Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Dinamarca

Alertas para este país

Sem alertas para este país.

Informações básicas

Capital Copenhague
Língua Língua dinamarquesa
Moeda Coroa Dinamarquesa
Validade do passaporte Deve estar válido por 3 meses, a partir da saída no país
Página do passaporte em branco Duas páginas são necessárias para carimbo na entrada.
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações Nenhuma vacina específica é necessária para entrada no país.
Restrições de moeda para entrar 10.000 Euros ou equivalente
Restrições de moeda para sair 10.000 Euros ou equivalente

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

X

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

 

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Não há, na Dinamarca, avisos específicos ou situações que demandem grande atenção por parte dos viajantes brasileiros, mas algum grau de cautela é sempre necessário ao viajar, independentemente do destino escolhido. Cidadãos brasileiros devem viajar à Dinamarca com precauções normais de segurança. Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página.

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato da Embaixada do Brasil em Copenhague, que, se necessário, poderá prestar assistência consular a nacionais na Dinamarca. 

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar.  Os Postos com serviço consular estão à disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular para saber o que uma Repartição consular pode ou não pode fazer por você.     

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos "Segurança" e "Saúde" do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.          

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado. Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar.

 

Embaixada do Brasil em Copenhague

Endereço: CHRISTIAN IX`s Gade 2, 1st floor, 1111 COPENHAGEN K DENMARK

Telefone: (0045) 3920-6478

Plantão Consular: 45 2967-9089 (SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS)

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Facebook:       https://www.facebook.com/embaixadacopenhague.oficial

Site da Repartição:  http://copenhague.itamaraty.gov.br 

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

 Não há Consulado Honorário no país.

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira       

Há cerca de 3 mil brasileiros residentes na Dinamarca. Estima-se que essa comunidade esteja concentrada em Copenhague e em Aarhus.

Principais destinos   

Além da capital, as principais cidades da Dinamarca são Aarhus, Odensa eAalborg.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela          

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto  

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Acordo de Schengen           

O país faz parte do chamado Espaço Schengen, área criada por convenção entre países europeus na qual não há controles fronteiriços ou alfandegários. Assim, cidadãos brasileiros que desejam circular entre os países do Acordo de Schengen não precisarão apresentar passaportes nas fronteiras. Ressalta-se, no entanto, que o controle fronteiriço de cada país é prerrogativa unicamente das autoridades locais, que poderão adotar as medidas que julgarem necessárias para controlar a circulação de pessoas em seus territórios. Mais informações poderão ser obtidas no Alerta migratório – Espaço Schengen.

Requisitos de entrada         

Os seguintes documentos podem ser exigidos pelas autoridades de fronteira da Dinamarca:      
a) Passaporte válido por pelo menos 6 meses e com, no mínimo, 3 páginas em branco; b) Comprovante de reserva de hospedagem;  
c) Comprovante de meios financeiros suficientes para permanência na área Schengen;    
d) Documento de viagem com validade mínima de 180 dias após a saída da área Schengen;      
e) Passagem de ida e volta;   
f) Carta convite da pessoa de referência que mora na área Schengen;        
g) Carta ou declaração do empregador ou outro documento que comprove a volta ao país de origem/residência;           
h) Seguro de saúde com cobertura mínima de EUR 30.000,00.

Porte de dinheiro     

Cidadãos brasileiros em viagem ao país que estejam portando mais de 10.000 euros ou equivalente devem declarar a quantia. Dinheiro não declarado pode ser confiscado na ocasião da partida, e cidadãos poderão ser processados pelas autoridades locais.

Viagens à Groelândia         

A Groelândia é uma região da Dinamarca com Governo próprio e não é parte do Acordo de Schengen. No entanto, cidadãos brasileiros podem entrar e sair da região sem necessidade de visto.                   

