Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Suíça

Alertas para este país

Sem alertas para este país.

Informações básicas

Capital Berna
Língua Alemão, Francês, italiano e Romanche
Moeda Franco Suíço
Validade do passaporte Deve ter validade superior a 3 meses quando da saída do Espaço Schengen
Página do passaporte em branco Uma página é necessária para carimbo de entrada
Visto de turista necessário Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.
Vacinações Nenhuma
Restrições de moeda para entrar Valor mínimo de 10.000 euros
Restrições de moeda para sair Valor mínimo de 10.000 euros

Recomendações de viagem

A recomendação de viagem do Ministério das Relações Exteriores considera o contexto de infraestrutura, segurança e saúde, bem como a situação geral do país escolhido como destino, avaliando os riscos potenciais de uma viagem a cidadãos brasileiros.

 

X

Viajar com precauções normais de segurança

 

Viajar com grau moderado de cautela

 

Viajar com alto grau de cautela

 

Evitar viagens não-essenciais  

 

Não viajar

 

Não há, na Suíça, avisos específicos ou situações que demandem grande atenção por parte dos viajantes brasileiros, mas algum grau de cautela é sempre necessário ao viajar, independentemente do destino escolhido. Cidadãos brasileiros devem viajar à Suíça com precauções normais de segurança. Para maiores informações, recomenda-se a cuidadosa leitura dos tópicos desta página.

Cidadãos brasileiros devem ter sempre as informações de contato dos Consulados-Gerais do Brasil em Zurique e Genebra, que, se necessário, poderão prestar assistência consular a nacionais na Suíça.

A depender da natureza de sua solicitação, a melhor opção poderá ser entrar em contato com sua família, amigos, companhia aérea, agente de viagem, operador de turismo, empregador ou seguro de viagem em primeiro lugar.  Os Postos com serviço consular estão à disposição para auxiliar em casos de maior complexidade. Acesse o Portal Consular  para saber o que uma Repartição consular pode ou não pode fazer por você.

Para assuntos graves e de natureza jurídica, recomenda-se entrar em contato, inicialmente, com as autoridades de polícia e/ou de saúde locais, a partir dos dados de contato informados nos tópicos “Segurança” e “Saúde” do Portal Consular. Caso necessário, a Rede Consular do Brasil poderá ser contatada.

Para solicitações fora do horário de expediente e casos de comprovada emergência, o plantão consular da Embaixada ou Consulado do Brasil poderá ser acionado. Contate a página Emergências do Portal Consular para maiores informações.

Rede Consular do Brasil

Recomenda-se que cidadãos brasileiros portem relação com os números de telefone da Embaixada e/ou do Consulado instalado na região em que pretende transitar ou permanecer. A assistência consular é um direito reconhecido por tratados internacionais, e o cidadão estrangeiro deve sempre exigir das autoridades locais a oportunidade de comunicar-se com Representação Diplomática de seu país. O Itamaraty recorda que a assistência consular prestada ao cidadão brasileiro é isenta de custos, embora não exista previsão legal para o custeio de despesas com, por exemplo, advogados e tratamento médico/hospitalar.

 

Consulado Geral do Brasil em Zurique

Endereço: Stampfenbachstrasse 138, 8006 Zürich – Schweiz.

Telefone: 00 41 44 206 9020/30

Plantão Consular: (4179) 742 5300 (SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS)

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site da Repartição: http://zurique.itamaraty.gov.br

 

Consulado Geral do Brasil em Genebra

Endereço: 45, Rue de Lausanne 1201 Genève Suisse.

Telefone: (0041) 22 906 9435

Plantão Consular: (0041) 79 830 3556 (SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS)

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site da Repartição:  http://genebra.itamaraty.gov.br

 

Para saber o que uma Embaixada ou Consulado brasileiro pode e não pode fazer por você, clique aqui.

Em caso de morte de cidadão brasileiro no exterior, acidentes, inadmissões e demais emergências consulares, clique aqui.

Em caso de dúvidas, clique aqui.

Consulados Honorários do Brasil

Não há Consulado Honorário no país.

Comunidade brasileira e principais destinos

Comunidade brasileira

Estima-se em 40.000 indivíduos o número de integrantes da comunidade brasileira radicada na Suíça, concentrada, em sua maioria, nas aglomerações de Zurique, Genebra, Basileia, Berna, Lausanne e Lugano.

Principais destinos

As maiores aglomerações suíças, de acordo com o Ofício Federal de Estatística suíço (http://www.bfs.admin.ch/bfs/portal/de/index/infothek/lexicon/lex/0.topic.1.html) em ordem decrescente de população, são: Zurique (Zürich), com 1.232.600 habitantes - centro financeiro e cultural, ponto nevrálgico de transportes aéreos e rodoferroviários e sede da FIFA; Genebra (Genève) - 541.300 habitantes - sede de vários organismos multilaterais e organizações internacionais e vitrine da indústria relojoeira; a Basileia (Basel) - 508.600 habitantes - centro da indústria farmacêutica e sede do BIS - "Banco de Compensações Internacionais"; Berna (Bern) - 364.200 habitantes - capital federal e administrativa e sede de Embaixadas bilaterais; e Lausanne - 351.500 habitantes - sede do Comitê Olímpico Internacional e pólo de atração de indústrias no Lago Léman. Além das cinco aglomerações acima citadas, podem ser citadas outras cidades de médio porte como Winterthur, Lucerna, St. Gallen, Lugano e Bienne, bem como inúmeras localidades de interesse turístico como Ascona, Bellinzona, Montreux, Neuchâtel, Solothurn, Interlaken, Locarno, Schaffhausen e Thun ou as indefectíveis estações de esqui alpinas, a exemplo de Zermatt, Crans Montana, Saas Fee, Gstaad, Adelboden, Davos, Bad Ragaz e St. Moritz.

Entrada

O conteúdo a seguir está sujeito a mudanças e pode não ter as informações completas que assegurem a entrada no país escolhido. Para mais informações, recomenda-se a leitura completa das páginas do Portal Consular, incluindo os alertas migratórios e a seção Vistos. Recomenda-se, ainda, que, antes de viajar, cidadãos brasileiros contatem uma Embaixada ou Consulado do país escolhido como destino para certificar-se dos requisitos de visto e entrada e permanência.

Inadmissões de cidadãos brasileiros

A prerrogativa de cada país de determinar quem pode ou não entrar em seu território é decisão soberana de cada Estado. O Governo do Brasil não poderá intervir a favor de cidadãos brasileiros não admitidos por não terem cumprido os requerimentos de entrada.

O Ministério das Relações Exteriores tem mantido contatos sistemáticos com autoridades estrangeiras, no sentido de sensibilizá-las sobre a necessidade de adoção de critérios claros na política de controle migratório, de maneira a serem evitados comportamentos que possam ser interpretados como discriminatórios ou que atentem contra a dignidade e moralidade dos indivíduos.

Recomenda-se a leitura da seção Inadmissões/deportações de cidadãos brasileiros para mais informações.

Febre amarela

A febre amarela é considerada endêmica no Brasil. Por isso, alguns países podem exigir de cidadãos brasileiros comprovante de vacinação contra a doença. Mais informações sobre o assunto e outras vacinas eventualmente necessárias podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante.

Visto

Favor consultar a tabela disponível na seção Vistos.

Espaço Schengen

Embora a Suíça seja parte integrante do Espaço Schengen, a decisão sobre admissão, estada e saída de seu território é prerrogativa das autoridades imigratórias locais, que têm obedecido a parâmetros rígidos.

No sítio eletrônico da Comissão Europeia há uma calculadora para o planejamento e controle da estada na Suíça e nos demais países do Espaço Schengen: http://ec.europa.eu/dgs/home-affairs/what-we-do/policies/borders-and-visas/border-crossing/index.en.htm.

O país faz parte do chamado Espaço Schengen, área criada por convenção entre países europeus na qual não há controles fronteiriços ou alfandegários. Assim, cidadãos brasileiros que desejam circular entre os países do Acordo de Schengen não precisarão apresentar passaportes nas fronteiras. Ressalta-se, no entanto, que o controle fronteiriço de cada país é prerrogativa unicamente das autoridades locais, que poderão adotar as medidas que julgarem necessárias para controlar a circulação de pessoas em seus territórios.

Mais informações poderão ser obtidas no Alerta migratório – Espaço Schengen.

