antes de viajar, cidadãos brasileiros devem checar as informações sobre idoneidade das instituições e verificar aquelas credenciadas junto ao Governo local.

Tsunamis

Há riscos de tsunamis no país. Recomenda-se que cidadãos brasileiros permaneçam atentos aos comunicados emitidos pelas agências locais de meteorologia e sismologia quanto à incidência de desastres naturais. Em caso de ocorrência de tsunamis, cidadãos brasileiros devem seguir cuidadosamente as orientações de segurança das autoridades locais contatando, sempre que possível, alguma Embaixada ou Consulado do Brasil, que avaliará a possibilidade de evacuação. 

Furacões

Caso algum furacão se aproxime, as autoridades deverão emitir alerta antecipado. É importante, nessas situações, identificar abrigos temporários; ter à mão casacos e roupas  impermeáveis; guardar documentos (carteira de identidade, passaporte, etc.) em bolsas plásticas e procurar afastar-se de zonas costeiras.

Durante o furação, deve-se desconectar os serviços básicos de luz, água e gás; não acender velas, isqueiros, fósforos (mas pode-se usar lanterna); ficar afastado de portas e janelas; buscar abrigo em locais com paredes mais seguras e de dimensões menores (como banheiros, por exemplo); e procurar afastar-se de rios, lagos e do mar. Se for possível, recomenda-se manter ligado um rádio a pilha para ouvir recomendações das autoridades.

Após a passagem do furacão, deve-se verificar se o prédio em que se buscou abrigo sofreu danos significativos. Em caso afirmativo, deve-se abandoná-lo até que as reparações sejam feitas.

Xenofobia     

Membros de grupos étnicos minoritários visitando o país reportaram assédio verbal e violência durante sua permanência. Nesse caso, aconselha-se que cidadãos brasileiros não reajam, para evitar que a violência escale, afaste-se imediatamente do local e denuncie a ocorrência a autoridades policiais e, se necessário, à Embaixada do Brasil. 

Assédio sexual e crimes contra a mulher  

Denúncias de assédio sexual são raras, mas podem ocorrer em qualquer país, independentemente do destino escolhido. Mulheres devem evitar andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas. Mais informações estão disponíveis no aviso Mulheres em viagens ao exterior.

Tráfico de pessoas   

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Caso seja vítima ou tenha alguma informação sobre eventual caso de tráfico internacional de pessoas envolvendo cidadão ou cidadã brasileira, recomenda-se fortemente que procure a Representação consular, para relatar o caso e receber orientações. Os dados serão tratados com a devida confidencialidade. Mais informações estão disponíveis em http://www.justica.gov.br/sua-protecao/trafico-de-pessoas

Contatos importantes

Polícia: 112

Bombeiros: 119

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.

Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.

Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde(OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.

Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro 

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências

Rede de saúde          

Para turistas e estrangeiros com estada inferior a 90 dias na Coreia, não há previsão de tratamento médico emergencial gratuito. Assim, é recomendável adquirir um seguro de viagens que cubra especificamente a Coreia do Sul antes de viajar. O Seguro Nacional de Saúde coreano possibilita que as pessoas nele inscritas desfrutem de tratamento médico a preços bastante acessíveis, por meio do pagamento de um prêmio mensal, normalmente descontado do contra-cheque do trabalhador. Estrangeiros que residam na Coreia por mais de 90 dias têm o direito de inscrever-se nesse sistema. Condições ambientais. Para lista de profissionais da área de saúde que falam português, visite: http://seul.itamaraty.gov.br/ptbr/servicos_medicos_e_telefones_uteis.xml

Vacinação     

Não há necessidade de vacinas para nacionais brasileiros que visitam a Coreia.

Farmácias e medicamentos

Em geral, é necessária a receita médica para adquirir remédios na Coreia. Apenas remédios muito comuns para o dia a dia, como para dores de cabeça, garganta etc, podem ser adquiridos diretamente nas farmácias. Se você faz algum tratamento médico continuado, é diabético ou tem alguma enfermidade crônica, recomenda-se que traga quantidade suficiente de medicamentos para sua estada e eventual permanência extra no país devido a imprevistos. É prudente, ao viajar com tais medicamentos, levar consigo uma receita médica em inglês, para evitar problemas nas alfândegas.

