Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Guiné

Alertas para este país

Sem alertas para este país.

Informações básicas

Capital Conacri
Língua Francês
Moeda Franco da Guiné
Validade do passaporte Deve ser valido no momento de entrada
Página do passaporte em branco Uma página é necessária
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações sim
Restrições de moeda para entrar Não há
Restrições de moeda para sair Não há

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

 

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

X

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Viagens não-essenciais à Guiné devem ser evitadas por cidadãos brasileiros. Se possível, a viagem deverá ser reconsiderada, optando-se por destino alternativo que ofereça menor risco a nacionais do Brasil.Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página.

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato da Embaixada do Brasil em Conacri, que, se necessário, poderá prestar assistência consular a nacionais na Guiné.         

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar. Os Postos com serviço consular estão a disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular para saber o que uma Repartição consular pode ou não pode fazer por você.

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos "Segurança" e "Saúde" do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.          

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado.  Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar. 

 

Embaixada  do Brasil em Conacri

Endereço: Place Samory Touré, Résidence 2000, 5ème étage, Immeuble de l´Administration Coléah, Moussoudougou - Commune de Matam Conakry - République de Guinée.          

Telefone: (224) 664 20 21 11

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site da Repartição: conacri.itamaraty.gov.br/

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

Consulado Honorário em Boké

Titular: Mohamed Faouaze

Endereço: Quartier Tomboyah face de la Préfecture et l'Hôpital - BP 3200 - Boké

Telefone: (224) 64223274 e (224) 68223274.

 E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo./Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira       

A comunidade brasileira na Guiné já chegou a contar com algumas centenas de residentes.  Todavia, nos anos de 2013 e 2014, em que as atividades econômicas no país se contraíram devido ao êxodo de grandes mineradoras (como a VALE) e à eclosão da epidemia de Ebola, seis das sete empresas brasileiras que operavam na Guiné encerraram, ou suspenderam temporariamente, suas atividades no país.  Em março de 2015, apenas uma empresa brasileira continua operante na Guiné: a Construtora OAS, que realiza obras de infraestrutura viária. Os cerca de 20 funcionários brasileiros dessa empresa constituem, atualmente, cerca 70% do total dos brasileiros residentes na Guiné, hoje em torno de 30.  Os demais são empresários brasileiros estabelecidos permanentemente no país, alguns missionários, e suas famílias.

Principais destinos   

A maioria dos brasileiros residentes na Guiné residem e trabalham em Conacri.  Apenas alguns missionários realizam suas obras de evangelização e assistência social em outras cidades, tais como Forécariah e Boké.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela          

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto  

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Vacinação     

Todos os estrangeiros que desembarcam no aeroporto internacional de Conakry-Gbéssia, salvo os bebês menores de 1 ano de idade, devem estar munidos de certificado internacional de vacina contra a febre amarela. Autoridades da África do Sul costumam exigir que vacinação contra febre amarela tenha sido aplicada há pelo menos 14 dias antes da viagem. Caso a chegada ao país se dê por meio de conexão na África do Sul, deve-se atentar à norma sul-africana.            

Restrições alfandegárias     

A importação temporária de armas de fogo está sujeita a um rígido controle e necessita de autorização especial.  O mesmo se aplica á exportação de antiguidades e peças de marfim.  Recorra à ajuda da Embaixada para informações sobre o regime aduaneiro aplicável aos bens que você deseja trazer para, ou retirar da Guiné.

Dupla nacionalidade           

O país permite a dupla nacionalidade. Destaca-se, no entanto, que, no Brasil, nacionais devem entrar e sair portando passaporte brasileiro. Assim, cidadãos com dupla nacionalidade devem viajar necessariamente com o passaporte brasileiro. Mais informações estão disponíveis no aviso Brasileiros com dupla nacionalidade.

Entrada de menores            

Em esforços para prevenir sequestro internacional de menores, alguns Governos estrangeiros começaram a verificar o status de menores em pontos de entrada do país. Essas verificações frequentemente incluem exigência de documentos que comprovem a relação do menor com a pessoa que o estiver acompanhando e autorização de viagem,  por escrito,  do genitor ausente. Caso um dos genitores tenha falecido, é necessário portar cópia do certificado de óbito. Para mais informações, pode-se acessar a página Viagem de menores brasileiros ao exterior.

Requisitos de saída

Todos os passageiros que partem da Guiné passam por um controle sanitário antes de serem autorizados a prosseguir para os balcões de check-in.   O controle consiste em preencher um questionário sobre seus deslocamentos pelo território do país e as pessoas com quem esteve nos últimos 21 dias, e na tomada da temperatura com um termômetro telemétrico.  O objetivo é evitar o embarque de pessoas que tiveram contato recente com pacientes da febre Ebola, ou que apresentem sintomas da doença.

Saída de menores     

Crianças cujo pai tenha nacionalidade local podem ter dificuldade para sair do país sem a autorização paterna. Mesmo que a criança tenha passaporte brasileiro e/ou tenha mãe e pai brasileiros, a lei local estipula que o pai deverá autorizar previamente a viagem para que a criança possa sair do país. A norma é válida para todos os casos, incluindo situações em que a mãe tenha guarda exclusiva da criança.

Contatos importantes          

Embaixada da República da Guiné em Brasília

SHIS QL 2 conjunto 7 casa 9 – Lago Sul

CEP: 71.610-075 – Brasília / DF

Tel:  (61) 3365-1301

Fax: (61) 3365-4921

E-mails: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Expediente: segunda a quinta-feira das 9h às 15h e sexta-feira das 9h às 12h

Consulado da Guiné

Av. Franklin Roosevelt, 194, Grupo 702- Centro – Rio de Janeiro

Tel :  (21)  22207545

Fax:  (21)  22206781

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior  

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países.

Trabalhar no exterior          

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Vistos temporários

Os brasileiros que desejarem transformar seus vistos de turista ou de negócios de curta duração (até 90 dias) em temporários, para prolongarem a sua estada na Guiné, poderão consegui-lo facilmente e a baixo custo.  Para tanto, basta comparecer à Chancelaria e solicitar o apoio da Embaixada.   Os “permis de séjour” condedidos devem ser renovados anualmente.