Requisitos de entrada

Os cidadãos brasileiros deverão viajar munidos de passaportes biométricos com validade superior a seis meses, sendo imprescindível que o passaporte tenha três meses de validade após a data planejada para saída da Suíça ou do Espaço Schengen e deverá ter sido emitido nos últimos 10 anos.

Passaportes de emergência sem dados biométricos não são aceitos pelas autoridades imigratórias suíças em viagens de turismo ou de negócios. No guichê de controle de chegada ao Espaço Schengen (vôo direto para a Suíça) as autoridades suíças poderão exigir os seguintes documentos:  

(i)passaporte válido por pelo menos 3 meses após a saída planejada de Schengen e emitido há menos de 10 anos (data da primeira emissão do passaporte);

(ii)passagem de ida-e-volta dentro de 90 dias;

(iii)comprovante de recursos financeiros (cartão de crédito internacional, cheques de viagem, dinheiro em moeda corrente no país). Não há indicação oficial de montante mínimo;

(iv)reserva de hotel ou carta-convite(em um dos idiomas oficiais da Suíça) da pessoa residente na Suíça, quando se tratar de uma visita a convite.

Os passaportes devem ser válidos por, pelo menos, três meses após a data de saída e emitido há menos de dez anos. Recomenda-se levar comprovantes de passagens de ida e de volta dentro do prazo máximo de noventa dias; meios financeiros no valor indicativo de CHF 100 por dia de viagem, incluindo cartões de crédito internacionais, cheques de viagem, dinheiro em moeda corrente no país ou em moedas internacionais; seguro de saúde; reservas de hotel; carta convite redigida no idioma do país de entrada ou em inglês e que poderá conter nome, data e local de nascimento, endereço, telefone e correio eletrônico do anfitrião e do convidado e informações sobre a duração, a chegada e a saída planejadas, entre outras julgadas importantes; e outros documentos relativos ao motivo da viagem. Não são necessárias vacinas.

Entrada de menores

Menores de idade deverão viajar para Suíça munidos de passaporte válido, não bastando apenas a certidão de nascimento (http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/cgrio/brasbs/vissao/faqvis.0004.html#faq0004) As autoridades suíças recomendam que menores de idade brasileiros ou binacionais que viajem para a Suíça acompanhados de apenas um dos pais ou de terceiro (s) estejam munidos de "autorização de viagem", de acordo com o que prevê a legislação brasileira. Para mais informações, pode-se acessar a página Viagem de menores brasileiros ao exterior.  

Carta-convite

O cidadão brasileiro deverá trazer consigo, mesmo para viagens de turismo ou negócio, carta-convite assinada pela pessoa residente na Suíça na casa da qual ficará hospedado ou pela empresa e/ou instituição que patrocinar sua vinda à Suíça. A carta-convite deverá ser escrita na língua do cantão onde ficará hospedado.

Não há modelo específico para a carta-convite, mas ela deverá conter obrigatoriamente as seguintes informações:

(i) Declaração do anfitrião residente na Suíça de que o viajante é seu convidado redigida em um dos idiomas oficiais da Suíça e datada;

(ii) Nome completo, números de telefone e endereço completo do anfitrião na Suíça;

(iii) Nome completo, números de telefone e endereço completo do hóspede convidado; e

(iv) Assinatura do anfitrião residente na Suíça.

A carta-convite pode incluir também informações sobre:

(i) O fato de que o residente na Suíça pretende providenciar a alimentação e acomodação do viajante; e

(ii) Motivo da visita.

Entrada de animais domésticos

Se cidadãos brasileiros desejarem trazer consigo animais de estimação em viagens de turismo ou negócio, deverão submeterse às determinações do Ofício Veterinário Federal Suíço, com regras específicas encontradas no sítio eletrônico respectivo (http://www.blv.admin.ch/), com informações em alemão, francês, italiano e inglês. O Brasil consta na lista suíça de países que possuiriam animais com raiva urbana. Aqueles que desejarem levar o seu animal de estimação para a Suíça devem obedecer às regras previstas pelo Ofício Veterinário Federal. O Instituto Pasteur em São Paulo é o único laboratório do Brasil reconhecido pelos Estados Schengen para tais fins. Caso deseje levar o seu animal de estimação para a Suíça ou a Europa, todas as vacinas e testes precisam ser realizados naquela instituição. 

Não é recomendável viajar com animais de estimação para a Suíça. Os requerimentos podem incluir passaporte com informações sobre número do microchipe, controle de vacinas e medicamentos; microchipe; certificado zoossanitário internacional, assinado por veterinário credenciado; atestação do certificado zoossanitário pela Anvisa; vacina contra raiva; teste sorológico com pesquisa de anticorpos contra raiva; autorização especial em caso de voo direto; e inspeção veterinária na fronteira. Mais informações estão disponíveis na página Viagem ao exterior com animais domésticos

Há diversas proibições e limitações para o transporte de animais de estimação. Caso a contagem de anticorpos contra raiva esteja baixa, será necessária nova vacinação e novo teste 4 meses após a aplicação da vacina. Nesse período de quatro meses, o animal doméstico não poderá ir para a Suíça. Não mais do que cinco animais podem ser trazidos para a Suíça. É proibida a entrada de animais com rabos ou com orelhas cortadas na Suíça. Recomenda-se informar-se, diretamente, em:

https://www.blv.admin.ch/blv/en/home/tiere/reisen-mit-heimtieren.html

http://blv.bytix.com/plus/dbr/default.aspx?lang=en

Vacinação

Conforme informado pelo sítio eletrônico do Departamento Federal de Assuntos Estrangeiros da Suíça (http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/cgrio/brasbs/vissao/faqvis.0014.html#faq0014), não há exigência de vacina específica para entrar no território suíço.

Seguro-saúde

Os cidadãos brasileiros deverão viajar para a Suíça munidos de seguro contra acidentes e de assistência médico hospitalar, válido durante todo o período da estada. A cobertura mínima do seguro deve ser de EUR 30.000 euros e deverá cobrir custos de repatriação por razões médicas, tratamento médico de urgência, hospitalização e traslado do corpo em casos de óbito. O cidadão brasileiro deve precaver-se contra seguros mais baratos, que podem oferecer apólices que não cubram os custos acima mencionados. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante

Porte de dinheiro

É proibida a entrada na Suíça de dinheiro em espécie, moedas estrangeiras ou em cheques, ações ou obrigações com valor igual ou superior a CHF 10.000,00.

Cidadãos brasileiros em viagem ao país que estejam portando mais de 10.000 euros ou equivalente devem declarar a quantia. Dinheiro não declarado pode ser confiscado na ocasião da partida, e cidadãos poderão ser processados pelas autoridades locais.

Informações alfandegárias

Ao passar pelo controle alfandegário suíço nos aeroportos ou nas fronteiras, os turistas brasileiros deverão apresentar, quando exigido, os documentos de viagem válidos (passaportes) e declarar espontaneamente todas as mercadorias e animais que estiverem transportando. As pessoas que nada têm a declarar devem utilizar a fila com sinalização verde. Em caso de dúvida, é aconselhável declarar. Se a entrada no país for feita por veículo, em caso de declaração, a regra é colocar o formulário de forma visível no painel de veículo. Os bens de uso pessoal e, no caso de veículos, o combustível para uso do próprio veículo não são tributáveis. As demais mercadorias transportadas poderão ser taxadas a partir do valor de CHF 300,00, com base no Imposto sobre Valor Agregado (TVA). Bebidas alcoólicas são taxadas a CHF 15,00 por litro, cigarros e  charutos, a CHF 0,25 por unidade e outros produtos de tabaco manufaturados, a CHF 0,10 por grama.

Restrições alfandegárias

É proibida a entrada na Suíça de produtos alimentícios de origem animal ou vegetal não provenientes do Espaço Schengen, produtos diretos ou derivados de animais e plantas sob ameaça de extinção, substâncias entorpecentes, mercadorias falsificadas, bens culturais ou artísticos, joias e relógios de alto valor, medicamentos que não sejam para uso pessoal sem receita médica, plantas e detectores de radar. Para maiores informações sobre restrições alfandegárias na Suíça, deve ser consultado o sítio eletrônico da Administração Federal de Alfândega da Confederação Suíça (http://www.ezv.admin.ch/zollinfo_privat/), com textos em alemão, francês, italiano e inglês.

