Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Paquistão

Alertas para este país

Sem alertas para este país.

Informações básicas

Capital Islamabad
Língua Urdu e Inglês
Moeda Rúpia paquistanesa. Dólar americana amplamente aceito.
Validade do passaporte Deve ter validade de 6 meses
Página do passaporte em branco Duas páginas são necessárias para carimbo de entrada
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações É exigido comprovante de vacina contra Poliomelite
Restrições de moeda para entrar Não há
Restrições de moeda para sair Valor máximo de 5 dólares.

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

 

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

X

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Viagens não-essenciais ao Paquistão devem ser evitadas por cidadãos brasileiros. Se possível, a viagem deverá ser reconsiderada, optando-se por destino alternativo que ofereça menor risco a nacionais do Brasil. Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página.   

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato da Embaixada do Brasil em Islamabad, que, se necessário, poderá prestar assistência consular a nacionais no Paquistão.       

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar. Os Postos com serviço consular estão a disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular para saber o que uma Repartição Consular pode ou não pode fazer por você.

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos "Segurança" e "Saúde" do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.      

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado. Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar.

 

Embaixada do Brasil em Islamabade

Endereço: SECTOR F-8/3 STREET 72 HOUSE 1 P.O. BOX 1053 ISLAMABAD, PAKISTAN

Telefone: (9251) 228-7189  /  228-7195

Plantão Consular: (92)300 852 5941 (SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS)

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.  /   Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site da Repartição: www.embassyofbrazil.com.pk

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

Consulado Honorário do Brasil em Karachi

Titular: OMER ADIL JAFFER 

Endereço: 

Telefone:

Email:

 

Consulado Honorário do Brasil em Lahore

Titular: Naveed Mughis Sheik

Endereço: Ismail Aiwan-e-Science Building, 205, Ferozepur Road, Lahore, Paquistão

Telefone:

Email:

 

Consulado Honorário do Brasil em Peshawar

 Titular: Amer Faruque

Endereço: 1st Floor, Betani Arcade, Jamrud Road, Peshawar

Telefone:

Email: 

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira         

Há registro de 11 brasileiros em Karachi, 9 brasileiros em Lahore, 15 em Islamabad, 5 em Rawalpindi, 4 em North-West Frontier, 1 em Gujrat e 1 em Multan.

Principais destinos   

Além da capital, Islamabad, as cidades onde residem brasileiros configuram-se, também, como principais destinos do país.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela          

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto  

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Requisitos de entrada           

Para emissão do visto, as autoridades paquistanesas exigirão, além do formulário preenchido e de passaporte válido, os seguintes documentos: cópia da passagem aérea, carta informando o itinerário de viagem no Paquistão, certificado internacional de vacinação contra febre amarela (original e cópia) e duas fotos 3x4.

Entrada de menores

Em esforços para prevenir sequestro internacional de menores, alguns Governos estrangeiros começaram a verificar o status de menores em pontos de entrada do país. Essas verificações frequentemente incluem exigência de documentos que comprovem a relação do menor com a pessoa que o estiver acompanhando e autorização de viagem,  por escrito,  do genitor ausente. Caso um dos genitores tenha falecido, é necessário portar cópia do certificado de óbito. Para mais informações, pode-se acessar a página Viagem de menores brasileiros ao exterior.

Saída de menores     

Crianças cujo pai tenha nacionalidade local podem ter dificuldade para sair do país sem a autorização paterna. Mesmo que a criança tenha passaporte brasileiro e/ou tenha mãe e pai brasileiros, a lei local estipula que o pai deverá autorizar previamente a viagem para que a criança possa sair do país. A norma é válida para todos os casos, incluindo situações em que a mãe tenha guarda exclusiva da criança.

Restrições alfandegárias     

Bebidas alcoólicas e produtos a base de carne suína são estritamente proibidos no Paquistão.