Endemias em geral  

Não há registro de doenças endêmicas na Coreia do Sul.

Gripe aviária

A incidência de casos de contaminação por vírus da gripe aviária (H5N1) tem sido rara nos países da região. De toda forma, recomenda-se evitar, durante a permanência no país, todo e qualquer contato com pássaros e aves (inclusive animais vivos em mercados e feiras livres) ou quaisquer superfícies contaminadas por fezes de aves. Desaconselha-se, ainda, visitas a granjas.

Condições ambientais         

A Coreia do Sul é país de grande emissão de dióxido de carbono. Durante períodos de excessiva poluição, é recomendável que crianças, pessoas sensíveis e/ou com problemas respiratórios adotem precauções para reduzir a exposição a poluentes. Para cidadãos brasileiros com plano de residir no país, pode ser recomendável manter um purificador de ar nos principais cômodos da casa.

 É relativamente comum, sobretudo durante a primavera, o fenômeno "yellow dust", quando ventos oriundos dos desertos da Mongólia e China carregam para a Coreia grande quantidade de partículas sólidas, aumentando os níveis de poluição. É recomendável que crianças, pessoas sensíveis e/ou com problemas respiratórios adotem precauções para reduzir a exposição a poluentes.

Malária

O risco de saúde apresentado pela malária ou impaludismo pode ser alto em regiões florestais do país. As medidas de proteção básicas incluem a preferência por locais climatizados, protegidos com telas apropriadas, isolamento de compartimentos para evitar a circulação de mosquitos no interior das instalações; usa de repelentes específicos para a pele e o vestuário, nos horários de maior risco entre o pôr do sol e o amanhecer. Note-se que o mosquito pode também apresentar risco em período diurno, sempre que tenha entrado durante a noite. A disciplina de proteção é de mais difícil manutenção no caso de crianças.

A decisão de tratamento preventivo com medicamentos disponíveis pode ser tomada com a assistência de médicos locais, em função do quadro clínico e preferências e indicações de cada individuo. O recurso ao médico no Brasil e no país de origem é indispensável para uma decisão ajuizada.

Contatos importantes          

As principais universidades coreanas mantêm grandes

hospitais onde pode ser mais fácil obter atendimento médico

em inglês em diferentes especialidades.

Listam-se abaixo alguns hospitais:

-Seoul National University Hospital

28, Yeongeon-dong, Jongno-gu

Telefone: (02) 2072-2980

Centro de Emergência da Clínica Internacional: (02) 20722473~7

-Samsung Hospital & Medical Center

50, Ilwon-dong, Gangnam-gu

Telefones: (02) 3410-0200 / 010-9933-0200 (Emergência)

-Seoul Saint Mary`s Hospital

505, Banpo-dong, Seocho-gu

Telefones: (02) 2258-5745 / 2258-2003/2005 (Emergência)

-Pusan National University Hospital

179 Gudeok-ro, Seo-gu, Busan-si, 602-739 Korea

Telefone: (051) 240-7472/3

Centro de atendimento internacional (inglês): 010 2799-7031

Transportes

Infraestrutura de transportes         

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular.

Transporte na Coreia do Sul         

A Coreia conta com excelente infraestrutura de transporte em todo seu território, com ótimas rodovias (embora, em geral, bastante congestionadas), ampla rede ferroviária (com várias linhas operadas pelo KTX, o trem-bala coreano) e aeroportos nas principais cidades do país.

Transporte aéreo     

A ponte aérea Seul-Jeju, segundo dados do sistema Amadeus de emissão de passagens, foi a rota mais movimentada do mundo em número de passageiros no ano de 2012.       

Transporte ferroviário       

Há rede de trens na Coreia do Sul, incluindo o trem-bala (KTX), que costuma ser a forma mais eficiente e, por vezes, econômica, de viajar pelo país de forma rápida.