Para informações sobre entrada, na Suíça, de diversos produtos e sobre reembolso de imposto pago por bens adquiridos, nesse país, recomenda-se verificar a página da Administração Federal da Aduana:

http://www.ezv.admin.ch/zollinfo_privat/index.html?lang=en

Reembolso alfandegário

Os turistas poderão solicitar reembolso do Imposto local sobre Valor Agregado (TVA) . Para tal, devem verificar as regras constantes do sitio eletrônico http://www.ezv.admin.ch/zollinfo_privat disponível em inglês, italiano , alemão e francês.

Viagens não-turísticas

Os cidadãos brasileiros que pretenderem exercer outras atividades no país, como estudo de longa duração ou trabalho, ou que solicitem visto permanente por terem cônjuge suíço, ou por reagrupamento familiar, ou visto para preparação de casamento ou para preparação de parceria registrada entre pessoas do mesmo sexo, dentre outros, deverão candidatar-se ao visto apropriado, com as regras previstas pelo Governo suíço que, no Brasil, poderão ser verificadas em português nos sítios eletrônicos do Departamento Federal de Assuntos Estrangeiros (http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/ref_visinf/vissao.html), junto à Embaixada da Confederação Suíça em Brasília (http://www.eda.admin.ch/brasilia), e junto aos Consulados-Gerais da Suíça em São Paulo e no Rio de Janeiro e aos Consulados da Suíça em Curitiba, Fortaleza, Joinville, Manaus, Porto Alegre, Recife e Salvador.

Dupla nacionalidade

O país permite a dupla nacionalidade. Destaca-se, no entanto, que, no Brasil, nacionais devem entrar e sair portando passaporte brasileiro. Assim, cidadãos com dupla nacionalidade devem viajar necessariamente com o passaporte brasileiro. Mais informações estão disponíveis no aviso Brasileiros com dupla nacionalidade.

Entrevistas

No momento da entrevista com as autoridades de fronteira, recomenda-se postura tranquila e séria, evitando postura excessivamente informal. É importante que o viajante brasileiro não conte com gestões ou facilidades proporcionadas pelo agente de imigração. Nesse sentido, recomenda-se que o cidadão brasileiro viaje com todos os documentos e provas de sua estadia impressos, e não na dependência de poder obtê-las por via eletrônica, já que não contará com um computador nem internet, nem mesmo com a possibilidade de buscar tais documentos na bagagem despachada.

Permanência

Imigração irregular

Assistência consular é prestada a todos os cidadãos brasileiros no exterior, independentemente de sua situação migratória. No entanto, o Governo brasileiro recomenda fortemente que nacionais do Brasil no exterior busquem sempre estar em situação migratória regular. A legislação de determinados países pode punir a imigração irregular de maneiras severas, prevendo multas de valor expressivo e, em alguns casos, detenção. Recomenda-se, nesse sentido, a leitura detalhada das informações publicadas na seção Imigrar para outros países.

Estudantes brasileiros no exterior

Cidadãos que pretendem viajar ao exterior para estudar devem atentar-se à necessidade de planejar cuidadosamente sua estadia, especialmente se for a primeira vez que realizam viagem internacional. Devem solicitar visto à Embaixada do país com a devida antecedência; pesquisar e conhecer a realidade do país e da cidade onde pretendem estudar, em particular sobre seu sistema de ensino; conhecer os costumes locais; ter domínio do  idioma do ensino e verificar antes com as autoridades competentes do Ministério da Educação do Brasil e das universidades federais sobre os procedimentos para efetuar a revalidação de seus estudos e diplomas no Brasil. Antes de viajar, recomenda-se anotar os números de contato da Embaixada ou Consulado do Brasil mais próximo, em caso de necessidade, e efetuar sua matrícula consular na Representação brasileira, para que possa entrar em contato em caso de emergências.  Se tiver de usar medicamentos para condição de saúde ou enfermidade, deve-se verificar se a receita médica será válida no país de estudo ou quais seriam as exigências para receber receita médica no local. Mais informações estão disponíveis na seção Estudar em outros países

Trabalhar no exterior

Modelos, jogadores/técnicos de futebol e outros profissionais brasileiros que pretendem trabalhar no exterior devem ler cuidadosamente a cartilha Orientações para o Trabalho no Exterior, elaborada para ajudar cidadãos brasileiros que pretendem trabalhar no exterior. Recomenda-se vivamente que a leitura seja feita antes da assinatura de qualquer contrato de trabalho com clube, empresa ou representação estrangeira.

Registro de estrangeiros

Uma vez em território suíço, o cidadão brasileiro não precisa registrar-se junto às autoridades locais em viagens de turismo e negócios que não excedam 90 dias. Para aqueles que ficarão por períodos prolongados em viagens de estudo ou trabalho ou para outros fins, faz-se necessária a inscrição nos Órgãos Cantonais de Administração e Controle da População.

Visto de dançarinas

Em 22 de outubro de 2014, o Chefe do Departamento Federal de Justiça e Polícia da Suíça anunciou, por intermédio da imprensa local, que o visto L, concedido pelo Governo suíço a dançarinas/artistas de cabaré ("Tänzerinnenstatuts/ statut d'artiste de cabaret/ statuto di  artista di cabaret"), previsto na Lei Federal de Estrangeiros da Suíça, de 16 de dezembro de 2005, deverá ser extinto a  partir de 1° de janeiro de 2016. O anúncio consta do sítio  eletrônico do Conselho Federal da Confederação Suíça (http://www.admin.ch/aktuell/00089/index.html?lang=fr&msg-id=54912). Até 31 de dezembro de 2015, os referidos vistos serão considerados válidos em território suíço. A partir dessa data, não terão mais validade.

Ciência sem Fronteiras

No âmbito do programa "Ciência sem Fronteiras" O Governo do Brasil tem adotado ampla política de concessão de bolsas para que jovens brasileiros possam estudar em universidades no exterior. Para solicitar assistência durante sua estada em outros países, inclusive na Suíça,  bolsistas do programa podem contatar os Consulados-Gerais do Brasil em Zurique e Genebra ou o Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) em Brasília. Para dúvidas técnicas sobre aspectos do programa ou auxílio financeiro, os estudantes poderão contatar a CAPES ou o CNPq diretamente. Para mais informações, recomenda-se leitura da página "Apoio ao bolsista no exterior", disponível no sítio do Programa Ciência sem Fronteiras, em   http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/apoio-ao-bolsista-no-exterior

Penalidades por estadia ilegal

Cidadãos estrangeiros que apresentem documento de viagem não aceito pelo Espaço Schengen ou que permaneçam em território suíço além do prazo regulamentar de 90 dias em um período de 180 dias, em viagens de turismo ou negócio, ou que fiquem
além do prazo regulamentar concedido para outros tipos de visto, poderão ser punidos pelas autoridades locais da seguinte forma:          

a) deportação sumária sem procedimentos específicos no momento de entrada;

b) abertura de procedimento administrativo formal para obtenção de provas materiais para deportação e posterior decisão passível de recurso, nos casos de indivíduos que tenham entrado, permanecido e exercido atividades no país sem o visto adequado;

c) entrega de intimação de saída (cartão vermelho), com data previamente marcada, quando o estrangeiro não oferece resistência para deportação, após o procedimento administrativo mencionado no item "b"; e

d) abertura de procedimento penal, passível de prisão ou de outra medida restritiva de direitos, a depender da gravidade do caso ou em casos de reincidência. A aplicação dos procedimentos acima tem se tornado cada vez mais rígida e frequente, em virtude do aumento do fluxo imigratório ilegal.

Residencia temporária

Pessoas com residência temporária, na Suíça, devem registrar-se e obter autorizações específicas a seu caso. Animais domésticos podem ter de ser registrados junto a órgãos locais e depender de autorizações e do pagamento de taxas específicas. É recomendável que pessoas com residência temporária, na Suíça, informem-se junto a comuna em que moram, a exempo, abaixo, de Genebra e de Lausanne, respectivamente:

http://www.ville-geneve.ch/themes/geneve-ville-internationale/accueil-habitants-nouvelles-habitantes/

http://www.lausanne.ch/thematiques/vivre-a-lausanne.html

Residentes temporários são obrigados a contratar seguro de saúde, assim como diversos outros seguros para a casa e automóvel que adquiram. Toda pessoa domiciliada na Suíça, adulto ou criança, é obrigada a se filiar a seguro de saúde para ter acesso a cuidados apropriados em caso de doença; de maternidade e acidente. Todas as pessoas têm direito às mesmas prestações no que se refere ao seguro de base. As diferenças entre as companhias de seguro se encontram na rapidez do reembolso, na facilidade de contato e na diferença de preço. É necessário ter dois conjuntos de pneus, uma para o verão e outro para o inverno e realizar controles antipoluição anualmente.