A Embaixada solicita, porque é do nosso interesse conhecer e manter contato regular com os brasileiros residentes, e porque é do interesse do nacional brasileiro, porque terá as suas solicitações de expedição de documentos e de todo tipo de assistência muito mais prontamente atendidas, que, no prazo máximo de uma semana após a sua chegada, compareçam à chancelaria da Embaixada, munidos dos originais ou cópias de todos os seus documentos que consigo trouxeram , para realizar a sua matrícula junto ao Setor Consular da Embaixada. 

O cartão de identidade que lhes será expedido, alguns minutos apenas após o recebimento da sua documentação, é aceito pelas autoridades guineanas como documento de identidade, permitindo aos nacionais brasileiros deixarem seus passaportes protegidos em suas residências ou hotéis onde estiverem hospedados e circularem normalmente pelo território da Guiné portando tão somente o cartão de matrícula expedido pela Embaixada.

A Embaixada solicita que os brasileiros que partirem definitivamente do território da Guiné, e àqueles que partirem para uma longa ausência, que disso dêem conhecimento à Embaixada, de preferência realizando uma visita de despedida, ou de até breve.  Dessa maneira, a Embaixada poderá manter atualizada a relação de brasileiros residentes em sua jurisdição, transmitida mensalmente ao Ministério das Relações Exteriores, em Brasília.

O conhecimento do porte da comunidade brasileira residente é importante para que o Itamaraty possa dimensionar as necessidades de pessoal na Embaixada para assisti-los com a presteza e o nível de qualidade por todos desejado. 

Viagens a trabalho  

Para a realização de entrevistas com autoridades e filmagens em logradouros públicos, os jornalistas precisam de uma autorização especial do Conselho Nacional da Comunicação (CNC).  A Embaixada poderá ajudar para a sua obtenção.

Trabalho voluntário            

Não é permitido trabalho voluntário, mesmo não remunerado, sem visto ou com visto de turista. Cidadãos brasileiros que desejam realizar trabalho voluntário no país devem contatar as autoridades locais com antecedência para informar-se sobre a necessidade de obtenção de visto adequado. 

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a  Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante.

Perda de documentos brasileiros    

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura das informações da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Vítimas de crimes     

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

ALERTA DE VIAGEM

Tendo em conta a realidade do país, recomenda-se que cidadãos brasileiros evitem viagens não essenciais à República da Guiné. Cidadãos brasileiros no país deverão permanecer em território guineense pelo mínimo de tempo necessário.

Cidadãos brasileiros na Guiné devem manter contato permanente com a Embaixada do Brasil em Conacri, ter seus documentos de viagem sempre atualizados e deixar o país o mais rápido possível.

Segurança pública   

As condições de segurança são deficientes e instáveis.  Deslocamentos noturnos e em estradas secundárias, quer na capital, quer no resto do país, são desaconselhados. Em Conacri, e à exceção do interior do país (zona florestal), as condições de segurança pública têm sido regulares durante o dia, mas deve-se evitar a ostentação de dinheiro, objetos e roupas de valor. Deve-se evitar sair à rua durante a noite. Se o fizer, circule de preferência com as portas e as janelas do carro trancadas, e evite paradas. Evite pegar táxi à noite.

Áreas restritas          

Não caminhe, nem circule à noite em ruas da zona de segurança em que se encontra o Palácio presidencial.  Se o fizer, você será detido.  Se acontecer de você vir a ser detido, dentro ou fora da zona da segurança, não hesite em solicitar a ajuda da Embaixada, mesmo em horas tardias da noite, por meio do telefone 662 41 00 00. 

Manifestações populares    

A Guiné continua a ser um país com um governo frágil e uma tênue relação com seus cidadãos.  A infraestrutura precária e a falta de serviços básicos (água, luz, coleta de lixo, hospitais, e.g.), têm levado a manifestações de protesto ocasionais, geralmente violentas, com interrupção do tráfego de veículos e apedrejamento de veículos e lojas.  Na região florestal da Guiné, também episodicamente ocorrem conflitos violentos decorrentes de disputas entre as comunidades locais e as empresas de mineração.  Ao tomar conhecimento da ocorrência de algum desses distúrbios, evite proximidade com as áreas em que eles ocorrem.  A fim de evitar prejuízos materiais e danos físicos, não tente nunca furar um bloqueio, ou forçar passagem por entre hordas de grupos (geralmente de jovens) revoltados. Ainda que os protestos sejam pacíficos, recomenda-se que cidadãos brasileiros evitem áreas com registro de manifestações, já que esse tipo de atividade pode escalar para conflitos em caso de confrontação com autoridades policiais locais.

Fraudes eletrônicas

As Embaixadas e Consulados do Brasil na África, sobretudo na África Ocidental, têm recebido, com certa frequência, denúncias de golpes financeiros pela internet aplicados por cidadãos de países daquela região. Sobre o assunto, o Ministério das Relações Exteriores divulgou o alerta Golpes pela internet. Recomenda-se leitura cuidadosa das informações do aviso.

 “Scams” transmitidos por mensagens de correio eletrônico são cada vez mais praticados na Guiné.  Esses golpes têm como alvo tanto o pessoal das empresas privadas, quanto funcionários públicos e de organizações não governamentais.  Caso você receba mensagem contendo uma oferta boa demais para ser verdade, de lucro fácil, delete-a imediatamente.  Não se deixe envolver por esses estelionatários.  Por tê-lo feito, muitas pessoas perderam grandes quantidades de dinheiro e colocaram suas vidas em perigo.

Golpes           

Os passaportes são documentos muito procurados para falsificação, pelo que é prudente que sejam guardados em local seguro (cofre do hotel, por exemplo). Leve consigo apenas fotocópia do passaporte e a carteira de matrícula consular expedida pela Embaixada, que é aceita pelas autoridades guineanas como documento de identidade hábil.

Corrupção    

Soldados do exército que participam de “military checkpoints” durante a noite, e policiais em cruzamentos durante as horas do dia muitas vezes solicitam subornos.  Caso instado por algum deles, exiba-lhes seus documentos, mas evite entregá-los em suas mãos, pois poderão lhe exigir uma quantia para devolvê-los.Caso cidadão brasileiro seja vítima ou presencie crimes de suborno, propina, fraude eleitoral, nepotismo, cleptocracia, pilhagem legal, plutocracia ou qualquer outro tipo de corrupção, recomenda-se que a Embaixada brasileira seja imediatamente notificada com vistas a que sejam acionadas as autoridades locais para denúncia e apuramento da situação.