Transporte público  

Em Seul, o transporte coletivo é de alta qualidade, além de relativamente barato e fácil de usar. A tarifa mínima do metrô é de aproximadamente USD 1,00 e a do ônibus, USD 0,75, aumentando conforme a distância percorrida. Pode haver combinação de tarifas de metrô e ônibus. A rede de metrô é ampla e alcança boa parte da cidade e de cidades conurbadas. O pagamento é feito automaticamente por cartão magnético com saldo previamente carregado.            

Taxis  

Táxis estão amplamente disponíveis, com bandeirada de USD 3,00. Taxis especiais de cor preta, com bandeirada de USD 5,00, oferecem atendimento em inglês. É possível pagar o taxi com cartão de crédito ou débito, mas convém checar antes com o motorista, especialmente se se tratar de cartão internacional. No geral, os táxis podem ser considerados baratos; uma corrida entre Itaewon, zona que concentra expatriados, e a área central de Seul  custa em torno de W 10.000.Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar taxis avulsos.

Carteira de Habilitação      

As autoridades de trânsito coreanas não admitem o uso da carteira de habilitação brasileira. Para dirigir na Coreia é preciso portar carteira de habilitação internacional ou solicitar a carteira coreana (apenas para estrangeiros residentes).           A carteira de habilitação internacional permite ao estrangeiro dirigir pelo prazo máximo de um ano, contado da  primeira entrada no país.

 Estrangeiros que permanecerão por mais de um ano no país e pretendam dirigir devem obter a carteira coreana. É possível trocar a carteira brasileira pela coreana mediante requisição ao órgão de trânsito local. Mais informações sobrte esse procedimento estão disponíveis na página eletrônica da Embaixada do Brasil: http://seul.itamaraty.gov.br/pt-br/carteira_de_motorista.xml 

Infraestrutura turística

Orientações gerais    

Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em  Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Infraestrutura turística       

As cidades coreanas contam com boa estrutura para o turismo, porém, quanto mais se afasta dos grandes centros, menos informações costumam estar disponíveis em inglês.

Opções de comércio

Seul conta com diversas opções de compras e lazer. A região central de Myeong-dong dispõe de grande número de lojas e de restaurantes/bares, a exemplo de regiões centrais de grandes metrópoles. Em Gangnam, ao sul de Seul, concentram-se novos e mais modernos shopping centers, e também muitos restaurantes. Apenas para referência, o turista poderá explorar os shoppings “Shinsaegae” e “Lotte Department Stores”. Há também grandes hipermercados (E-mart, Home Plus) e de venda ao atacado (Costco, que exige cadastramento prévio). Esses mercados fecham aos segundos e quartos domingos do mês.

Opções de lazer        

Em termos de lazer, Seul dispõe de boa oferta de salas de cinema e algumas grandes cadeias (Megabox e CGV). Em geral, os filmes em cartaz dividem-se entre a produção local e filmes de Hollywood, sendo os coreanos em maior proporção. Os filmes estrangeiros são legendados em coreano, e os filmes em corenano não têm legendas, então o turista deverá atentar-se para esse fato e assistir aos filmes falados em idiomas que domina. Há grande número de bares e de boates, principalmente na zona de Gangnam e em áreas próximas a universidades, que reúnem opções mais baratas e público mais jovem.

Clima

O clima do país é temperado, com quatro estações definidas, determinadas pela localização geográfica da península coreana e sua relação com o continente asiático.

Cartões de crédito e débito 

Cartões de crédito internacionais são amplamente aceitos no mercado coreano.

Telefonia móvel

Não é possível para um turista adquirir um "chip" pré-pago na Coreia para uso temporário no seu telefone celular, pois é necessário apresentar o documento nacional de identificação. Contudo, é possível alugar celulares diretamente ao desembarcar, no aeroporto, ou mediante a ajuda de seu hotel.

Padrões de rede elétrica

A rede elétrica é de 220v. Nas lojas de eletrônicos estão a venda adaptadores de energia para voltagens diversas.