Entrada de animais domésticos

A Dinamarca permite a importação de cachorros, gatos e ferrets (furões) de outros países. As regras são diferentes de acordo com a origem do animal. São permitidos até cinco animais. As regras de entrada são estabelecidas pelo Ministério da Agricultura e Pesca dinamarquês e estão disponíveis em inglês no site:      

http://www.foedevarestyrelsen.dk/english/ImportExport/Travelling_with_pet_animals/Dogs_cats_ferrets/Travelling_to_Denmark/Pages/default.aspx

Algumas raças de cães são banidas, as chamadas “muskle hund”. A lei que regula o assunto está disponível no site:           

http://www.foedevarestyrelsen.dk/english/ImportExport/Travelling_with_pet_animals/Pages/The-Danish-dog-legislation.aspx

A importação de pássaros é diferente. São permitidos até seis pássaros. As regras, estabelecidas pela Agência  Dinamarquesa de  Floresta e Natureza, estão disponíveis no site:   http://www.foedevarestyrelsen.dk/english/ImportExport/Travelling_with_pet_animals/Birds/Travelling_to_Denmark/Pages/default.aspx

Dupla nacionalidade           

A Dinamarca não permite a dupla nacionalidade, embora lei alterando tal situação esteja tramitando pelo país. Destaca-se que, no Brasil, nacionais devem entrar e sair portando passaporte brasileiro. Assim, cidadãos com dupla nacionalidade devem viajar necessariamente com o passaporte brasileiro. Mais informações estão disponíveis no aviso Brasileiros com dupla nacionalidade.

Informações adicionais       

Ministério das Relações Exteriores da Dinamarca   

http://www.um.dk/en/menu/ConsularServices/DanishVisaRules/  

Embaixada Real da Dinamarca        

http://www.ambbrasilia.um.dk

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países.

Trabalhar no exterior

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Ciência sem Fronteiras       

No âmbito do programa "Ciência sem Fronteiras" O Governo do Brasil tem adotado ampla política de concessão de bolsas para que jovens brasileiros possam estudar em universidades no exterior. Para solicitar assistência durante sua estada em outros países,  bolsistas do programa podem contatar a Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo ou o Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) em Brasília. Para dúvidas técnicas sobre aspectos do programa ou auxílio financeiro, os estudantes poderão contatar a CAPES ou o CNPq diretamente. Para mais informações, recomenda-se leitura da página "Apoio ao bolsista no exterior", disponível no sítio do Programa Ciência sem Fronteiras, em http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/apoio-ao-bolsista-no-exterior

Trabalho irregular  

O tratamento dado a brasileiros encontrados trabalhando ou residindo de forma irregular é a deportação (rito em geral célere).

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a  Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante.

Perda de documentos brasileiros   

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura das informações da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Vítimas de crimes

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

Segurança pública   

O perigo em termos de instabilidade política é praticamente inexistente. Em termos de terrorismo, o risco é reduzido, porém não desprezível, uma vez que a Dinamarca é integrante da coalizão militar contra o IS.O único risco, pouco frequente, refere-se a furtos ("batedores" de carteira)em zonas de grande concentração de público.

Compensação

O Governo dinamarquês oferece programa de compensação para vítimas de crimes violentos e de propriedade. Cidadãos estrangeiros vítimas de crimes podem solicitar compensação. Formulários estão disponíveis nas delegacias do país. Mais informações podem ser encontradas em http://www.erstatningsnaevnet.dk/da/GlobalMenu/english.aspx

Viagens a Christiania         

A cidade livre de Christiania, localizada na ára de Christianshavn, em Copenhague, é uma área independente e autogestionada da Dinamarca, e tem sido considerada um ambiente hostil a turistas estrangeiros, sobretudo devido ao comércio de drogas ilícitas. Confrontos entre autoridades policiais e grupos ligados ao tráfico que operam em Christiania ocorreram em 2014. Na região, é proibido tirar fotografias. Atendimento médico e policial pode ser limitado na área.