Informações adicionais

Para pormenores, pode-se consultar o sítio eletrônico do Ofício Federal de Imigração, com informações em alemão, francês, italiano e inglês (https://www.bfm.admin.ch/content/bfm/fr/home.html)

Segurança

Crimes, com diferentes graus de violência, ocorrem em qualquer lugar do mundo. Durante viagens ao exterior, cidadãos brasileiros devem permanecer atentos e ter sempre cautela, independentemente do destino escolhido. A maior parte dos crimes não violentos, como furtos e roubos, pode ser evitada tomando-se precauções normais de segurança, com atenção redobrada a pertences pessoais e a movimentações estranhas em lugares públicos, por exemplo. Em caso de ocorrência de crimes com vítimas, cidadãos brasileiros devem contatar imediatamente as autoridades policiais locais e a Embaixada ou Repartição consular do Brasil mais próxima. Para mais informações, pode-se acessar a informação Segurança do viajante

Perda de documentos brasileiros

No exterior, cidadãos brasileiros devem ter sempre o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro e seguir todas as orientações escritas nas páginas do documento de viagem. Durante a viagem, recomenda-se manter cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte em local seguro. A posse dessas cópias facilitará a emissão de novo passaporte, em caso de perda ou furto dos documentos originais. Cidadãos que estejam em retorno ao Brasil podem solicitar Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), cuja emissão é mais rápida e mais barata que um novo passaporte, sob determinadas condições. Em caso de dúvidas, recomenda-se a leitura da seção Perda de documentos brasileiros no exterior e, para saber sobre emissão de documentos brasileiros no exterior, pode-se consultar a página Emissão de documentos no exterior.

Criminalidade

A Suíça é considerada segura, mas deve-se atentar para alguns tipos mais comuns de crimes e anotar o número telefônico de emergência da polícia: 117. São mais comuns furtos de bolsas e de bagagens em transportes públicos, especialmente, em locais como estações de ônibus, de bonde e de trem. É usual que se aproveitem de momentos de embarque e de desembarque para levar objetos, imediatamente, antes de as portas se fecharem. Há, também, furtos a bens deixados em automóveis, incluindo os alugados. Outro tipo de crime que se registra é o furto a casas durante a ausência de seus moradores.

Vítimas de crimes

Providências que o cidadão brasileiro deve tomar caso seja vítima de algum crime:

a) consultar um médico, se necessário;

b) dirigir-se imediatamente à autoridade policial mais próxima e registrar boletim de ocorrência, com as seguintes informações: data, local e hora do incidente, perdas materiais e lesões corporais da agressão ou crime (fornecendo todos os elementos úteis ao inquérito); descrição física do autor, tipo e cores de vestimenta, sinais particulares, modelo, cor e número de placa do automóvel, se for o caso;

c) informar Representação diplomática ou Repartição consular do Brasil sobre sua situação.

Segurança pública

A Suíça não oferece riscos específicos de segurança para cidadãos brasileiros. As cidades suíças são confortáveis, organizadas, limpas, seguras e bem policiadas. Nos grandes centros urbanos, a exemplo de Zurique, Genebra, Berna, a Basileia, Lausanne e Lugano, os estrangeiros devem tomar as precauções de praxe para qualquer viagem internacional no sentido de proteger-se de eventuais furtos, principalmente nas estações de trem, nos sistemas públicos de transportes, nas áreas de diversão noturna e nas ruas onde se exerce a prostituição legal. Para atravessar as artérias das cidades, devem ser obedecidos as sinalizações das faixas de pedestre e os sinais luminosos. Deve-se prestar atenção para atravessar os trilhos de bondes, que têm freios menos potentes do que os veículos automotores. No verão, banhos e natação em lagos urbanos e, mais raramente, em rios urbanos, são permitidos, devendo ser obedecidas as regras de segurança básica e dada a preferência aos banhos organizados com serviço de salva-vidas.

Instituições fraudulentas

Recomenda-se aos brasileiros que planejam viajar ao país para estudar que se informem sobre a situação das instituições de ensino escolhidas. Antes de viajar, cidadãos brasileiros devem checar as informações sobre idoneidade das instituições e verificar aquelas credenciadas junto ao Governo local.

Tráfico de pessoas

A polícia brasileira, em cooperação com autoridades policiais de outros países e da INTERPOL, segue investigando casos de tráfico de mulheres envolvendo nacionais do Brasil. O Governo brasileiro preparou uma cartilha sobre o tema, para a difusão de informação sobre esse tipo de crime, com o intuito de prevenir potenciais vítimas. Mais informações podem ser encontradas no Guia de Atuação no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Caso seja vítima ou tenha alguma informação sobre eventual caso de tráfico internacional de pessoas envolvendo cidadão ou cidadã brasileira, recomenda-se fortemente que procure a Representação consular, para relatar o caso e receber orientações. Os dados serão tratados com a devida confidencialidade. Mais informações estão disponíveis em http://www.justica.gov.br/sua-protecao/trafico-de-pessoas

Assédio sexual e crimes contra a mulher

Denúncias de assédio sexual são raras, mas podem ocorrer em qualquer país, independentemente do destino escolhido. Mulheres devem evitar andar sozinhas pelo país, especialmente durante a noite e/ou em áreas isoladas.

Mais informações estão disponíveis no aviso "Mulheres em viagens ao exterior".

Contatos importantes

Os turistas poderão, na hipótese de serem vítimas de crime, fazer queixa em delegacias das polícias cantonais. Uma parcela dos agentes policiais poderá falar inglês.

Ambulância/ Sanität 114

Bombeiros/ Feuerwehr 118

Envenenamento/ Vergiftungen 145

Polícia/ Polizei 117 /112

Reboque/ Pannenhilfe 140

Rega (salvamento com helicóptero) 1414

Saúde

A situação geral de saúde em outros países pode ser bem diferente daquela do Brasil. Cidadãos estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita em grande número de países. Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais. O Ministério das Relações Exteriores não poderá se responsabilizar por despesas médicas de brasileiros no exterior.

Antes de viajar, nacionais brasileiros devem certificar-se de sua saúde física, tomando as vacinas indicadas para o destino escolhido. Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em caso de dúvidas, o Ministério da Saúde poderá ser consultado.

Para obter informações sobre surtos de doenças infecciosas no exterior, é importante consultar o sítio da Organização Mundial da Saúde (OMS), que contém dados detalhados sobre a situação específica de saúde de cada país.

Ao retornar de países com ocorrência de endemias, quaisquer sintomas devem ser imediatamente comunicados às autoridades de saúde brasileiras.

Falecimento de cidadão brasileiro

Na infeliz ocorrência de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, Repartições consulares do Brasil permanecerão à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares. Recomenda-se que a família do cidadão brasileiro falecido contate a Embaixada ou o Consulado da jurisdição para orientações, por meio dos telefones regulares ou, se for o caso, do celular de plantão. Cabe aos familiares do falecido custear as despesas de traslado dos restos mortais ao Brasil, se for o caso. Mais informações estão disponíveis na seção Emergências.

Rede de saúde

Excelente serviço de assistência médica está disponível no país. Para emergências médicas ou odontológicas de menor gravidade, podem ser utilizados os serviços de clínicas localizadas nas estações ferroviárias das grandes cidades. Em Zurique, por exemplo, pode-se procurar o Plantão Médico na Estação de Trem Central ("Permanence Hauptbahnhof Zürich), das 07:00 às 24:00 horas, telefone 044 215 44 44 para adultos e 043 343 00 00 para crianças ("Kinder Permanence") . A Farmácia da Estação Central de Trem ("Bahnhof Apotheke") permanece aberta 24 horas, 7 dias por semana - 044 225 42 42.