Comunicação e idiomas      

O idioma oficial do país é o coreano. A grande maioria da população não tem conhecimento de idiomas ocidentais. Nas principais cidades turísticas, aeroportos, estações de trem e hotéis é possível encontrar funcionários que falam inglês. Em Seul, as pessoas que trabalham com comércio e serviços costumam saber palavras-chave em inglês.

Ligações internacionais       

Pelo plano Brasil Direto, a Embratel oferece a possibilidade de que cidadãos brasileiros possam ligar para um número telefônico no Brasil a partir de telefone público, fixo ou celular no exterior. As ligações são pagas somente a partir do Brasil. Em caso de dúvidas, é possível contatar um telefonista da Embratel, que atende em português. Para mais informações sobre o plano Brasil Direto, inclusive sobre países de abrangência e valores, consulte o portal da Embratel, em http://portal.embratel.com.br/fazum21/brasil-direto/numeros-de-acesso/

Bancos

Há bancos brasileiros no país. Opera, na Coreia do Sul, o Banco do Brasil (Seul). 

Bancos estrangeiros com operação no Brasil operam, também, no país. Destaca-se, na Coreia do Sul, o HSBC.

Informações adicionais       

Informações genéricas sobre turismo na Coreia podem ser encontradas no seguinte site: http://english.visitkorea.or.kr/

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local         

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.        

Questões de gênero   

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam  detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior

Prisão de cidadão brasileiro             

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior.

Identificação 

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Particularidades culturais  

Como seria de se esperar de um país localizado em posição antipodal ao Brasil, são patentes as diferenças culturais com que um brasileiro se deparará na Coreia. De modo geral, porém, os coreanos mostram-se muito receptivos aos estrangeiros e não costumam esperar que conheçam ou dominem suas particularidades culturais. Em especial nas relações de trabalho, a pontualidade e o respeito hierárquico têm enorme importância. Nos meios de transporte coletivo, os coreanos costumam permanecer em silêncio ou falar em tom baixo de voz. Em restaurantes, não se "pede a conta", paga-se diretamente ao caixa, na saída. Não se dão gorjetas.  

Fotografias

Deve-se evitar tirar fotografias de prédios e construções públicas. Tais fotografias podem ser consideradas indício de comportamento suspeito, o que pode resultar em detenção por autoridades de segurança.

Tolerância LGBT    

A tolerância e o respeito a cidadãos LGBT variam de país a país. Para mais informações, recomenda-se a leitura cuidadosa do aviso LGBT em viagens ao exterior.

Penalidades legais    

A legislação penal coreana é rigorosa, estando prevista pena de morte por enforcamento e de prisão perpétua. Estrangeiros envolvidos em crimes graves cumprem penas em prisões regulares e aqueles punidos por crimes mais leves acabam tendo a aplicação da pena suspensa para, nos termos da legislação pertinente, serem imediatamente expulsos do país (mediante pagamento da própria passagem de volta). Uma vez expulso, é muito difícil que o estrangeiro consiga voltar a entrar no território coreano no futuro. Dirigir sob o efeito de álcool é punível com prisão.

Pena capital  

A pena de morte é prevista para casos de homicídio, latrocínio, crimes de violência sexual com homicídio, tráfico de drogas, incêndio intencional, uso de explosivos e uma

série de delitos de insurreição contra o Estado e a unidade territorial coreana. Vige, desde 1998, suspensão das execuções de pena de morte, mas não é possível saber com certeza o que de fato acontecerá com os condenados no médio prazo. A última condenação à morte deu-se em 2009. Recentemente, em abril de 2014, após o desastre do Ferry Sewol, em que cerca de 300 adolescentes faleceram, o debate sobre a pena de morte voltou à tona, e muito se discutiu sobre sua aplicação aos envolvidos no acidente.

Entorpecentes          

As penas para a posse, o uso e o tráfico de drogas são severas no país, e condenados por um desses crimes podem ser sentenciados a muitos anos de prisão e multas de alto valor. Para determinados casos de tráfico, está prevista pena de morte por enforcamento.