Viagens à Groelândia         

Cidadãos brasileiros que pretendem viajar à Groelândia precisam ter em mente que serviços médicos e de resgate podem ser limitados, devido às longas distâncias entre as áreas povoadas da ilha. Cidadãos estrangeiros devem contratar guias para explorar a ilha, caso desejem fazer trilhas, montanhismo ou qualquer outro tipo de esporte.  

Furtos e roubos        

Furtos e roubos podem ocorrer em áreas de grande concentração de pessoas e em estações de trem, particularmente a estação "Copenhagen Central". Há relatos de objetos furtados de turistas no aeroporto de Copenhague e nos portos do país. Aconselha-se aos viajantes estrangeiros que não se descuidem de seus bens e pertences.           

Manifestações populares     

Na Dinamarca, aprovação policial é necessária para ocorrência de protestos. Ainda que esses protestos sejam pacíficos, recomenda-se que cidadãos brasileiros evitem áreas com registro de manifestações, já que esse tipo de atividade pode escalar para conflitos em caso de confrontação com autoridades policiais locais.

Instituições fraudulentas

Recomenda-se aos brasileiros que planejam viajar à Dinamarca para estudar que se informem sobre a situação das instituições de ensino escolhidas. Antes de viajar, cidadãos brasileiros devem checar as informações sobre idoneidade das instituições e verificar aquelas credenciadas junto ao Governo local.

Terrorismo   

Não há registro de incidentes terroristas no país. Em 2005 e 2010, o país enfrentou ameaças de terrorismo após publicações polêmicas de charges satirizando temas islâmicos. Em 2011 e 2012, indivíduos foram detidos sob acusação de planejamento de atentados terroristas no país. Para mais informações sobre atentados terroristas, recomenda-se seguir cuidadosamente as instruções contidas no guia Atentados terroristas no exterior.

Xenofobia     

Membros de grupos étnicos minoritários visitando o país reportaram assédio verbal e violência durante sua permanência. Nesse caso, aconselha-se que cidadãos brasileiros não reajam, para evitar que a violência escale, afaste-se imediatamente do local e denuncie a ocorrência a autoridades policiais e, se necessário, à Embaixada do Brasil. 

Assédio sexual e crimes contra a mulher  

Denúncias de assédio sexual são raras, mas podem ocorrer em qualquer país, independentemente do destino escolhido. Mulheres devem evitar andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas.

Mais informações estão disponíveis no aviso Mulheres em viagens ao exterior.

Tráfico de pessoas   

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Caso seja vítima ou tenha alguma informação sobre eventual caso de tráfico internacional de pessoas envolvendo cidadão ou cidadã brasileira, recomenda-se fortemente que procure a Representação consular, para relatar o caso e receber orientações. Os dados serão tratados com a devida confidencialidade. Mais informações estão disponíveis em http://www.justica.gov.br/sua-protecao/trafico-de-pessoas

Contatos importantes          

Número para emergências: 112 e 1813, para emergências médicas e policiais.

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.

Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.

Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde (OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.

Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências.

Rede de saúde          

O sistema de saúde dinamarquês combina serviços públicos e privados. Todos têm acesso à saúde pública, mas estrangeiros sem CPR (Civilian Personal Registration, ou registro civil local) encontram dificuldades em marcar consultas ou obter medicamentos nas farmácias. As instalações médicas são de excelente qualidade, com hospitais modernos e plenamente equipados.

Viagens à Groelândia         

Na Groelândia, os serviços médicos fora do povoado de Nuuk podem ser extremamente limitados, tanto em número de instituições quanto nas opções de tratamento disponíveis, e as grandes distâncias entre as áreas com população podem causar dificuldades para prestação rápida de socorro, em caso de emergências.  