Bagagens violadas   

Violação de bagagem pode ser um problema comum em alguns aeroportos, já tendo sido registrados incidentes envolvendo bagagens de cidadãos brasileiros em aeroportos de países africanos. Viajantes são encorajados a aumentar a segurança de sua bagagem, envolvendo malas, bolsas e valises em filme plástico de PVC e a não despachar bens de valor, como eletrônicos, joias, câmeras e cosméticos. Cidadãos devem manter lista completa dos itens da bagagem e efetuar reclamação à companhia aérea assim que perceberem qualquer violação do conteúdo de suas malas. Mais informações podem ser encontradas no guia Violação de bagagens.

Assédio sexual e crimes contra a mulher  

Denúncias de assédio sexual são raras, mas podem ocorrer em qualquer país, independentemente do destino escolhido. Mulheres devem evitar andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas. Mais informações estão disponíveis no aviso Mulheres em viagens ao exterior.

Tráfico de pessoas   

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.

Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.

Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde(OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.

Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro 

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências

Rede de saúde          

A rede de estabelecimentos de saúde é deficiente. Em Conacri, apenas as clínicas Ambroise Paré e Pasteur têm serviços de urgência aceitáveis, e estão equipadas com alguns meios de diagnóstico. De resto, os estabelecimentos de saúde não são recomendáveis, sendo necessária a evacuação imediata para outro país em caso de doença grave, pelo que é aconselhável contratar no Brasil um seguro de viagem com cláusula de repatriação. A grande maioria das despesas  de saúde  continua a ser assumida pelas populações e, por falta de estruturação e de organização do mercado, o pessoal e os equipamentos dos hospitais públicos revelam-se insuficientes para responder às necessidades.

Seguro-saúde           

Em caso de traumas, acidentes ou quaisquer outras graves situações de saúde, serviço de evacuação médica pode ser necessário. Nesse caso, recomenda-se a cidadãos brasileiros que contratem seguro de saúde internacional que cubra esse tipo de atividade. Recorda-se aos turistas que serviços de evacuação médica podem custar valores expressivos. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Medicamentos          

Traga consigo os medicamentos de uso prolongado que você eventualmente precise tomar, em quantidade suficiente para o período da sua estada na Guiné.  Embora você possa encontrar um medicamento de outro nome, mas com o mesmo princípio ativo daquele que procura, ele poderá não ser de qualidade, estar vencido e até mesmo ser falsificado. 

Vacinação     

A vacina contra a febre-amarela é obrigatória e vital. As vacinas contra a hepatite, a meningite, a poliomielite e os anti palúdicos são de regra. Autoridades de alguns países, inclusive aqueles de trânsito, costumam exigir que vacinação contra febre amarela tenha sido aplicada há pelo menos 14 dias antes da viagem. Caso a chegada ao país se dê por meio de conexão, deve-se atentar à norma local. Mais informações podem ser acessadas na página Saúde do viajante.

Endemias em geral

Epidemias de cólera são frequentes, inclusive em Conacri.  Mas essa doença pode ser facilmente evitada se praticarmos uma correta higiene alimentar.  Evite tocar em animais, sobretudo em cães que vagam pelas ruas, para evitar contrair a raiva.  A correta higiene alimentar (lavar bem os alimentos, não ingerir carne de animal silvestre ou de origem desconhecida, não beber água da bica) o protegerá contra a febre tifóide.  A febre hemorrágica do tipo Ebola pode ser facilmente evitada com observância das recomendações amplamente conhecidas de evitar proximidade com um paciente que desenvolveu a enfermidade (ultrapassada a fase de incubação) e lavar as mãos várias vezes ao dia.

Ebola

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a epidemia de febre hemorrágica ebola de 2014-2015 na África ocidental é a mais grave jamais registrada e a que, em decorrência, requer a mais intensa operação de resposta. A Guiné é um dos países mais afetados pelo surto. Recomenda-se que cidadãos brasileiros leiam, com cuidado, as informações do alerta “Epidemia de Ebola –  África Ocidental”, disponível aqui.

Convive-se com a epidemia de Ebola há pouco mais de um ano.  Nos dois ou três primeiros meses depois da sua eclosão, ela provocou uma paranoia na população e o êxodo de levas de estrangeiros. É importante ter em mente que o vírus Ebola é muito letal, mas de difícil propagação.  Para contraí-lo, é necessário ter contato físico com fluidos (suor, urina, e.g.) de paciente infectado que já manifesta a enfermidade (passada a fase de incubação), e que leve-se a mão, sem antes lavá-la, a uma mucosa do nosso corpo (à boca, a um olho, e.g.).  Por essa razão, os dois grandes grupos de risco são o pessoal médico e administrativo dos centros hospitalares e os parentes e amigos próximos dos pacientes do Ebola, escondidos em suas casas, ou que participam do funeral de uma vítima fatal do Ebola.  Nenhum estrangeiro residente na Guiné até o momento foi infectado pelo Ebola. 

São poucos os inconvenientes decorrentes da epidemia em curso que os expatriados residentes em Conacri continuam até agora a enfrentar, como o controle sanitário a que têm de sesubmeter para entrarmos no aeroporto internacional, nos hospitais, em algumas lojas e restaurantes.  O controle geralmente consiste na tomada da nossa temperatura com um termômetro telemétrico e na obrigatoriedade de lavar as mãos com gel germicida, ou água com cloro.  Pode ser que também tenham que responder a um breve questionário investigativo. 

Malária         

A Guiné tem uma elevada incidência de málaria (ou paludismo), principalmente do tipo “falciparum”. Os viajantes devem-se acautelar contra picadas de mosquitos.  Na Guiné, os mosquitos resistem à cloroquina.  Duas semanas antes de viajar, se não lhe for contraindicado, tome medicamento contendo mefloquina (250 mg em duas doses, uma em cada semana anterior à sua viagem), ou doxiciclina (100 mg, uma vez por dia durante os 14 dias anteriores à sua viagem).  Essa prescrição tem a chancela do Ministério da Saúde da Guiné.  Traga uma boa quantidade de um bom repelente, durma protegido por mosquiteiros e evite picadas de mosquito, sobretudo no horário do fim da tarde. 