Feriados nacionais   

Durante os dois principais feriados coreanos (Ano Novo Lunar, data móvel em janeiro/fevereiro e Chuseok, data móvel em setembro/outubro) pode ser particularmente difícil conseguir vagas em voos e hotéis na Coreia.

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Pena de morte

Segundo o Código Criminal da República da Coreia, as penas passíveis de cominação que destoam do ordenamento jurídico brasileiro são as de morte e de prisão perpétua.  Segundo o mesmo texto legal, a execução da pena capital dá-se  por enforcamento. 

No âmbito do Código Criminal, a pena capital é aplicável nos seguintes casos:         
a) uma série de tipos criminais agrupados sob os capítulos de"Insurreição" e "Agressão Estrangeira", como uso de violência para usurpação do território nacional ou subversão da Constituição Nacional, homicídio com o intuito de insurreição, conspiração com país estrangeiro contra a República da Coreia e espionagem, entre outros (artigos 87-88, 92-96 e 98);
b) lesão corporal, destruição de propriedade ou perturbação da paz por meio do uso de explosivos (artigo 119);
c) incêndio intencional que resulte em morte (artigo 164);
d) homicídio (artigo 250);
e) agressão sexual seguida de homicídio (artigo 301-2);
f) seqüestro seguido de homicídio (artigo 324-4)
g) latrocínio (artigo 338)
h) ataque a embarcação que resulte em morte ou estupro (artigo 340)

Vige na República da Coreia, ademais, lei ordinária de combate às drogas, que prevê pena de morte para quem, com o  intuito de auferir lucro ou de modo habitual, envolve-se na  produção, distribuição, importação ou exportação de drogas.

O Código Penal Militar prevê pena de morte por fuzilamento para uma série de tipos penais específicos para  suas forças e dificilmente aplicáveis a cidadãos estrangeiros  em tempos de paz.

Não obstante a vigência dos textos legais mencionados  acima, a pena de morte não é executada na República da Coreia  desde 1997. Iniciou-se, sob o governo do Presidente Kim Dae-Jung (1998-2003), moratória de execuções, que continua até hoje, e houve no passado recente diferentes projetos de lei visando à abolição da pena de morte sem que, contudo, fossem aprovados. Segundo relatório da Anistia Internacional de 2013, ainda há cerca de 60 pessoas condenadas à morte no país.

Trabalhos forçados

A reclusão pode dar-se com ou sem trabalhos prisionais. 

Informações adicionais

IMPORTANTE: A relação de fontes para leitura adicional é meramente indicativa. O Itamaraty não se responsabiliza pelo conteúdo do material indicado.

 

Embaixada da Coreia em Brasília     

http://brabrasilia.mofa.go.kr/worldlanguage/america/bra-brasilia/main/index.jsp

Consulado-Geral da Coreia em São Paulo:

http://bra-saopaulo.mofa.go.kr/worldlanguage/america/brasaopaulo/main/index.jsp

Site oficial do governo coreano com informações para estrangeiros:

http://www.korea.net/main

Site da Agência Nacional de Polícia, em inglês

http://www.police.go.kr/eng/main.do

Serviço de Imigração da Coreia (em inglês):

http://www.immigration.go.kr/HP/IMM80/index.do

Site do governo coreano para atendimento a estrangeiros

(solicitação de serviços burocráticos em geral):

http://www.hikorea.go.kr/pt/main_en.pt

Lista de serviços médicos e telefones úteis:

http://seul.itamaraty.gov.br/ptbr/servicos_medicos_e_telefones_uteis.xml

Morando na Coréia do Sul - Informações Gerais:

http://seul.itamaraty.gov.br/pt-br/morando_na_coreia_do_sul__informacoes_gerais.xml

Site de turismo coreano (em inglês):

http://english.visitkorea.or.kr/

Site de informações genéricas sobre a vida de estrangeiros na Coreia:

http://www.korea4expats.com/

 

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.


Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com a Coreia do Sul clique aqui.

Fim do conteúdo da página