Farmácias e medicamentos

Existe, tanto na medicina pública quanto na privada, grande restrição ao uso de medicamentos, a automedicação é condenada, e muitos remédios de uso amplo no Brasil requerem receita médica na Dinamarca (medicamentos para colesterol, analgésicos). Recomenda-se, portanto, que turistas brasileiros façam abastecimento de remédios em quantidade suficiente para durar o tempo necessário. A maioria dos médicos privados também resiste a fornecer remédios que seriam considerados normais no Brasil. A decisão sobre seguir ou não tratamentos com base nessa filosofia depende de cada um, mas é importante estar precavido para as restrições locais.

Contatos importantes          

Pelo número 112, há atendimento em inglês para casos de urgência médica. Para outras emergências (dores agudas, pioras de quadro crônico, etc), o número é 1813, no qual uma enfermeira verifica se é caso de hospital ou não. Chegar a um hospital público sem passar por essa primeira etapa pode significar não ser nem examinado, a não ser em casos claros de urgência médica.

Transportes

Infraestrutura de transportes

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular.

Transporte aéreo     

O aeroporto de Copenhague é moderno, movimentado e oferece excelentes serviços, com voos diretos para a maioria das capitais europeias. As autoridades dinamarquesas operam em obediência às normas de segurança definidas pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). Não há conexão direta com o Brasil.

Transporte público  

O sistema de transporte público é eficiente e confiável, em todo o país.  A rede de transporte público é extensa e cobre grande parte do país.         

A capital do país (e algumas outras cidades maiores) conta com excelente rede de transporte público (metrô, trem ou ônibus).  O transporte público em Copenhague é consideravelmente pontual e a malha é extensa. Metro, S-tog (trem urbano e interurbano), outras malhas férreas, ônibus e ônibus aquáticos, são todos acessíveis pelo mesmo tipo de bilhete. No entanto, paga-se mais que em outras capitais europeias. Além disso, a escolha do tipo de bilhete e o zoneamento da cidade são difíceis de entender.

Em qualquer bilhete, um adulto pode viajar acompanhado de até duas crianças de até 12 anos gratuitamente. Caso a criança viaje sozinha, precisará ter um bilhete infantil próprio. Para uso esporádico (por exemplo, para hóspedes), há bilhetes como o Copenhagen Card ou o 24 horas. Para uso diário, recomenda-se o “periodekort” ou o “rejsekort” –  nesses casos, será preciso apresentar comprovante de residência e documento de identificação.

Rejsekort: Trata-se de um cartão pré-pago, em formato de cartão de crédito, de uso individual. Basta “recarregar” o cartão. A cada trecho da viagem, em qualquer modalidade de transporte público, é preciso passar o cartão num aparelho de leitura, que vai descontar o preço do trecho da viagem. A desvantagem é que é difícil calcular quanto custa cada viagem. Se o usuário esquecer de passar o cartão em algum trecho, será punido com uma multa no valor da recarga.

Periodekort: permite número ilimitado de viagens durante o período pago (normalmente 30 dias), dentro das zonas que constem no cartão, em qualquer modalidade de transporte público. A única desvantagem é que se o usuário sair dessas zonas, precisará comprar bilhete complementar.

É possível comprar os bilhetes via celular, baixando o app Mobilbilletter Hovedstaden (clicar em Indstillinger e depois em Sprog – English). Pelo site http://www.rejseplanen.dk/bin/query.exe/en (em inglês) é possível digitar local de destino e de origem. O site calcula as sugestões de transporte público, com hora e mapa.

Taxis  

Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar taxis avulsos.

Transporte rodoviário

As rodovias dinamarquesas são de alta qualidade e conectam todas as áreas do país. É possível atravessar o país em poucas horas. Há serviço de assistência nas estradas, e o número de acidentes é mínimo. As leis de trânsito são rigidamente controladas pelas autoridades locais, e as multas podem assumir valores expressivos.        

A Groelândia não possui sistema rodoviário, e quase todas as viagens internas são feitas a pé, por barco ou avião.

Ciclismo        

Há, na Dinamarca, grande disponibilidade de ciclovias e bicicletas de aluguel. As dificuldades no tráfego limitam-se à atenção necessária com a circulação de bicicletas, que é  preferencial. Há registro considerável de acidentes envolvendo ciclistas no país.