AIDS

A Guiné registra uma incidência preocupante de doenças sexualmente transmissíveis, entre as quais o HIV/AIDS.  Segundo relatório do Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV e a AIDS (UNAIDS) , cerca de 1,4% da população do país pode estar contaminada com o vírus HIV. Recorda-se a cidadãos brasileiros a importância da adoção de medidas de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis. Para mais informações, o Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde (http://www.aids.gov.br/) poderá ser  consultado.

Raiva             

Casos de raiva foram reportados no país, sobretudo nas áreas rurais ou remotas, onde há mais exposições a animais como morcegos e outros mamíferos. Mesmo nas áreas urbanas, todavia, cães podem transmitir a doença e quaisquer mordidas ou arranhões devem ser imediatamente lavados com sabão e água e atendimento médico deverá ser procurado com a máxima urgência. Recomenda-se que cidadãos brasileiros vacinem-se contra raiva antes de sua viagem.

Esquistossomose      

Lagos e rios do país são áreas de risco de esquistossomose, infecção parasitária (também conhecida como bilharzia) transmitida aos seres humanos através do contato com parasitas existentes na água. Evite nadar em áreas onde há lama ou lodo no fundo do lago.

Água  

Deve-se beber-apenas água engarrafada e evitar o consumo de gelo.Na Guiné nem mesmo os locais bebem água da bica.  Nas cidades, todos consumem água mineral engarrafada, e com ela fazem o gelo.  Por toda parte, encontram-se ambulantes que  oferecem saquinhos de água mineral da fonte de Coyah, próxima a Conacri.  Às vezes, gelada, mas nem sempre, devido à escassez de energia elétrica no país. 

Intoxicação alimentar          

Na Guiné, evita-se comer alimentos não cozinhados, principalmente frutas comidas com a casca, se não adequadamente lavadas.

Contatos importantes           

Clinique Ambroise Paré

Endereço: Camayenne, Commune de Dixinn

Tels. : 623 40 19 40, 624 68 57 11

Urgências : 624 01 01 01 ou 624 02 02 02

E-mail : info@cliniqueambroiseparé.com; Website :www.cliniqueambroisepare.com

Dr. Saad, Urologista (fala francês, inglês e árabe)

Tel.: 628 35 10 10 / 664 25 13 44 / 631 35 15 58

Dr. Khalil Zaine, oftalmologista (fala francês e inglês)

Tel.: 664 25 37 01; Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dr. Diawara, pediatra

Tel.: 631 61 19 07; Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Clinique Pasteur

Endereço: Quartier Manque Pas

Tél.: 621 35 01 01/ 664 26 98 53

Dr. Ben Baba, cardiologista (fala francês e inglês)

Tél.: 664 28 91 21

* Serviços: Odontologia, Pediatria, Ginecologia, Medicina geral, laboratório e raio-x. Ambiente limpo.

 

Polyclinic Fei-Tsoei

Endereço: Route de Niger, Madina Sigle – Conakry

Tél.: 664 32 66 47

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dr. Lai Cui Ling, dentista (fala francês, inglês e chinês)

Tél.:  664 32 66 47 / 55 47 11 53

* Serviços: Odontologia, Pediatria, Ginecologia, Medicina geral, laboratório e raio-x. Ambiente limpo.

 

Socio-Medical Center / Embaixada da França

Endereço: Embaixada da França, Centro, Commune de Kaloum

Dr. Patrick Perrin, generalista (fala francês e inglês)

Téls.: (224) 631 35 11 28 / 664 25 86 53 / 622 66 10 61

Dr. Maryvonne Hinardbocquel, dentista

Tél.: 622 66 26 82

Emergências: 631 35 42 10 / 664 57 01 92

* Serviços: Pediatria, Medicina geral, odontologia, laboratório e raio-x. Ambiente padrão.

 

Mère et Enfant

Endereço: Kipé, Commune de Ratoma

Tél.: 622 28 07 57/ 664 24 02 18

Dr. Ibrahima Balde, pediatra

Tél.: (224) 622 21 17 81

* Serviços: Odontologia, Pediatria, Ginecologia, Medicina geral, laboratório e raio-x. Ambiente limpo.

 

Cabinet Duranteau

Endereço: Pont Kakimbo, Commune de Ratoma

Tél.: 664 67 45 66 / 657 67 45 66

Dr. Duranteau, ginecologista

* Serviços: Pediatria, Ginecologia, Medicina geral, laboratório e raio-x. Ambiente não muito limpo.

 

Polyclinique Maison Neuve

Endereço: Lambanyi Commune de Ratoma

Tél.: 662 31 71 28/662 31 71 29/662 31 71 30

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dr. Abatty O. Corneille, generalista (Coordenador)

Tél.: 666 35 44 41

Services: Pediatria, Ginecologia, Medicina geral, Odontologia, Farmácia, Ambulâncias equipadas, Laboratório, Raio-x, Cerography, Endoscopia, O.R.L e  Restaurante. Ambiente limpo.

Serviços de hospitalização oferecidas:

Laboratório com raio-x, Endoscopia.

 

CIMED

Endereço: Hamdallaye Mosquée, Route du Village CBG, Commune de Ratoma

Tél. : 631 54 54 46 ; Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dr. Bah, radiologista, tél.: 657 69 81 82

Dr. Nelly Bangoura, Ginecologista : tel.: 622 90 56 57 / 631 35 30 91

* Services: Raio-x, Ginecologia e Obstetrícia.

 

Clínica veterinária

Route de Prince, Minière, près de l’Ambassade de Guinée Bissau – Commune de Ratoma

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dr. Seydouba Camara, veterinário

Tél.: 664 25 61 54

* Services: consultas e tratamentos, testes de laboratório, vacinação e pequenas cirurgias. Ambiente limpo.

Transportes

Infraestrutura de transportes         

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular.

Transporte aéreo     

O único aeroporto internacional da Guiné é o de Conacri-Gbéssia. Recentemente reformado e aumentado, é agora um aeroporto de porte médio, dotado de amplos espaços e salas VIP tanto para passageiros que embarcam, quanto para aqueles que desembarcam. Oferece bom nível de asseio e de conforto.