Vacinação

Não são exigidas vacinas para entrada no Paquistão. No entanto, recomenda-se que cidadãos brasileiros vacinem-se contra a poliomielite antes de viagens ao país.

Entrevistas    

Os aeroportos paquistaneses adotam medidas rigorosas de segurança e inspeção. Recomenda-se ter sempre à mão cópia impressa das passagens aéreas, para assegurar a entrada nos terminais.

Dupla nacionalidade 

O país permite a dupla nacionalidade. Em alguns casos, cidadãos com a nacionalidade paquistanesa não precisarão de visto para entrada no Paquistão e, em outros casos, esses cidadãos deverão renunciar à nacionalidade paquistanesa para manter a brasileira. A Embaixada do Paquistão em Brasília poderá ser contatada para sanar dúvidas. Mais informações estão disponíveis no aviso Brasileiros com dupla nacionalidade.

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior  

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países.

Trabalhar no exterior          

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Registro consular     

Recomenda-se, com veemência, que brasileiros em visita ao Paquistão registrem-se junto à Embaixada do Brasil em Islamabade, por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (0092) 51-228-7189.

Registro de estrangeiros

A permanência temporária no Paquistão não exige registro do visto na polícia local.

Extensão do visto     

Pedidos de extensão do visto de turista devem ser solicitados diretamente ao Ministério do Interior do Paquistão, a partir das seguintes localidades: Islamabade, Lahore, Peshawar, Quetta e Karachi.

Penalidades por estada irregular    

Cidadãos brasileiros que permanecem no país após o vencimento de seus vistos serão multados e deverão permanecer detidos até o pagamento da multa e posterior deportação.

Trabalho voluntário  

Não é permitido trabalho voluntário, mesmo não remunerado, sem visto ou com visto de turista. Cidadãos brasileiros que desejam realizar trabalho voluntário no país devem contatar as autoridades locais com antecedência para informar-se sobre a necessidade de obtenção de visto adequado.

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a  Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante.

Perda de documentos brasileiros    

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura das informações da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Vítimas de crimes     

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

ALERTA DE VIAGEM

Tendo em conta a realidade do país, recomenda-se que cidadãos brasileiros evitem viagens não-essenciais ao Paquistão. Cidadãos brasileiros no país deverão permanecer em território paquistanês pelo mínimo de tempo necessário.

Cidadãos brasileiros no Paquistão devem manter contato permanente com a Embaixada do Brasil em Islamabade, manter seus documentos de viagem sempre atualizados e deixar o país o mais rápido possível.

Segurança pública    

O Paquistão registra índices muito elevados de terrorismo fundamentalista, tensões políticas e violência sectária. Potenciais riscos para turistas incluem sequestros e atentados suicidas. Operações militares de grande escala estão em curso nas zonas tribais do noroeste do país.

Corrupção     

De acordo com o Índice de Percepção de Corrupção, que avalia países em escala de 0 (mais corrupto) a 100 (menos corrupto), o país obteve índice inferior a 30.  Caso cidadão brasileiro seja vítima ou presencie crimes de suborno, propina, fraude eleitoral, nepotismo, cleptocracia, pilhagem legal, plutocracia ou qualquer outro tipo de corrupção, recomenda-se que a Embaixada brasileira seja imediatamente notificada com vistas a que sejam acionadas as autoridades locais para denúncia e apuramento da situação.

Criminalidade

O Paquistão tem uma taxa alta de criminalidade e turistas estrangeiros podem ser vítimas potenciais de ataques. Cidadãos brasileiros devem permanecer atentos a possíveis assaltos a mão armada, sequestros, extorsões, e quaisquer outros tipos de violência. No passado, grupos armados organizaram barricadas para roubo de veículos. O banditismo nas estradas não é incomum. O risco de crimes residenciais, com invasão de domicílios, roubo e posterior sequestro, também é alto. Crimes menores, como furtos e roubos, acontecem nos centros urbanos, em taxis e no transporte público.