Seguro-saúde

Cidadãos brasileiros deverão viajar para a Suíça munidos de seguro contra acidentes e para assistência médico-hospitalar, válido durante todo o período da estada, conforme indicado no item referente aos requisitos básicos de entrada. Os hospitais aceitam internações, desde que os pacientes estejam munidos do seguro de assistência médico-hospitalar acima mencionado. Se os pacientes não puderem comprovar a existência do seguro, deverão ser feitos depósitos prévios, que podem atingir cifras de CHF 20.000,00. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas no tópico Saúde do viajante

É necessário ter seguro para viagens e recomenda-se anotar o número telefônico de emergência para chamar ambulância: 144. De acordo com recomendação suíça, o seguro deve incluir todo o período da viagem e todos os países a serem visitados. Recomenda-se, também, valor mínimo total de EUR 30 000 e cobertura para: gravidez e parto; atendimento médico e internações hospitalares de emergência; e repatriação por motivo de saúde.

Contatos importantes

Outros números de urgência em Zurique são: Urgência médica ("Ärztefon Notfälle") - 044 421 21 21

SOS Médicos para visitas  domiciliares ("SOS Ärzte") - 044 360 44 44

Clínica Oftalmológica ("Augenklinik") - 044 255 49 49

Hospital Infantil ("Kinderspital") - 044 296 73 10

Psiquiatria ("Psychiatrie") - 044 296 73 10

Hospital Universitário ("Universitätspital") - 044 255 11 11

Dentista 24 horas ("Zahnarzt") - 044 262 11 11

Existem ferramentas “online” para encontrar médicos e dentistas:

http://www.doctorfmh.ch/index_en.cfm

https://www.sso.ch/fr/sso/trouver-un-medecin-dentiste.html

O Consulado-Geral do Brasil em Genebra tem lista de médicos que informaram poder atender em português. Esses profissionais não são endorçados ou recomendados pelo Consulado. Trata-se, apenas, da divulgação de serviços que qualquer um pode solicitar. A lista, assim como outras informações, está disponível em:

http://genebra.itamaraty.gov.br/pt-br/guia_de_saude_da_suica_romanda.xml

Transportes

Infraestrutura de transportes

A infraestrutura de transportes rodoviário, aéreo, ferroviário e marítimo, bem como de transportes públicos, de táxis e de aluguel de veículos pode ser bem diferente no destino escolhido, quando comparada à infraestrutura do Brasil, especialmente em regiões inóspitas. Antes de viajar, recomenda-se leitura detalhada das informações sobre meios de transporte no país escolhido, procurando, se necessário, dados adicionais. Em caso de dúvidas, a Embaixada ou Representação consular do Brasil poderá ser contatada. Outras informações podem ser obtidas, ainda, na página Carteira de Habilitação do Portal Consular. 

Transporte aéreo

Os principais aeroportos suíços são o Aeroporto Internacional de Zurique (Kloten) (http://www.flughafen-zuerich.ch/), o Aeroporto Internacional de Genebra (Cointrin) (http://www.gva.ch/en/desktopdefault.aspx) e, em menor escala, o Aeroporto Franco-Suíço da Basileia/Mulhouse (http://www.euroairport.com/en/). O Aeroporto de Berna (www.flughafenbern.ch)é de pequeno porte, mas tem ligações aéreas diárias com capitais europeia sem aviões pequenos. O Aeroporto Internacional de Zurique tem voos diretos e conexões para grandes centros urbanos europeus e mundiais. Para o Brasil, há voos diários para São Paulo, pela empresa aérea Swiss, ou por outras empresas, com conexões em Lisboa (TAP), Paris (Air France), Madri (Iberia), Milão (Alitalia), Londres (British Airways), Frankfurt (Lufthansa), Munique (Lufthansa) ou Amsterdã (KLM). As empresas TAM e GOL podem ser utilizadas como alternativas de conexão em outras capitais europeias, mas não têm voos para a Suíça. Os percursos mais comuns incluem escala em um dos países europeus, principalmente, Portugal, mas, também, Espanha, França e Alemanha, e entrada, na Suíça, em Genebra ou em Zurique. A malha ferroviária do país permite acesso aos grandes centros urbanos e a todas as regiões do país, inclusive às regiões alpinas, com grande fluxo de turistas durante todo o ano. Em Genebra, na área de recuperação de bagagens, há máquina que permite retirar bilhete de transporte público gratuito para o centro da cidade.

Transporte ferroviário

As rodovias suíças são superadas pela excelência de rede ferroviária que serve a integralidade dos centros urbanos, inclusive aqueles situados nas regiões montanhosas, com horários múltiplos e possibilidades múltiplas de conexões. A Companhia Ferroviária Federal (SBB / CFF / FFS) dispõe de guichês e pontos de venda em todas as estações. No sítio eletrônico da SBB / CFF / FFS (www.sbb.ch) podem ser consultados todos os trajetos possíveis em território suíço, em alemão, francês, italiano ou inglês, com horários, conexões e preços. É possível a compra de bilhetes na internet. Como em demais países da Europa, é possível transitar pela Suíça de trem. O país conta com malha ferroviária extensa e de grande qualidade. Trens para os grandes centros urbanos do país são frequentes e regulares. Atrasos não costumam acontecer e, quando ocorrem, não são significativos. Há passes de trem de longa duração que dão direito ao uso dos transportes públicos.

Transporte público

Os centros urbanos suíços são servidos por uma extensa e confiável malha de transportes públicos (bondes, ônibus e barcos em cidades lacustres e fluviais). Os ônibus e bondes públicos servem as cidades e arredores durante 24 horas e 7 dias da semana. Viagens de curta duração em bondes ou ônibus em trechos curtos têm custo em torno de CHF 2,50 e validade de até 30 minutos. Para os turistas, é possível comprar cartões de ½ tarifa de transportes em geral, urbanos ou interurbanos (trens, bondes e ônibus), por uma semana ou até 30 dias. As modalidades mais baratas para turistas podem ser verificadas em balcões específicos das estações ferroviárias, inclusive daquelas situadas nos Aeroportos Internacionais de Zurique e Genebra. Os passes têm diferentes custos a depender da idade, do sexo, da profissão ou de necessidades especiais, bem como da escolha pela primeira ou segunda classe. Os atendentes nas estações ("Gare", "Bahnhof", "Stazione" ou "Staziun") podem falar alemão, francês, italiano, inglês ou espanhol. Os serviços de transportes urbanos têm quiosques específicos de venda, a exemplo de Zurique, com informações no sítio www.zvv.ch.

Na Suíça, os meios de transporte públicos são confortáveis e de excelente qualidade. Em Genebra, não há metrôs, mas linhas de ônibus e de bonde (“tram”) atravessam toda a cidade. Existe aplicativo para “smartphone” da “Transports Publics Genvois” (TPG), que lista horários de parada dos veículos em cada estação. Raramente há atrasos. Há monitor em todos os veículos, o que permite ler o nome das próximas estações. A etiqueta local preza que os passageiros que estão saindo dos veículos têm prioridade. Bilhetes de transportes públicos devem ser apresentados a fiscais se solicitado para evitar multa de CHF 160. O custo de bilhete unitário é de CHF 3, válido por uma hora para Genebra e cercanias, e o diário é cobrado por CHF 10. Os bilhetes podem ser comprados em máquinas nas paradas, a maioria das quais aceita cartão, e por aplicativo de “smartphone”.

Os transportes públicos, ônibus e bondes (“tram”), das cidades suíças costumam ser bastante eficientes, enquanto que os taxis costumam ser caros. Para utilizar os transportes públicos, basta comprar, nas estações e pontos de embarque e de desembarque, bilhete que dá direito ao uso dos transportes públicos em determinada região da cidade por certo período de tempo a baixo custo. É possível que o hotel em que esteja ofereça bilhete turístico válido pela estadia prevista. 

Táxis

Em seus deslocamentos, o turista deve optar por meios de transporte seguros: usar os serviços de táxis com agendamento por telefone ou os táxis recomendados pelos principais hotéis, evitando tomar táxis avulsos.

Transporte rodoviário

A Suíça possui uma extensa malha rodoviária de qualidade, com autoestradas e estradas nacionais e vicinais, mantidas de forma impecável. As autoestradas ligam as grandes cidades e conectam-se com aquelas dos países vizinhos. O limite de velocidade nas autoestradas é de 120Km por hora, nas estradas vicinais a velocidade máxima é definida pelas autoridades cantonais e municipais, mas nunca ultrapassam 80km por hora e nas cidades, o limite varia de 30km a 50 km por hora. O sentido de direção é o mesmo do Brasil.

É obrigatório colocar nos veículos selo de permissão ("vignette autoroutière", "Autobahnvignette", "Contrassegno") para dirigir nas estradas suíças, que pode ser adquirida nos postos alfandegários de fronteira, nos postos de gasolina e nas agências dos correios (Die Post/La Poste/La Posta).