O custo do bilhete aéreo da Royal Air Maroc é mais econômico que o da Air France.  Os vôos dessas duas aerolíneas, a partir de Paris e de Casablanca, são diários.  Ambos são seguros e costumam chegar nos horários previstos. 

Devido ao atual surto de vírus Ebola na Guiné, verificou-se uma redução do número de voos internacionais. 

Transporte ferroviário

Não há transporte ferroviário de passageiros.

Transporte marítimo

O porto de Conacri não costuma receber barcos de recreio, mas é um porto de águas profundas, servido pelas principais companhias de transporte marítimo.

Transporte público  

Inexiste transporte público.  Quem não tem o seu próprio veículo, se desloca em táxis populares, exclusivos (mais caros), ou coletivos, e vans (geralmente superlotadas).  A capital, Conacri, não conta com sequer um sinal de trânsito.  Belas pick-ups de último tipo disputam espaço com velhas charangas em ruas estreitas, sem calçadas, com esgotos a céu aberto.  Os engarrafamentos são constantes. 

Taxis  

Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar táxis avulsos.

Transporte rodoviário

A rede rodoviária é extensa (total de 43.493 Km) e pavimentada entre as principais localidades, mas poucas são as estradas que se encontram em bom estado de conservação. As estradas são, no geral, sinuosas e estreitas e esburacadas (devido à falta de investimentos nos últimos dez anos).

Rodovias nacionais (7.000 Km, dos quais 2.400 Km pavimentados, 4.600 não pavimentados):

N1 : liga Conacri - Coyah - Kindia - Mamou - Dabola - Kouroussa - Kankan

N2 : liga Mamou - Faranah - Kissidougou -Guékédou - Macenta - Nzérékoré - Lola

N4 : liga Coyah - Forécariah - Farmoreya

N5 : liga Mamou - Dalaba - Pita - Labé (région du Fouta Djalon)

N6 : liga Kissidougou - Kankan - Siguiri - Bamako (Mali)

N20 : liga Kamsar - Kolaboui – Boké

* Estradas prefeitorais: 15.513 Km; estradas comunitárias: 20.980 Km.

Não é recomendável circular fora das localidades à noite. Recomenda-se prudência com os condutores locais.

Infraestrutura turística

Orientações gerais    

Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Infraestrutura turística       

Na Guiné, um dos países de menor desenvolvimento, as instalações para o turismo são mínimas. Existem alguns bons hotéis em Conacri, inclusive um de 5 estrelas, abaixo listados. Fora da capital, os hotéis são raros e de baixo nível de conforto e higiene. 

A Embaixada não tem conhecimento de nacional brasileiro que tenha vindo à Guiné para a prática do turismo, simplesmente para conhecer as belas paisagens e sua riqueza cultural. Os brasileiros vêm à Guiné para trabalhar ou para negócios. 

Clima

A Guiné é um país de clima tropical, com apenas duas estações: a chuvosa (de maio e outubro) e a seca (novembro-abril).  Em Conacri, a temperatura é sempre agradável, variando entre 22 e 32 graus.

Opções de comércio

Existem alguns bons supermercados em Conacri, onde encontramos uma ampla gama de alimentos industrializados, queijos, sorvetes, utensílios para a casa, produtos de higiene, água mineral local e importada, sucos, refrigerantes, cerveja local e importada, vinhos e todo tipo de bebida alcoólica, conhaque e champanhe inclusive, tudo importado da França, do Marrocos ou do Líbano.  Em alguns dos estabelecimentos, pode-se encontrar feijão preto, tapioca, picanha e carne de sol.  No entanto, como a frequência da chegada de navios diminuiu com o atual surto de Ebola, alguns artigos importados desapareceram das prateleiras dos supermercados.  Alguns artigos produzidos em regiões mais distantes de Conacri custam hoje mais caro. 

Opções de lazer        

Contam-se pelos dedos das mãos os cinemas, teatros e salas de espetáculo.  São poucos também os bons restaurantes e as áreas de lazer.  Conacri  fica numa península, cercada de praias sem areia, cobertas de pedras, quase todas sujas (inexiste serviço público de coleta; o lixo jogado no mar acaba se acumulando nas praias).  No entanto, a natureza na Guiné é esplendorosa, com muitos rios, montanhas (Fouta Djalon, Simandou, Nimba, e.g.) e grandes florestas.  A tão somente 40 Km de Conacri, podemos visitar as belas cascatas de Soumba. 

Opções culturais      

Apresentações de cantores, conjuntos musicais e trupes de dança são frequentes. O corpo diplomático comparece rotineiramente a eventos no Centro Cultural Franco-Guineano (mantido pela Embaixada da França), onde artistas guineanos e de outros países africanos se apresentam regularmente. 

Fuso-horário

A diferença de fuso horário é de +3, ou seja, 12:00h em Brasília, 15:00 h em Conacri.  No período do horário de verão no Brasil, essa diferença se reduz, naturalmente, para +2. 

Cartões de crédito e débito

O uso de cartão de crédito na Guiné ainda é incipiente, restrito a tão somente alguns hotéis, supermercados e restaurantes.  Existem alguns caixas automáticos (terminais ATM) para o recebimento de pequenas quantias, mas de funcionamento aleatório, ou seja, ora funcionam, ora não funcionam, por falta de eletricidade ou de numerário.  Traga dólares ou euros em espécie, em quantidade suficiente para os seus gastos nos primeiros dias da sua estada.

Bancos          

Se você vier para residir temporariamente na Guiné, poderá abrir conta em dólares ou euros em um banco de primeira linha (como o Ecobank e o BICIGUI) e fazer retiradas nessas moedas.

Sistema de telecomunicações          

A rede telefónica fixa é explorada pela estatal Soltegui. Os maiores operadores de telefonia celular são a Areeba e a Orange. Em geral, as comunicações telefônicas são baratas e de qualidade razoável (com cobertura variável no país) dentro de cada rede, mas funcionam mal para outras redes e para ligações internacionais. Em Conacri, provedores como a Mouna e a Orange oferecem serviços de Internet de boa qualidade, inclusive conexão por fibra óptica.