Terremotos

O norte do Paquistão está sujeito a terremotos de grande escala, como o registrado na Caxemira, em 2005. Na ocorrência de terremotos, pede-se que as pessoas procurem manter a calma e não corram, afastem-se das janelas de vidro, posicionem-se ao lado de colunas ou das quinas das paredes se estiverem dentro de casas ou prédios, procurem abaixar-se e proteger a cabeça, por exemplo, sob mesas ou sob vãos de portas.

Passado o tremor, se houver feridos, deve-se pedir auxílio aos corpos de socorro, ligar o rádio para ouvir as recomendações das autoridades, evitar ficar perto de postes, cabos elétricos ou árvores, seguir rotas de evacuação e procurar usar o telefone somente em casos de emergência.

Alagamentos

Na temporada das monções (julho a setembro), inundações são frequentes em todas as regiões do país, particularmente nas províncias de Sindh e Punjab.

Tsunamis

A baixa altitude das ilhas torna sensível a subida do nível do mar. Além disso, há riscos de tsunamis no país. Recomenda-se que cidadãos brasileiros permaneçam atentos aos comunicados emitidos pelas agências locais de meteorologia e sismologia quanto à incidência de desastres naturais. Em caso de ocorrência de tsunamis, cidadãos brasileiros devem seguir cuidadosamente as orientações de segurança das autoridades locais contatando, sempre que possível, alguma Embaixada ou Consulado do Brasil, que avaliará a possibilidade de evacuação. 

Viagens ao interior

Planos de viagens ao interior do país deverão ser comunicados à Embaixada do Brasil em Islamabad, para avaliação da situação de segurança da região escolhida.  A cidade de Karachi está sujeita a surtos de intensa violência política e sectária. Em junho de 2013, dez alpinistas estrangeiros foram mortos por grupo terrorista no sopé da montanha de Nanga Parbat, nos arredores da cidade de Gilgit. Recomenda-se especial cautela nessa região. 

Viagens à Caxemira

Hostilidades entre os Governos do Paquistão e da Índia na região da Caxemira não foram registradas em período recente. No entanto, a atividade de grupos militantes pode gerar uma série de riscos a turistas estrangeiros. Viagens à região estão restritas pelo Governo local, devendo ser obtida permissão do Ministério do Interior antes da viagem.

Áreas restritas         

Cidadãos brasileiros não devem viajar para a faixa de fronteira com o Afeganistão, inclusive a cidade de Peshawar; para a província do Baloquistão, na fronteira com o Irã; para os distritos de Swat e Kohistão, na província do Khyber-Pakhtunkhwa; e para os setores militarizados da Caxemira, território disputado com a Índia.

Terrorismo    

A Al-Qaida e o Taliban operam no país e ataques terroristas ocorrem regularmente, sobretudo nas maiores cidades. Recomenda-se veementemente que o turista seja cauteloso ao frequentar possíveis alvos de ataques terroristas, como Embaixadas e Consulados, instalações militares e do Governo, mesquitas, mercados e escolas. Como regra geral, turistas brasileiros devem evitar envolver-se em manifestações, grandes multidões de pessoas e eventos públicos. Para mais informações sobre atentados terroristas, recomenda-se seguir cuidadosamente as instruções contidas no guia Atentados terroristas no exterior.

Narcotráfico  

O Paquistão é um dos dois maiores centros produtores de ópio ilegal na Ásia. Cultivo de  papoula no Paquistão é estimada em 800 hectares em 2005, gerando um potencial de produção de quatro mil toneladas de heroína. Ópio é cultivado principalmente na província de Khyber Pakhtunkhwa e fronteira Paquistão-Afeganistão.

Clonagem de cartões

Como em diversos centros urbanos em vários países, recomendam-se cuidados básicos para evitar a clonagem de cartões. Deve-se, sempre, solicitar que o cartão seja manuseado na presença do portador. Em comércios informais, recomenda-se preferivelmente realizar pagamentos com dinheiro em espécie. Em caixas eletrônicos, deve-se verificar, antes do uso, se não há câmeras ou qualquer tipo de alteração na máquina.