Os carros particulares têm acesso restrito a determinadas áreas dos centros históricos das cidades suíças, embora haja estacionamentos pagos nas proximidades, com custos variáveis, que atingem montantes de CHF 5,00 por hora ou CHF 40,00 por dia.

Informações adicionais podem ser encontradas em francês, italiano, alemão e inglês no sítio eletrônico (http://www.ezv.admin.ch/zollinfo_privat/04338/04340/index.html?lang=fr).

Em Genebra, as ruas são bem sinalizadas, mas o trânsito não é ágil e a circulação no centro da cidade e em locais históricos é limitada. Há engarrafamentos nos horários de rush e em alguns bairros é difícil encontrar vagas para estacionamento. É necessário atentar para faixas exclusivas para fazer curvas ou para seguir à diante.

 As regras de utilização das vagas de estacionamento são indicadas pelas cores utilizadas pela marcação. Além dos estacionamentos pagos, é possível também estacionar nas vagas localizadas nas vias públicas, que são divididas em duas categorias, azuis e brancas. Para utilizar as vagas azuis, gratuitas por determinado tempo, deverá indicar a hora em que estacionou o carro por meio de cartão giratório específico chamado de “macarron”, que deve integrar carros alugados e pode ser adquirido em agências de correio, bancas de jornal, etc. Para utilizar as vagas brancas, deverá fazer pagamento em parquímetro, usualmente, por meio de moedas e sem direito a troco. As vagas amarelas são apenas para carga e descarga. Nos domingos e à noite, em geral, o estacionamento é livre.

As estradas Suíças são de grande qualidade, e o país utiliza o mesmo sentido de trânsito do Brasil, mas sua sinalização e limites de velocidade são distintos. Próximo de escola, o limite de velocidade é de 30 km/h; dentro das cidades, de 50 km/h; em vias de acesso, de 80 km/h; em vias rápidas, de 100 km/h; e em autoestradas, de 120 km/h. Autoestradas são sinalizadas pela cor verde, enquanto que, na União Europeia, utiliza-se o azul. Controles de velocidade por radar são frequentes e não costumam estar sinalizados e as multas são pesadas. Multas de trânsito são enviadas para sua casa, mesmo, no Brasil, e devem ser pagas, diretamente, ao órgão que as emitiu, por transferência bancária internacional. Caso esteja, na Suíça, ao receber a multa, poderá pagá-la nos correios.

Aluguel de veículos

Veículos podem ser alugados facilmente na Suíça com empresas internacionais e locais, que mantêm agências nos aeroportos e estações centrais. Veículos alugados já deverão vir com o selo.

Carteira de Habilitação

O turista brasileiro pode dirigir nas estradas suíças munidos da carteira de motorista brasileira desde que esteja válida. A idade mínima para dirigir é de 18 anos. Ao utilizar o veículo de terceiros, as autoridades suíças recomendam que o motorista tenha consigo autorização escrita do proprietário do veículo, para comprovar que está autorizado a utilizá-lo e que não se trata de automóvel roubado ou furtado. As autoridades suíças recomendam a leitura do parágrafo 1º, alínea a, e parágrafo 2º, do Decreto Suíço sobre a Admissão de Pessoas e Veículos ("Ordonnance réglant l´admission des personnes et des véhicules à la circulaton routière" / http://www.admin.ch/opc/fr/classified-compilation/19760247/index.html#a42), que rezam:              

Parágrafo 1º. Os motoristas estrangeiros só podem dirigir veículos na Suíça se forem titulares de: (a)carteira de motorista nacional válida; ou (b)carteira de motorista internacional válida prescrita pela Convenção de 24 de abri de 1926 relativa à circulação automotiva, ou pela Convenção de 19 de setembro de 1949 ou aquela de 8 de novembro de 1968 sobre a circulação, apresentada junto com a carteira válida do país de origem.

Parágrafo 2º. A carteira de motorista nacional estrangeira ou internacional dá ao seu titular o direito de dirigir na Suíça nas categorias de veículos mencionadas  expressamente e claramente e em letras do alfabeto latino.

A carteira de habilitação brasileira é, comumente, aceita na Suíça pelo período de um ano. Antes do fim desse prazo, é necessário solicitar ao órgão de controle cantonal troca por equivalente suíço, para o que é necessária a realização de prova prática. Em caso de reprovação, deverá ser cursada autoescola suíça, que costuma ser cara. É recomendável a realização de algumas aulas antes da prova para familiarizar-se com o trânsito local

Multas de trânsito

Multas de trânsito recebidas na Suíça não podem ser pagas nas Repartições Consulares suíças no Brasil. Elas devem ser pagas através de transferência internacional bancária ou via boleto bancário na Suíça, diretamente ao órgão suíço que emitiu a multa. Em caso de dúvidas, os interessados devem entrar em contato por e-mail ou telefone com o próprio órgão na Suíça que emitiu a infração de trânsito. As multas são expressivamente mais caras que aquelas cobradas no Brasil.

Ciclovias

As cidades suíças dispõem de áreas verdes e ciclovias nos centros históricos e às margens dos lagos e/ou rios.

Pedestres

Na Suíça, os motoristas e pedestres, em geral, respeitam as regras de trânsito e de tráfego, sendo que os veículos param espontaneamente nas faixas para pedestres, quando não há sinais luminosos. Pedestres e ciclistas são respeitados e contam com ciclovias e com faixas em que é possível atravessar as sem precisar dar sinal. Ainda assim, a prudência é recomendada. Habitantes locais costuma utilizar patinetes para trajetos curtos.

Infraestrutura turística

Orientações gerais

Ao planejar suas viagens, cidadãos brasileiros devem estar cientes de orientações básicas, válidas para todo tipo de viagem ao exterior, independentemente do país escolhido como destino. Recomenda-se, assim, a leitura cuidadosa das informações disponíveis em Orientações gerais para quem vai viajar ao exterior.

Atrações turísticas

A Suíça é dotada de um belo território, no qual predominam paisagens alpinas entremeadas de geleiras e lagos e cursos d´água em profusão. Os turistas estrangeiros, inclusive os brasileiros, são atraídos pelas grandes cidades, em especial Genebra, Zurique, a Basileia, Lausanne e Berna, mas costumam seguir roteiros turísticos muito apreciados, a saber: o Lago Léman, incluindo Montreux e o Castelo de Chillon e as atrações na margem francesa que incluem Évian-les-Bains e Yvoire ; Friburgo e a região de Gruyère, famosa por seu queijo; Berna e seu centro histórico medieval; a região dos Lagos de Neuchâtel, Murat e Bienne, incluindo La-Chaux-de Fonds e Le Locle, centros da indústria relojoeira de luxo; a Basileia e seus renomados museus; Zurique, com seu lago e centro medieval à beira do rio Limmat; Schaffhausen e a maior queda d´água da Europa no Rio Reno; o lago de Constança ("Bodensee"), na tríplice fronteira entre Suíça, Alemanha e Áustria; o Principado de Liechtenstein; Lucerna e o Lago dos Quatro Cantões; e o Ticino, com as paisagens quase mediterrâneas de Lugano, Locarno, Ascona, as fortificações medievais de Bellinzona e os Lagos de Como, Maior e de Lugano, na fronteira com a Itália.

Entre as atrações de Genebra, contam-se: a catedral de São Pedro; o “Jet d’eau” fonte de 140 metros de altura símbolo da cidade; o Museu Patek Philippe; o Museu de Arte e História, entre outras. Diversos organismos internacionais estão sediados, na cidade, e oferecem atrações para turistas. Entre eles, contam-se a Organização das Nações Unidas (ONU); o Comitê Internacional da Cruz Vermelha; e o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN). Genebra oferece diversas opções culturais, a cidade comporta grande número de museus; de teatros e diversas salas de cinema e galerias de arte. O Grand Théâtre oferece intensa programação de peças; de óperas e de recitais. Genebra recebe diversos eventos internacionais ao longo do ano, como o Salão do Automóvel, em março, quando os hoteis ficam lotados.

Clima

As estações do ano são bem marcadas. Os verões são bastante quentes e neva nos invernos, principalmente, nos alpes. Esses apresentam clima mais frio que o das regiões mais baixas e são muito procurados para a prática de esportes de inverno.