Informações adicionais       

Tanto o Setor Consular, quanto o de Promoção Comercial (SECOM) da Embaixada poderão ajudar os brasileiros que viajarão à Guiné a se munir da documentação imigratória e sanitária necessária e fazer escolhas sensatas de onde se hospedarem, aonde ir, como se trajarem, como se comportarem em face das idiossincrasias culturais do país, e como alcançarem os objetivos da sua viagem.

O contato com o Setor Consular pode ser feito pelo telefone (00xx224) 664 51 05 30, ou pelo e-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .  A encarregada do Setor é a Sra. Halima Diallo.  O contato com o Setor de Promoção Comercial pode ser feito pelo telefone (00xx224) 662 41 00 00, ou pelo mesmo endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .  O interlocutor da Embaixada para empresários e autoridades públicas brasileiras é o Ministro Conselheiro Alírio de Oliveira Ramos, chefe do Posto.

Hospedagem

PALM CAMAYENNE, Quartier Camayenne Corniche

Tel.: 656 10 10 10

E-mail : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Website : http://www.palmcamayenne.com/pack-ong-s-tous-ensemble-contre-l-ebola.html

 

HÔTEL MILLENIUM        
Quartier Landréah, Commune de Dixin       
Tel.: 666 26 36 00 ; 623 623 623

E-mail : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.;
Website: http://www.milleniumsuites.com/fr/nos-suites

 

HÔTEL RIVIERA ROYAL, Taouyah, Kaloum

Tel.: 664 22 33 04

E-mail : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website:www.rivieraroyalhotel.com

 

HÔTEL NOVOTEL, Boulbinet, Kaloum

Tels: 622 08 90 18 ; 664 31 21 91

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. , Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website :www.novotel.com

 

HÔTEL MARIADOR PALACE

Tels: 666 31 20 10/628 68 00 68/631 80 87 82

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website:www.mariadorpalace.com

 

HÔTEL LE ROCHER, Sandervalia

Tels: 631 55 98 77, 657 07 07 07

E-mail : hôEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website: www.hôtel-rocher.com

 

HÔTEL PETIT BATEAU, Coronthie, Kaloum

Tel.: 631 40 61 06

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website : www.hotelpetibateau.net

 

GRAND HÔTEL DE CONAKRY, Cité Chemin de fer, Corinthie, Kaloum

Tels: 664 20 20 62 ; 664 41 26 44; 622 41 33 84

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; www.conakry.hotel.com.cn

 

HÔTEL DU GOLFE DE GUINEE, Minière, à 100m de la station Total, Dixinn

Tel: 664 25 94 78

E-mail : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website : www.hoteldugolfedeguinee.com

 

HÔTEL RESIDENCE DU MIEL, Côté de Sylla Lamine, Minière, Dixinn

Tels.: 664 25 36 75, 601 54 95 48

E-mail: leshôEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ; Website: www.leshotelslemiel.doomby.com

 

HÔTEL GOLDEN PLAZZA, 7 Av.Almamya. Kaloum

Tel.: 628 09 04 09

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Website: http://www.hotelgoldenplaza.net

 

HÔTEL LITTLE HAVANA, Kipé Dadia, Ratoma

Tels: 633 79 08 31, 622 79 08 30, 628 78 33 69 ;

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Website : http://www.nexpages.com/gn/hotel-little-havana-conakry-guinee-1154

 

HOTÉIS EM OUTRAS CIDADES DA GUINÉ

 

HÔTEL BEL AIR, cidade de Boffa

Tels.: 664 67 50 26; 657 20 87 87 ; 657 91 48 99

 

HÔTEL KANKANDE, Koulifanya, cidade de Boké

Tels.: 666 44 06 87; 666 41 50 95; 664 22 47 90

 

Hôtel Masabi

Coopérative Kanya Nema/GFPFL, cidade de Kindia

Tels. : 664 28 01 98 / 628 64 15 96 / 631 15 46 56

E-mail. Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Hôtel Bakonko, cidade de Kankan

(En venant de la ville à droite, avant l'entrée du pont sur le Milo.)
Tel. : 664 69 70 45

 

Hôtel Safatou, a 4 Km da cidade de Labé

Tel. : 623 49 15 95, 660 51 90 03, 657 57 02 24

E-mail :: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local         

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.        

Questões de gênero  

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam  detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior

Prisão de cidadão brasileiro             

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior.

Identificação 

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Respeito às leis locais

Reforça-se ao turista brasileiro a importância de que as leis locais sejam estritamente seguidas durante a permanência no país. Desobediência aos valores locais, incluindo os mais conservadores, e qualquer crítica pública ao Governo, à religião ou aos costumes podem gerar deportação e, mesmo, prisão.

Particularidades culturais  

Os guineanos se identificam fortemente às suas famílias e às suas etnias e tendem a reservar a esses dois grupos os seus préstimos e a sua confiança.  Em algumas regiões, existem tensões interétnicas e entre seitas religiosas.

É importante ter em mente que o que é legal no Brasil poderá ser ilegal na Guiné. Evite, portanto, dizer alguma coisa ou proceder de uma forma que possa desagradar, constranger, ou até mesmo ofender, os guineanos à sua volta. 

Tenha sempre em mente que a Guiné, embora constitucionalmente seja um estado laico, é um país de cultura e tradição islâmica.  O livro sagrado para a maioria dos guineanos não é a Bíblia, é o Alcorão.  São raríssimos os templos cristãos na Guiné.  O que se vê por toda parte são mesquitas.  As festas religiosas celebradas nos dias feriados são aquelas do calendário muçulmano.  É comum vermos guineanos ajoelhados sobre pequenos tapetes, rezando a qualquer hora do dia, nas ruas e até mesmo nos corredores dos edifícios.  Nas tardes das sextas-feiras, as mesquitas ficam repletas e as repartições públicas literalmente vazias – funcionários e chefes, inclusive ministros de estado, todos saem para ir rezar nas mesquitas.  Às sextas-feiras, é comum os guineanos trajarem roupas típicas muçulmanas (os homens vestem o uma túnica longa, chamada “bubu”), como fazem, inclusive, o Presidente e o Primeiro Ministro.