Produtos pirateados 

Ainda que produtos pirateados sejam encontrados com facilidade, a compra para uso pessoal de tais materiais pode ser considerada crime pela legislação local. Além disso, trazer tais bens para o Brasil pode resultar em repreensão por agentes da Receita Federal e da Polícia Federal, multas e, em casos mais graves, prisão.   

Sequestros

Sequestros de estrangeiros ocorrem com alguma frequência no país. Turistas ocidentais, independentemente do país de procedência, podem ser alvos para grupos terroristas e sequestradores.

2002: Em 23 de janeiro de 2002, Daniel Pearl, um jornalista norte-americano judeu foi sequestrado em Karachi por um grupo militante e decapitado nove dias depois.

2004: Em 10 de outubro de 2004, dois engenheiros chineses que trabalhavam na Gomal Zam Dam foram sequestrados junto com seu motorista e guarda-costas no Waziristão do Sul ao longo da fronteira com o Afeganistão. O motorista e guarda-costas foram liberados mais tarde. Forças paquistanesas conseguiram resgatar um dos engenheiros, mas o outro engenheiro foi morto durante a tentativa de resgate.

2008: Em 28 de setembro de 2008, Piotr Stanczak, um engenheiro polonês e geólogo foi sequestrado por homens armados desconhecidos na cidade de Attock. Os homens armados mataram seu motorista, tradutor e guarda-costas com quem ele estava viajando em um carro. Stanczak foi decapitado por militantes em 7 de fevereiro de 2009, com um vídeo da execução liberado. Seus executores disseram que assassinaram Stanczak devido à incapacidade do governo paquistanês para libertar prisioneiros talibãs. Em 11 de novembro de 2008: Beverly Giesbrecht, um jornalista canadense, foi sequestrado junto com seu tradutor, Salman Khan, e seu motorista, Zar Muhammad, perto da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. No final de fevereiro de 2009, surgiu um vídeo, entre dois homens com rifles. Em março de 2009, surgiu um outro vídeo no qual Giesbrecht podia ser ouvido afirmando que o Taliban paquistanês iria decapitá-lo, a menos que um resgate fosse pago. Muhammad foi libertado em junho de 2009; Khan foi libertado em julho de 2009; Giesbrecht morreu de hepatite em outubro de 2010.

2009: Em 02 de fevereiro de 2009, John Solecki, funcionário americano que trabalhava para o ACNUR em Quetta, foi seqüestrado por um grupo militante Baloch desconhecido. O motorista foi baleado fatalmente. Solecki foi libertado em 4 de abril de 2009.

2011: Em 02 de julho de 2011, Um casal de turistas suíços foram sequestrados enquanto viajavam ao Baluchistão. O casal foi raptado por homens armados não identificados filiados ao Talibã paquistanês no distrito Loralai, que fica a cerca de 150 km ao norte da capital provincial Quetta. O casal fugiu em março de 2012. Em 13 de agosto de 2011, Warren Weinstein, um funcionário americano vivendo em Lahore foi raptado de sua residência por homens armados desconhecidos em dezembro de 2011.

2012: Em 19 de janeiro de 2012, Giovanni Lo Porto e Bernd Muehlenbeck, trabalhadores de ajuda humanitária para Welthungerhilfe, foram sequestrados em Multan, na província de Punjab. Desde então, tem havido pouca notícias deles.

2013: Em 14 de março de 2013, dois turistas tchecos -Hana Humpálová e Antonie Chrástecká - foram sequestrados perto da fronteira ocidental do Paquistão, juntamente com um policial paquistanês. O oficial foi liberado mais tarde. As duas mulheres estavam em uma viagem para a Índia. Os seqüestradores exigiram a libertação de Aafia Siddiqui.