Vida cultural

Zurique e os demais grandes centros urbanos possuem vida cultural expressiva, com concertos, ópera, teatro, espetáculos musicais, museus, galerias de arte, bem como vida noturna de porte, principalmente em Zurique, Genebra, a Basileia, Lausanne, St. Gallen e Lugano.

Gastronomia

A gastronomia suíça está voltada para os hábitos de montanha, como reflexo do rigor invernal nos Alpes. Os pratos típicos nacionais são a "fondue" (queijo derretido para comer com nacos de pão), a "raclette" (queijo aquecido para comer com frios, cebolas e pepinos em conserva e batatas) e o "rösti" (batatas raladas e cozidas de forma compacta em caçarolas, com toucinho defumado e outros ingredientes). Há queijos de qualidade e frios com várias denominações de origem controlada dos diversos cantões e regiões, a exemplo do Gruyère, do Emmental, do Appenzell e da Carne dos Grisões. O suíços são apreciadores de café. Quanto às bebidas alcoólicas, apreciam cerveja, nos cantões da Suíça Alemã, e vinho, principalmente branco, para acompanhar 'fondues" e "raclettes". Os vinhos suíços são produzidos principalmente na Suíça Romanda, a exemplo do cantão do Valais e do cantão de Vaud, onde estão os centenários vinhedos de Lavaux, classificados como patrimônio da humanidade pela UNESCO.

Comunicações e idiomas

O inglês é utilizado como língua veicular para turistas estrangeiros, principalmente nos cantões de língua alemã, embora uma parcela expressiva da população domine, além do próprio idioma, um segundo idioma oficial.

Os idiomas oficiais são o alemão; o francês; o italiano; e o romanche. A variante suíça do alemão é, bastante, diferente daquela falada em países como a Alemanha e a Áustria, mas falantes do alto alemão costumam ser capazes de se fazer entender. Não se deve esperar que suíços falem outros idiomas que os correntes em seu local de residência, ainda que se trate de língua oficial.

A língua estrangeira mais utilizada é o inglês, e é fácil encontrar quem fale português nas grandes cidades. Cerca de um quarto de sua população é de origem estrangeira, quase a metade dos quais formada por italianos; por alemães; e por portugueses.

Câmbio

A moeda oficial é o franco suíço, cuja abreviação é CHF ou SFr. Em fins de outubro de 2016, CHF 1,00 equivalia a BRL 3,15; a USD 1,01; a e EUR 0,92. Há casas de câmbio em aeroportos; nas fronteiras mais movimentadas; nos centros das grandes cidades; e, por vezes, em shoppings. Em cidades fronteiriças, grandes estabelecimentos cormerciais podem aceitar pagamentos em euros além de francos suíços, mas trata-se de exceção. Há locais que só aceitam pagamentos em dinheiro ou que colocam limites mínimos para pagamentos por cartão. Caixas automáticos são fáceis de serem encontrados. O euro e dólar norte-americano podem ser utilizados facilmente como moedas de troca nas agências de câmbio, localizadas nas estações ferroviárias e nos aeroportos.

Estabelecimentos comerciais

O comércio fecha cedo durante a semana, com exceção das quintas-feiras, e nos sábados e fica fechado nos domingos e nos feriados. As lojas do aeroporto são as únicas que abrem por mais tempo e todos os dias do ano. O Balexert, o único shopping, é pequeno para os padrões brasileiros e não fica próximo do centro. Lojas de marca ficam ao longo do lado esquerdo da cidade, e há lojas de departamento, no centro, dos dois lados. Algumas cadeias locais concentram as ofertas de determinados produtos, como eletrônicos. Restaurantes, também, costumam fechar cedo tanto para almoço como para jantar.

Bancos

Há bancos brasileiros no país. Opera, na Suíça, o Itaú (Zurique). 

Bancos estrangeiros com operação no Brasil operam, também, no país. Destaca-se, na Suíça, o Santander.

Ligações internacionais

Da Suíça, pode-se ligar para o Brasil e os demais países, discando-se 00 + o prefixo de país + o número desejado. Os custos costumam ser altos, se as ligações forem feitas de telefones fixos em hotéis ou de telefones celulares com "roaming". Existe a possibilidade de compra de cartões com números especais com custos mais baixos vendidos em bancas de jornais.

Pelo plano Brasil Direto, a Embratel oferece a possibilidade de que cidadãos brasileiros possam ligar para um número telefônico no Brasil a partir de telefone público, fixo ou celular no exterior. As ligações são pagas somente a partir do Brasil. Em caso de dúvidas, é possível contatar um telefonista da Embratel, que atende em português. Para mais informações sobre o plano Brasil Direto, inclusive sobre países de abrangência e valores, consulte o portal da Embratel, em http://portal.embratel.com.br/fazum21/brasil-direto/numeros-de-acesso/.

Costumes locais e legislações específicas

Legislação local

Durante sua estadia em outro país, cidadãos brasileiros estão sujeitos às leis locais, ainda que elas sejam bem diferentes da legislação do Brasil. Viajantes que desobedeçam às leis locais podem ser multados, processados ou presos. Recomenda-se que, antes de viajar, cidadãos brasileiros estudem a legislação e os costumes do destino escolhido, contatando, se necessário, a Embaixada ou Repartição consular do Brasil no exterior, em caso de dúvidas sobre questões pontuais.

As leis variam bastante de cantão para cantão. Os 26 cantões, comparáveis aos estados do Brasil, são soberanos, em tudo, exceto naquilo que for previsto pela própria Constituição. Politicamente, a Suíça é uma confederação.

 As normas suíças tendem a ser estritas, e a punição de infrações, severa. A taxa de alcoolemia maxíma é de 0,5 grama/litro (equivalente a um copo de vinho) e o tráfico de entorpecentes é reprimido. Em caso de denteção, o brasileiro tem o direito de informar o consulado de seu país e pode contar com advogado e com tradutor cedidos pelo governo suíço para realizar sua defesa.

Questões de gênero

Normas legais e/ou religiosas que regulam o direito das mulheres podem variar consideravelmente de país a país. Cidadãs brasileiras podem encontrar, em outros países, realidade completamente diferente daquela do Brasil. Recomenda-se que mulheres em viagens ao exterior leiam detalhadamente as informações da página Mulheres em viagens ao exterior.

Prisão de cidadão brasileiro

Em caso de prisões envolvendo cidadãos brasileiros, os detidos têm o direito de contatar agentes consulares do Brasil para pedir assistência. Nesses casos, nacionais devem sempre requisitar às autoridades policiais locais que comuniquem a situação à Embaixada ou Repartição consular brasileira o mais rápido possível. O Posto esclarecerá ao brasileiro detido quais são seus direitos no país e prestará apoio para que sua integridade física e psicológica seja respeitada. Para mais informações, deve-se acessar a página Detenção no exterior. Em casos de detenção por tráfico de drogas, recomenda-se, ainda, a leitura do guia Detenção por tráfico de drogas no exterior

Identificação

Pela lei local, todos os cidadãos estrangeiros no país devem portar documento de identificação. Assim, recomenda-se que cidadãos brasileiros portem, a todo momento,  cópia do passaporte brasileiro, deixando o original em local seguro, para evitar perdas ou furtos.  Autoridades policiais podem requisitar, a qualquer momento, prova de identificação. Nessas ocasiões, cidadãos que não tenham em mãos documento de identidade estão sujeitos a multas, possíveis interrogatórios e, em casos mais graves, até detenção.

Particularidades culturais

A Suíça é um país extremamente organizado. O povo helvético é discreto e, às vezes, tímidos. São corteses e cumpridores da palavra dada. Os suíços são pontuais, em harmonia com a tradição e precisão da indústria relojoeira, o que se reflete em vários espectros sociais e com consequências de ordem prática, como nos transportes públicos. Soluções de improviso não são bem vistas localmente.

Minorias étnico-culturais

As minorias étnico-culturais são protegidas por lei e o país é um exemplo vivo da possibilidade de convivência pacífica entre grupos de idiomas e culturas distintos. Existe, contudo, certa resistência à imigração em determinados segmentos da sociedade, como reação aos fluxos crescentes de imigração de nacionais de países da Europa do Leste, da África, da Ásia e dos demais continentes, que buscam melhores condições de vida na Confederação.