Infraestrutura turística

Orientações gerais    

Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Infraestrutura turística       

O Reino da Dinamarca é um país altamente desenvolvido, e as instalações turísticas são da mais alta qualidade, estando disponíveis mesmo em áreas remotas.        

Clima

País de clima temperado, a Dinamarca caracteriza-se por invernos não muito frios (com temperaturas médias em janeiro e fevereiro de 0 °C) e verões não muito quentes (a temperatura média em agosto é de 15,7 °C). Há quatro estações bem definidas. Neva moderadamente entre dezembro e março. Devido à sua localização, a Dinamarca é o país escandinavo com temperaturas mais amenas durante todo o ano, mesmo no inverno (entre outubro e março, mínimas historicamente registradas de -5 graus centígrados;). O país tem uma média de 712mm de precipitação por ano; o outono é a estação do ano mais chuvosa e a primavera é a mais seca. A duração dos dias varia muito na Dinamarca. No inverno, o período de sol vai das 9:00 às 16:00 horas; no verão, das 4:30 às 22:00 horas.

Cartões de crédito e débito

Cartões de crédito e débito são aceitos normalmente na Dinamarca         

Comunicação e idiomas      

A língua nacional, o dinamarquês, é próxima do sueco e do norueguês. Grande parte da população, em especial em Copenhague, é fluente ou proficiente na língua inglesa, mas a vida diária funciona em dinamarquês – periódicos, televisão, contas, mensagens gravadas nas secretárias eletrônicas e serviços automatizados.

Opções de comércio 

A cidade de Copenhague é muito bem provida em termos de comércio e lazer. O comércio funciona das 10 às 17 horas em dias de semana, das 10 às 16 horas aos sábados e até as 15 horas aos domingos. Às quintas feiras a maioria das lojas do centro permanecem abertas por uma hora a mais.

Opções de lazer        

No que respeita a lazer, Copenhague conta com dois grandes teatros nos moldes tradicionais europeus, que apresentam intensa programação de ballet, concertos e ópera em nível internacional. O acesso à informação sobre os espetáculos é, no entanto, um pouco prejudicado pelo fato de que a maioria da divulgação é feita apenas na língua local. Existem também vários teatros menores, que apresentam peças em dinamarquês, na maioria dos casos. A cidade tem salas de cinemas em quase todos os bairros, com programação razoável, e uma Cinemateca no centro, com excelentes apresentações.

Gastronomia            

Copenhague conta com muitos restaurantes de nível variado, e ampla oferta de opções de cozinha, com faixas de preço muito semelhantes. É considerada uma cidade onde comer fora é caro, sobretudo à noite. Há uma grande diferença entre os preços e oferta de cardápios para almoço ( mais simples e acessível) e jantar.

Padrões de rede elétrica      

O tipo dinamarquês de tomada é "Type K" Danish SRAF 1962/DB (3 pinos). O europlug também é muito comum - "Type C" European CEE 7/16 Europlug (2 pinos). Como no restante da Europa, o padrão é de 220 volt (50Hz).

Ligações internacionais       

Pelo plano Brasil Direto, a Embratel oferece a possibilidade de que cidadãos brasileiros possam ligar para um número telefônico no Brasil a partir de telefone público, fixo ou celular no exterior. As ligações são pagas somente a partir do Brasil. Em caso de dúvidas, é possível contatar um telefonista da Embratel, que atende em português. Para mais informações sobre o plano Brasil Direto, inclusive sobre países de abrangência e valores, consulte o portal da Embratel, em http://portal.embratel.com.br/fazum21/brasil-direto/numeros-de-acesso/

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.        

Questões de gênero

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam  detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior. 

Prisão de cidadão brasileiro

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior.

Identificação 

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Particularidades culturais  

Os costumes locais são familiares à cultura ocidental-cristã e, portanto, muito semelhantes àqueles observados pelos brasileiros no exterior.