Manifestações populares    

Manifestações públicas e desordem civil são comuns no Paquistão. Durante a estadia no país, turistas brasileiros devem evitar toda e qualquer participar em manifestações políticas ou religiosas. Protestos ocorrem frequentemente com pouco aviso. O risco de atentados terroristas em uma dessas ocasiões é alto.  Mesmo manifestações pacíficas podem se tornar violentas rapidamente.

Relacionamentos pela internet

Recomenda-se a cidadãos brasileiros especial cuidado com os relacionamentos virtuais mantidos com cidadãos de outros países com o propósito de celebrar casamento, a fim de protegerem-se contra golpes e situações de risco. Sugere-se, entre outras precauções, buscar obter referências do cidadão estrangeiro por parte de terceiras pessoas de conhecimento comum, além de evitar manter o contato restrito aos meios de comunicação à distância. Mais informações poderão ser obtidas na cartilha Relacionamentos virtuais com estrangeiros.

Turismo de aventura

Um grande atrativo turístico do Paquistão é a cordilheira do Karakoram, na região norte do país (território do Gilgit-Baltistão), onde se situam várias das montanhas mais altas do mundo, como o K2 e o Nanga Parbat.  Por isso, é grande o número de turistas no país que desejam realizar turismo de aventura, sobretudo montanhismo. Nesse sentido, turistas brasileiros devem contratar seguro-saúde que ofereça cobertura contra ferimentos decorrentes de acidentes. Mais informações podem ser obtidas no aviso Turismo de aventura.

Assédio sexual e crimes contra a mulher   

Mulheres ocidentais não devem andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas. Crimes contra a mulher no país também podem incluir violência doméstica e casamento forçado. Mais informações estão disponíveis no aviso Mulheres em viagens ao exterior.

Tráfico de pessoas   

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Caso seja vítima ou tenha alguma informação sobre eventual caso de tráfico internacional de pessoas envolvendo cidadão ou cidadã brasileira, recomenda-se fortemente que procure a Representação consular, para relatar o caso e receber orientações. Os dados serão tratados com a devida confidencialidade. Mais informações estão disponíveis em http://www.justica.gov.br/sua-protecao/trafico-de-pessoas

Contatos importantes          

Números de emergência

Polícia: 15

Bombeiros: 16

Ambulância: 115

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.
Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.
Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde (OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.
Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro 

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências.

Rede de saúde          

Sistema de saúde de grau razoável pode ser encontrado nas maiores cidades paquistanesas, embora seja muito limitado em áreas rurais. As instalações médicas variam em termos de serviços oferecidos e recursos disponíveis.  O serviço de ambulâncias é considerado inadequado e muitos hospitais não dispõem de estrutura para lidar com problemas médicos mais graves.

Seguro-saúde            

É essencial contar com seguro-saúde válido no Paquistão, cuja apólice abranja, inclusive, possíveis ferimentos causados por atos terroristas.Em caso de traumas, acidentes ou quaisquer outras graves situações de saúde, serviço de evacuação médica pode ser necessário. Nesse caso, recomenda-se a cidadãos brasileiros que contratem seguro de saúde internacional que cubra esse tipo de atividade. Recorda-se aos turistas que serviços de evacuação médica podem custar valores expressivos. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Condições ambientais           

A Organização Mundial da Saúde classifica o Paquistão na lista dos 10 países com o ar mais poluído. Durante períodos de excessiva poluição, é recomendável que crianças, pessoas sensíveis e/ou com problemas respiratórios adotem precauções para reduzir a exposição a poluentes. Para cidadãos brasileiros com plano de residir no país, pode ser recomendável manter um purificador de ar nos principais cômodos da casa.

Vacinação

Não são exigidas vacinas para entrada no Paquistão. No entanto, recomenda-se que cidadãos brasileiros vacinem-se contra a poliomielite antes de viagens ao país.