 Vestuário     

As mulheres guineanas são livres para se vestir à muçulmana (o que todas fazem às sextas-feiras), ou à ocidental.  Podem, inclusive, usar calça comprida.  À noite, principalmente, vêem-se mulheres usando saia curta.  As mulheres na Guiné são livres para trabalhar, dirigir veículos, integrar as forças armadas e policiais, se organizar em associações de mulheres, enfim, gozam de amplas liberdades. 

Fotografias

Evite tirar fotos de edifícios governamentais, militares ou civis, de comissariados de polícia, postos da gendarmeria e, em Conacri, da vizinhança do Palácio presidencial Sékoutouréyah, no centro da cidade, e de outras áreas consideradas estratégicas, como portos e aeroportos. Se flagrado, você poderá ser inclusive detido.  Fotografar pessoas nas ruas sem sua permissão pode ser considerado ofensivo e provocar uma reação violenta. O uso de binóculos, ainda que de dimensão modesta, é desaconselhado

Ramadã        

Durante o mês santo do Ramadã, muçulmanos jejuam do nascer ao pôr do sol. Comer, beber, fumar, tocar música alta e dançar em locais públicos (fora dos horários apropriados) é punível por lei, inclusive para os não-muçulmanos. As datas exatas do Ramadã seguem um calendário lunar e mudam a cada ano.

Tolerância LGBT    

Apesar de a Embaixada não ter conhecimento de qualquer ação penal recente cujo fato gerador tenha a ver com orientação sexual, as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são criminalizadas na Guiné.  As penalidades incluem multas e reclusão por até três anos. Para mais informações, recomenda-se a leitura cuidadosa do aviso LGBT em viagens ao exterior.

Portadores de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida

A Guiné não conta ainda com legislação que ampare ou facilite o deslocamento e o acesso a veículos e prédios públicos de pessoas portadoras de deficiência física. Para mais informações, recomenda-se a leitura da página Pessoas com deficiência em viagens ao exterior.

Entorpecentes

Pessoas que violam leis guineanas, mesmo sem o saber, podem ser expulsas ou presas. As penalidades para a posse, o uso ou o tráfico de drogas ilícitas na Guiné são graves, e os delinquentes condenados podem cumprir longas penas de prisão e ter de pagar multas pesadas. É comum que os processos criminais levem meses, senão anos, para chegarem a um veredito.

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Pena de morte

A pena de morte é prevista no Artigo 8.º do Código Penal da República da Guiné (Lei no. 98/036, de 31/12/1998). 

 O artigo 14 estabelece que todo condenado à morte será fuzilado. A mulher grávida será executada um ano após o nascimento do seu filho sadio ("si l'enfant naît viable"). O artigo 15 dispõe que a execução se fará no interior de um estabelecimento penitenciário que figure em uma lista elaborada pelo Ministro da Justiça. O artigo 16 dispõe que o corpo do supliciado será entregue à sua família, se ela o reclamar. Ao reclamá-lo, a família assumirá o ônus integral do sepultamento. Este mesmo artigo lista as seisautoridades/personalidades que poderão assistir à execução.

As últimas execuções (de quatro indivíduos, condenados em 1995) tiveram lugar em fevereiro de 2001. Embora 16 sentenças da pena capital tenham sido proferidas em setembro de 2011 por um tribunal da cidade de Kankan (por participação em violentos conflitos interétnicos que resultaram em morte de 25 pessoas), nenhuma delas foi executada. A Anistia Internacional estima que o número de condenados à morte cuja execução vem sendo procrastinada montaria a pelo menos 34. 

São os seguintes os delitos sujeitos à pena capital na  Guiné:
a) homício qualificado; 
b) assassinato de bebês

c) outros delitos suscetíveis de resultar em morte; 
d) atos terroristas com vítimas fatais;
e) atos terroristas sem vítima fatal;
f) incêndio sem vítima fatal; 
g) sequestro sem vítima fatal; 
h) traição; 
i) espionagem; 
j) crimes militares sem vítima fatal; 
k) outros crimes sem vítima fatal:
- envenenamento 
- tortura

Prisão perpétua

É prevista no art. 8º do Código Penal. 

Informações adicionais

IMPORTANTE: A relação de fontes para leitura adicional é meramente indicativa. O Itamaraty não se responsabiliza pelo conteúdo do material indicado.

 

Presidência da Republica da Guiné:
http://www.presidence.gov.gn

Ministério dos Negócios Estrangeiros e dos Guineanos no Exterior: 

http://www.mae.gov.gn

Banco Central da Guiné       
http://www.bcrg-guinee.org/

Intituto Nacional de Estatística        
 http://www.stat-guinee.org/

Banco Mundial          
 http://www.banquemondiale.org/fr/country/guinea

Fundo Monetário Internacional        
http://www.imf.org/external/country/GIN/index.htm

Depoimentos

Rafael Arregui Lubianca       
Gerente de Contrato da Construtora Oas Guinée   

"Vivo na Guiné há dois anos e três meses e, desde que cheguei neste país de cultura e tradições bem fortes, pude sentir a simpatia e receptividade do seu povo. As pessoas são muito pacíficas e comunicativas, sabem receber as pessoas e fazem com que os que aqui chegam se sintam em casa. Todos gostam muito da cultura brasileira, falam muito da proximidade cultural e climática que a Guiné tem do Brasil e admiram muito nossos ídolos esportivos e da música.

As condições de vida, apesar de bem diferentes ao que estamos acostumados no Brasil ou em qualquer país latino, não são tão complicadas quanto imaginamos e nos acostumamos a ver nos noticiários. Na capital, dispomos de algumas opções de bons restaurantes, hotéis, praias e cascatas que,  mesmo limitados a uma fatia pequena da população, podem nos dar uma vida social ativa e possibilitam alguma distração. Porém é nítido - e se vê todos os dias -que grande parte da população está abaixo do nível de pobreza, há problemas graves com necessidades básicas como saneamento, energia, água potável, transporte público, saúde e educação para a grande maioria da população que vive em bairros ainda sem qualquer infraestrutura.

Estou no país para trabalhar na construção destas infraestruturas, dois projetos que possibilitarão uma melhoria nas condições de vida dessa população, algo que se nota-rapidamente nas demais construções e investimentos privados e estatais que vêm sendo feitos no país, pela expectativa de novos negócios nos setores de mineração e agricultura que dão uma grande esperança de que, nos próximos anos, o país possa se desenvolver rapidamente.