Groelândia   

Embora a Groelândia seja uma região autônoma, é parte do Reino da Dinamarca, e as leis dinamarquesas se aplicam aos viajantes àquela região. Legislação específica da Groelândia restringe a remoção de recursos naturais, incluindo metais preciosos e pedras em geral.

Sincretismo cultural            

Trata-se de um país “monoétnico”. De acordo com estatísticas de 2012 , 89,6% da população de pouco mais de 5,5 milhões é de “ascendência dinamarquesa” (pelo menos um genitor nascido na Dinamarca e com nacionalidade dinamarquesa). Muitos dos 10,4% restantes são imigrantes ou descendentes de imigrantes recentes de países vizinhos, além de Turquia, Iraque, Somália, Bósnia -Herzegovina, sudeste asiático e Oriente Médio. Em 2009, 90,5% da população era etnicamente dinamarquesa e o crescimento constante do contingente tem reforçado percepções de xenofobia em relação aos mesmos.

Minorias       

A Dinamarca é reconhecida como um dos países que mais observam e defendem os direitos das minorias.

Tolerância LGBT    

O casamento homoafetivo é permitido na Dinamarca, e cidadãos LGBT gozam de plenos direitos no país. Para mais informações, recomenda-se a leitura cuidadosa do aviso LGBT em viagens ao exterior.

Tolerância religiosa

A Constituição Dinamarquesa prevê a liberdade de culto. A Igreja Nacional Dinamarquesa (Folkekirken, literalmente: "Igreja do Povo"), formalmente conhecida como Igreja Evangélica Luterana na Dinamarca, é a Igreja do Estado e maior denominação religiosa da Dinamarca e da Groenlândia. Desde a Reforma Protestante , a igreja é evangélica luterana, e igreja estatal da Dinamarca, sendo o monarca dinamarquês sua autoridade suprema.

Portadores de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida     

Indivíduos com deficiências são protegidos por leis anti-discriminação e têm acessibilidade garantida no país. Todas as formas de transporte público possuem acomodações para pessoas com mobilidade reduzida. Informações sobre acessibilidade podem ser encontradas no portal http://www.visitdenmark.com/en-us/a-z/6244, bem como na página Pessoas com deficiência em viagens ao exterior.

Prostituição

A prostituição é profissão regulamentada na Dinamarca. A prostituição em si não constitui crime no país. No entanto, as atividades em torno da prática são proibidas, quais sejam: solicitar ou importunar outras pessoas em local público para tais fins, o que se aplica à prostituta e ao cliente, vadiagem para fins de prostituição, controlar ou dirigir atividades desse tipo, coagir alguém a se prostituir, viver dos ganhos da prostituição alheia e manter estabelecimentos com esta finalidade. Também é proibido anunciar publicamente serviços de prostituição.             

Entorpecentes          

O único registro de problemas específicos com viajantes brasileiros, cujo número tem aumentado em anos recentes, diz respeito ao uso de drogas, tolerado apenas no bairro alternativo de Cristiania, em Copenhague. É comum que turistas brasileiros atribuam à Dinamarca maior permissividade de costumes do que a realidade. O porte de pequenas quantidades de drogas pode redundar em prisão, multa ou deportação, ainda que, nos casos verificados, as penalidades não tenham sido severas.

Feriados nacionais   

Os feriados locais são poucos e se restringem praticamente, mas não exclusivamente, a Natal, Ano Novo e feriados de Páscoa.

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Prisão perpétua

A legislação dinamarquesa prevê a pena de prisão perpétua para os  casos homicídios dolosos, terrorismo e ofensas graves à Constituição ou às Autoridades superiores. A aplicação é bastante restrita. Normalmente, as penas são revistas após doze anos de reclusão em presídios de segurança máxima.  

Informações adicionais

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.

 

Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com a Dinamarca clique aqui.

Fim do conteúdo da página