Poliomielite   

Devido a um surto recente de poliomielite, o país foi identificado pela Organização Mundial da Saúde como um país exportador da doença e, por isso, todos os visitantes devem vacinar-se contra poliomielite com antecedência mínima de 12 meses antes da viagem. Na entrada ao país, o comprovante de vacinação poderá ser exigido. Mais informações podem ser obtidas em http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2014/polio-20140505/en/

Malária

O risco de saúde apresentado pela malária ou impaludismo pode ser alto em regiões florestais do país. As medidas de proteção básicas incluem a preferência por locais climatizados, protegidos com telas apropriadas, isolamento de compartimentos para evitar a circulação de mosquitos no interior das instalações; usa de repelentes específicos para a pele e o vestuário, nos horários de maior risco entre o pôr do sol e o amanhecer. Note-se que o mosquito pode também apresentar risco em período diurno, sempre que tenha entrado durante a noite. A disciplina de proteção é de mais difícil manutenção no caso de crianças.

A decisão de tratamento preventivo com medicamentos disponíveis pode ser tomada com a assistência de médicos locais, em função do quadro clínico e preferências e indicações de cada individuo. O recurso ao médico no Brasil e no país de origem é indispensável para uma decisão ajuizada.

Esquistossomose      

Lagos e rios do país são áreas de risco de esquistossomose, infecção parasitária (também conhecida como bilharzia) transmitida aos seres humanos através do contato com parasitas existentes na água. Evite nadar em áreas onde há lama ou lodo no fundo do lago.

AIDS

Apesar de ser um país conservador, há riscos de contaminação de doenças sexualmente transmissíveis, como hepatite e HIV. Recorda-se a cidadãos brasileiros a importância da adoção de medidas de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis. Para mais informações, o Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde (http://www.aids.gov.br/) poderá ser  consultado.

Medicamentos                     

Grande parte dos medicamentos disponíveis no Brasil podem não ser encontrados no país. Recomenda-se que cidadãos brasileiros levem quantia suficiente de medicamentos para viagens ao país, portando, sempre, a receita médica em inglês desses remédios.

Parasitas       

O visitante no país estará vulnerável a bactérias e protozoários causadores de diarreia e cólera. Devido aos abundantes casos de cólera e diarreia enfrentados pelas autoridades de saúde locais, recomenda-se ao turista brasileiro muito cuidado com o consumo de alimentos, água e contatos direto com as pessoas.

Intoxicação alimentar  

Durante a estadia no país, deve-se lavar as mãos constantemente e deixar os alimentos frescos por algum tempo em água corrente. Recomenda-se lavar frutas e verduras com água engarrafada e gotas de água sanitária, e evitar o consumo de alimentos servidos em mercados públicos e na rua. A probabilidade de intoxicação alimentar no país, devido à ausência de cuidados básicos de higiene no manuseio de frutas e demais tipos de alimentos, é alta. Cidadãos brasileiros devem levar ao país antiácidos e remédios para diarreia e dores estomacais.

Endemias em geral   

Surtos de dengue e cólera assolam o país na época das monções. O Paquistão está entre os únicos países onde a poliomelite ainda é endêmica. Há ocorrências de malária nas regiões costeiras.

Transportes

Infraestrutura de transportes         

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular.

Transporte aéreo 

Os principais aeroportos do Paquistão ficam localizados nas cidades de Lahore, Karachi, Peshawar, Quetta e Rawalpindi, a poucos quilometros de Islamabade.

No dia 08/06/2014, ocorreu ataque terrorista ao Aeroporto Internacional da cidade portuária de  Karachi, principal centro econômico do Paquistão. O ataque foi perpetrado por 10 militantes fortemente armados, que lograram ingressar no setor de carga do aeroporto disfarçados de policiais e em posse de documentos falsos. Os terroristas incendiaram tanques de combustíveis e danificaram duas aeronaves, das empresas paquistanesas PIA e SkyBlue. O confronto com as forças policiais e militares do aeroporto durou mais de 5 horas e resultou na morte de todos os terroristas, 11 guardas de segurança e 9 militares, além de 26 funcionários civis do aeroporto terem ficado feridos, alguns gravemente. O aeroporto foi imediatamente evacuado e permaneceu fechado, com todos os vôos desviados, até as 16 horas do dia 09/06/2014.