Infelizmente, há pouco mais de um ano, o país vem sofrendo com a epidemia de Ebola que, somada à malária, HIV, cólera e outras enfermidades graves, estão impactando na economia e no bem estar de todos que aqui vivem, algumas prevenções são tomadas diariamente, porém nada que impossibilite nossa atuação profissional e pessoal no país. Esperamos que, nos próximos meses, devido à atuação das organizações internacionais de saúde e à estrutura montada para combater a epidemia, o país possa se reerguer.

De forma geral,me sinto seguro e acolhido na Guiné, contamos com o apoio incondicional das autoridades locais e da Embaixada do Brasil, que sempre nos apoiaram e incentivaram, dando o suporte necessário para que nossa vida longe de casa seja mais tranquila."

Juraci Pimentel         
ex-Gerente País da Construtora OAS na Guiné

"Cheguei na Guiné meados do ano 2011 e, logo na primeira semana, percebi aquele sentimento de que nesse país eu “faria história” e teria muita coisa para aprender. Assim foi o meu destino nesse país cheio de surpresas e riquezas. Riqueza não só material, mas sobretudo, humana, pois as pessoas trazem no peito sua marca de perseverança, resistência e amizade sincera.

A Guiné é um país em desenvolvimento, com muitos desafios a serem enfrentados, tais como a melhoria da sua infraestrutura de modo geral, o aumento da oferta de energia, de água, criação de mais oportunidades de emprego e melhores condições de vida para o seu povo. Durante minha estada no país, de cerca de quatro anos, pude perceber claramente mudanças positivas de modo geral, fruto do esforço do Governo com o apoio internacional.

Infelizmente, o país passou por alguns problemas no passado e, recentemente, foi fortemente “atacado” pelo Ebola, vírus letal que fez inúmeras vítimas no país, dificultando investimentos, gerando pânico na população e desorganizando a sua economia.  Atualmente, a epidemia de Ebola está sendo controlada, com o apoio dos governos de vários países, de organismos internacionais, de agências do sistema das Nações Unidas e de ONGs humanitárias.  Ressalto que o Brasil, por meio dos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores, participaram ativamente dessa conquista com doações de medicamentos, insumos e alimentos.

Sou suspeito para falar da Guiné porque realmente fui muito bem acolhido pelo povo, Governo, Embaixada do Brasil e toda a comunidade brasileira residente. Nós, da OAS, executamos dois projetos de infraestrutura viária importantes para o país, desenvolvidos para melhorar a qualidade de vida da população, evitar acidentes, diminuir os engarrafamentos, assim como deixar a capital mais moderna, com um trabalho altamente qualificado, executado segundo as normas internacionais.

A Guiné tem um vínculo cultural forte com o Brasil.  A cidade de Salvador é geminada à histórica cidade de Boké. O Brasil é o país com a maior população negra do mundo depois da Nigéria. Temos laços históricos que nos unem à Guiné, e os guineanos têm uma admiração enorme pelo nosso país, pelo nosso futebol, pela nossa música e o nosso jeito de viver, nossa receptividade e alegria, com a qual muito se identificam.

Reconhecido por ter sido sempre bem acolhido, guardando na memória os momentos tão felizes que vivi no país cercado de amizade e afeto, agradeço cordialmente ao maravilhoso povo guineano por sua hospitalidade e camaradagem, e espero, de coração, voltar à minha querida Guiné no futuro próximo".     

Joab Cavalcante Andrade     
Sócio-Proprietário da Agrobetel Guinée

"Habito na Guiné há mais ou menos dois anos e, desde que cheguei ao país, fiquei surpreso com toda a afinidade de cultura e tradições, muitas delas semelhantes à nossa, mas com algumas diferenças, devido à cultura religiosa. A simpatia da população é enorme e quando sabem que você é brasileiro ficam muito alegres, adoram o nosso futebol.

As condições de vida são um tanto precárias, mas existem condomínios com excelente infraestrutura para atenderem a carências tais como a de água encanada, esgoto coberto e coleta regular de lixo. Apesar das diferenças entre o conforto básico a que estamos acostumados no  Brasil, a vida na Guiné não é tão complicada quanto se imagina. Na capital, dispomos de algumas opções de bons restaurantes, hotéis, praias e cascatas que, mesmo limitados a uma fatia pequena da população, podem nos proporcionar uma vida social ativa e possibilitar alguma distração. Porém, é nítido - e se vê todos os dias -que grande parte da população está abaixo do nível de pobreza, há problemas graves com necessidades básicas tais como saneamento, energia, água potável, transporte público, saúde e educação para a grande maioria da população, que vive em bairros ainda sem qualquer infraestrutura.

Estou no país para trabalhar no comércio de importação e exportação de commodities, como também no planejamentos de projetos agropecuários. Tive a oportunidade de conhecer uma fazenda governamental localizada a 300 km da capital que foi durante muito tempo usada para melhoramento genético nos tempos áureos, hoje estando abandonada. Empresas como a OAS trabalham para melhorar a vida da população com obras de infraestrutura. Algo muito importante vem acontecendo na Guiné: muito investimentos estrangeiros de companhias privadas de várias partes do mundo, como também de estatais, vêm sendo feitos no país.

Infelizmente, há pouco mais de um ano, o país vem sofrendo com a epidemia de Ebola que, somada à malária, HIV, cólera e outras enfermidades graves, estão impactando na economia e no bem estar de todos que aqui vivem. Algumas prevenções são tomadas diariamente, porém nada que impossibilite nossa atuação profissional e bem estar pessoal no país. Esperamos que, nos próximos meses, devido à atuação das organizações internacionais de saúde e à estrutura montada para combater a epidemia, o país possa se reerguer.

A Guiné é um país que transmite segurança aos que transitam pela rua.  Me sinto seguro e bem acolhido na Guiné.  Contamos com o apoio incondicional das autoridades locais e principalmente da Embaixada do Brasil, que em todos os momentos, esteve sempre de prontidão, apoiando e incentivando, dando todo suporte necessário para que possamos estar tranquilos."

 

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.

 

Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com Guiné clique aqui.

Fim do conteúdo da página