Em outubro de 2014, o aeroporto Internacional Benazir Bhutto, terceiro maior aeroporto do Paquistão, que serve a capital e Rawalpindi, na província de Punjab, foi eleito o pior aeroporto do mundo.

Transporte rodoviário          

O Paquistão segue do lado esquerdo do sistema de tráfego de carro,o que pode ser um fator de risco para motoristas inexperientes, como turistas recém-chegados que desejam dirigir. Não são poucos os acidentes provocados por situações envolvendo motoristas ou transeuntes com pouca familiaridade com o as regras de trânsito.

Veículos devem ser ultrapassados no seu lado direito e os sinais de trânsito no Paquistão são modelados no sistema britânico de sinal de estrada. As ruas geralmente são lotadas de veículos e a direção de motoristas paquistaneses tende a ser bem mais agressiva que aquela verificada nas estradas brasileiras. Animais e pedestres dividem a pista com veículos, o que potencializa o risco de acidentes. A má iluminação faz com que veículos circulando durante a noite tenham uma chance maior de acidentarem-se.

Devido a vários problemas estruturais, de desenvolvimento, de gestão e de organização, a situação do trânsito paquistanês está ficando cada vez pior. Os problemas comuns são:  falta de infraestrutura,  construções defeituosas e pouco duráveis, ignorância das regras de circulação, má gestão e corrupção.

Transporte público   

Cidadãos brasileiros devem evitar transporte público no país, considerado pouco seguro. Ataques terroristas envolvem, com frequência, explosões de carros ou ônibus, o que pode afetar significativamente os serviços de transporte do Paquistão.

Taxis  

Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar taxis avulsos.

Infraestrutura turística

Orientações gerais    

Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Infraestrutura turística

Problemas de energia, terrorismo, desemprego, inflação, infraestrutura, racionamento de gás, entre outros podem afetar duramante a viagem de turistas no país. Instalações turísticas estão disponíveis em cidades maiores mas são extremamente limitadas em outras áreas do país. Muitas partes do Paquistão encontram-se afetadas por movimentos extremistas e militares, o que também dificulta o turismo.

Atrações turísticas

Os principais pontos turísticos no  Paquistão são: Lahore, Taxila, The Karakoram Highway, Karimabad e Lake Saiful Muluk.

Os principais pontos turísticos em Islamabade são: National Monument Islamabad, Rawal Lake, Lok Virsa Museum, Margalla Hills, Daman-e-Koh, Murree Hills, Shahdara Garden, Centaurus e Safa Gold Mall

Um grande atrativo turístico do Paquistão é a cordilheira do Karakoram, na região norte do país (território do Gilgit-Baltistão), onde se situam várias das montanhas mais altas do mundo, como o K2 e o Nanga Parbat. É possível praticar diversas atividades esportivas e naturais, como o montanhismo e trilhas ("trekking"). Como se trata de região isolada e de difícil acesso, recomenda-se que o viajante contrate guias locais, nunca pratique tais atividades desacompanhado, porte telefone celular satelital e tenha planos para a eventual hipótese de evacuação.

A cidade histórica de Lahore preserva importantes conjuntos arquitetônicos do Império Mogol na Índia (séculos XVI a XIX). Há, ainda, ruínas budistas em Taxila e vestígios de civilizações pré-islâmicas em Moenjo-Daro e Harappa.

Agências turísticas   

É recomendável buscar os serviços de uma agência de viagens especializada no Paquistão.

Comunicação e idiomas       

Os idiomas oficiais do país são inglês e urdu. No entanto, há diversos idiomas regionais no Paquistão, como: punjabi, pashto, sindhi, saraiki, balochi, kashmiri, brahui, dogri, hindko, shina, balti, khowar, burushaski yidgha, dameli, kalasha, gawar-bati e domaaki. Em vilarejos e áreas rurais, pode não ser possível comunicar-se em inglês.

Câmbio e moeda 

A moeda do país é a rúpia paquistanesa

Hospedagem

Reservas de hoteis podem ser feitos via internet, telefone ou através de agências de viagem.

Cartões de crédito e débito

Cartões de crédito internacional são aceitos nas maiores cidades do Paquistão. Em áreas remotas, pode ser difícil encontrar estabelecimentos que aceitem qualquer pagamento que não seja em espécie e na moeda local.

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local         

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.       

Questões de gênero   

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam  detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior

Prisão de cidadão brasileiro             

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior.

Identificação 

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Respeito às leis locais

Reforça-se ao turista brasileiro a importância de que as leis locais sejam estritamente seguidas durante a permanência no país. Desobediência aos valores islâmicos, incluindo os mais conservadores, e qualquer crítica pública ao Governo, à religião ou aos costumes podem gerar deportação e, mesmo, prisão.

Particularidades culturais    

A sociedade paquistanesa é bastante conservadora e apegada aos valores tradicionais do Islã e da coesão familiar.

Ramadã         

Durante o mês santo do Ramadã, muçulmanos jejuam do nascer ao pôr do sol. Comer, beber, fumar, tocar música alta e dançar em locais públicos (fora dos horários apropriados) é punível por lei, inclusive para os não-muçulmanos. As datas exatas do Ramadã seguem um calendário lunar e mudam a cada ano.

Tolerância religiosa

Embora a Constituição professe a liberdade de culto, recomenda-se evitar quaisquer manifestações públicas de fé não-muçulmana.

Tolerância LGBT     

A homossexualidade é considerada crime, para o qual está prevista a prisão perpétua. Para mais informações, recomenda-se a leitura cuidadosa do aviso LGBT em viagens ao exterior.

Portadores de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida  

Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida é limitada nas maiores cidades do país e praticamente inexistente nas demais áreas do Paquistão. Para mais informações, recomenda-se a leitura da página Pessoas com deficiência em viagens ao exterior.

Entorpecentes           

As penas para a posse, o uso e o tráfico de drogas são severas no país, e condenados por um desses crimes podem ser sentenciados a muitos anos de prisão e multas de alto valor. Em alguns casos, turistas estrangeiros acusados de tráfico de drogas podem ser condenados à morte.

Pena capital  

A pena de morte está prevista na legislação do país e é aplicada.

Vestuário      

Mulheres e homens, inclusive estrangeiros, devem se vestir de maneira recatada. Pernas e braços devem estar sempre cobertos e o uso de tecidos curtos, justos, transparentes e decotados é altamente desaconselhado. Para as mulheres, o uso do véu é recomendado na maior parte do país, ainda que não seja obrigatório por lei.

Fotografias

Deve-se evitar tirar fotografias de prédios e construções públicas. Tais fotografias podem ser consideradas indício de comportamento suspeito, o que pode resultar em detenção por autoridades de segurança. 

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Não existem penalidades no Paquistão que destoam das previstas no ordenamento jurídico brasileiro.

Informações adicionais

IMPORTANTE: A relação de fontes para leitura adicional é meramente indicativa. O Itamaraty não se responsabiliza pelo conteúdo do material indicado.

 

Endereço: House No. 1, Street No. 72, Sector F-8/3, Islamabad, Pakistan

Telefone: 00-92-51-2287189; Fax: 00-92-51-8316332

Plantão Consular (Só para brasileiros em emergência):

(92-0300) 852-5941

Horários: 9h00 às 18h00 (Segunda - Sexta)

Seção Consular: 10h00 às 12h00 (Segunda - Sexta)

 

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.

 

Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com a Paquistão clique aqui.

Fim do conteúdo da página