Mulheres na Suíça

As questões de gênero são amplamente discutidas em âmbito federal e cantonal e as mulheres atingiram bom patamar de igualdade com os homens nas últimas décadas, embora a Suíça tenha sido um dos últimos países da Europa Ocidental a adotar o sufrágio universal para o gênero feminino no século XX. Todos os cantões dispõem de centros de proteção contra violência à mulher, a exemplo do FIZ (Centro de Apoio às Mulheres Migrantes e Vítimas de Tráfico de Mulheres), em Zurique. O FIZ defende os direitos e a proteção das migrantes atingidas pela violência e pela exploração sexual, situado na Badenerstrasse 682, 8048 Zurique, tel. +41 44 436 90 00, email: contact @fiz-info.ch, com informações em português em seu sítio eletrônico (http://www.fiz-info.ch/pt/Home).

Tolerância religiosa

A Suíça não tem religião oficial de Estado e a liberdade de culto, consciência e crença é garantida constitucionalmente. Berço de Calvino e de Zwingli e de seus movimentos reformistas, a Suíça tem 38,82% de católicos, 30,9% de Igrejas Evangélicas Reformadas, 20,1% de ateus e agnósticos, 4,5% de muçulmanos, 0,2% de judeus e 5,5% de outras religiões.

Prostituição

A prostituição é legal na Suíça, em ambientes fechados ou na rua, e depende de legislações cantonais. A legalidade não afasta, contudo, a possibilidade de existência de crimes ligados ao tráfico de pessoas, tráfico de substâncias ilícitas, abuso sexual e violência em ambientes destinados a esse fim.

Portadores de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida

Os edifícios públicos e, em menor medida, os prédios privados, bem como hotéis, hospitais e transportes públicos oferecem acessibilidade facilitada para os cidadãos locais e estrangeiros que tenham necessidades especiais ou mobilidade reduzida. Para mais informações, recomenda-se a leitura da página Pessoas com deficiência em viagens ao exterior

Na Suíça, a acessibilidade é, em geral, satisfatória. Prédios públicos costumam ser acessíveis. O mesmo não acontece com hoteis, comércio e restaurantes. É conveniente ligar com antecedência. É acessível aos cadeirantes a maior parte dos bondes e ônibus, que custumam estar indicados nas placas de informação nas paradas. Quanto aos trens, é necessário solicitar assistência especial com antecedência antes do embarque. Informações adicionais podem ser obtidas em:

https://www.myswitzerland.com/pt-ch/transporte-1-1/physically_challenged.html

Silêncio

Os suíços são ciosos do direito ao silêncio, que deve ser respeitado em todas as horas do dia e com extremo rigor das 22:00 às 06:00, sendo essa informação válida para hotéis e para os transportes públicos. Nos trens, há vagões do silêncio, nos quais os passageiros não devem conversar, telefonar ou fazer ruídos.

Reciclagem de lixo

A limpeza das cidades suíças é obtida com o rigor da reciclagem de lixo, com locais específicos para materiais diferentes e recipientes para o lixo urbano em todos os pontos das cidades.

Pena capital

A Suíça não adota a pena de morte. As tipificações penais estão previstas no Código Penal Suíço, que pode ser consultado no sítio eletrônico http://www.admin.ch/opc/fr/classified-compilation/19370083/index.html. Os procedimentos judiciais costumam ser expeditos e o cumprimento de penas nos estabelecimentos prisionais suíços se faz de forma exemplar. Os prisioneiros são tratados de acordo com os princípios dos direitos humanos. A estada ilegal no país pode ocasionar penas privativas de liberdade, até que os procedimentos de deportação sejam concluídos, com duração indefinida. O Departamento Federal de Justiça e Polícia - DFJP suíço mantém informações sobre os diplomas legais referentes a crimes e delitos, de acordo com o ordenamento jurídico suíço, no sítio eletrônico http://www.ejpd.admin.ch/content/ejpd/fr/home/themen.html.

Feriados nacionais

Ano Novo - 1º de janeiro

São Bertoldo - 2 de janeiro

Paixão de Cristo - Sexta-feira Santa (feriado Móvel)

Pascoela - Segunda-Feira de Páscoa (feriado móvel)          

Sechseläuten - terceira segunda-feira de abril          

Dia do Trabalho - 1º de maio

Ascensão de Cristo - junho (feriado móvel) 

Pentecostes - junho (feriado móvel)             

Data Nacional Suíça - 1º de Agosto 

Assunção de Nossa Senhora - 15 de agosto 

Knabenschiessen - segunda segunda-feira de setembro      

Véspera de Natal - a partir de meio-dia do dia 24 de dezembro     

Natal - 25 de dezembro        

Santo Estêvão - 26 de dezembro      

Véspera de Ano Novo - a partir de meio-dia do dia 31 de dezembro

Penalidades que destoam das leis brasileiras

A Constituição Federal brasileira de 1988 proíbe a pena de morte (em tempos de paz), prisão perpétua, banimento, trabalhos forçados e quaisquer outras penalidades consideradas cruéis. Nessa linha, o Brasil é membro do Protocolo da Convenção Americana de Direitos Humanos para a Abolição da Pena de Morte (ratificado em 13 de agosto de 1996).

No ordenamento jurídico interno de outros países, as penalidades previstas podem ser bem distintas daquelas permitidas no Brasil. Recorda-se  que cidadãos brasileiros em viagem ao exterior estarão sujeitos às leis do país em que se encontram, podendo ser condenados, inclusive, a penas proibidas no Brasil. 

Prisão perpétua

O ordenamento jurídico suíço não prevê tipificações penais para as quais se aplicam penas destoantes do ordenamento jurídico brasileiro, à exceção da prisão perpétua.

O Código Penal Suíço prevê a prisão perpétua para crimes específicos, a saber: homicídio com e sem premeditação; lesão corporal grave;estupro; roubo; coação sexual; sequestro; tomada de reféns; tráfico de seres humanos; genocídio; e crime contra o Direito Humanitário. Nesses casos, é necessário comprovar que o  infrator tinha intenção de causar dano, particularmente, grave à integridade física, psicológica ou sexual de outrem; que é alta a probabilidade de reincidência; e que seja descrito como "irrecuperável".

Há relatos de aplicações de penas de prisão perpétua nosúltimos anos, inclusive no caso de estrangeiros. Segundo o Office Fédéral de Statistiques, os estrangeiros corresponderam a cerca de 70% de todos os encarcerados na Suíça, no ano de 2013. De acordo com a mesma fonte, apenas 6% das condenações a penas privativas de liberdade, referiam-se a penas superiores a 18 meses.

Medidas de caráter terapêutico

As sanções na Suíça são divididas em penas e medidas coercitivas.

As penas podem ser restritivas da liberdade (reclusão e detenção), cumpridas em regime fechado, semi-aberto, diuturno ou de monitoramento eletrônico, ou de caráter pecuniário e de prestação de trabalhos comunitários.

As medidas coercitivas revestem-se de caráter terapêutico, podendo ser de internamento em instituições hospitalares ou de acompanhamento (tratamento de enfermidades psíquicas, vícios e com vistas à reinserção social e formação profissional para jovens entre 18 e 25 anos) e custódia.

Informações detalhadas são disponibilizadas, pelo Office Fédéral de la Justice, em:ion/smv-ch-f.pdfrchiv/verwahrung/initiative-f.pdfey/vollzug_von_sanktionen/strafvollzug.html

http://www.bfs.admin.ch/bfs/portal/fr/index/themen/19/03/05/k

https://www.bj.admin.ch/dam/data/bj/sicherheit/gesetzgebung/a

https://www.bj.admin.ch/dam/data/bj/sicherhei/smv/dokumentat

Informações adicionais

IMPORTANTE: A relação de fontes para leitura adicional é meramente indicativa. O Itamaraty não se responsabiliza pelo conteúdo do material indicado.

 

Suíça Singular - sítio com informações turísticas especificas para turistas brasileiros, inclusive com indicações de pacotes e roteiros (http://suicasingular.com.br)

Swissinfo - sítio eletrônico de noticia sobre a Suíça em dez línguas , inclusive o português , com temas diversos , inclusive sobre o relacionamento bilateral (http://www.swissinfo.ch/por)

Departamento Federal de Assuntos Estrangeiros - DFAE – sítio eletrônico com regras sobre vistos e demais informações oficiais, inclusive em língua portuguesa, e "links" para os Consulados suíços no Brasil ( http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/embbra/st0sao.html).

O DFAE mantém "Helpline" pelo telefone + 41 800 24 7 365, pelo fax + 41 (0) 31 322 78 66, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo sítio (http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/cgrio.html) . 

MySwitzerland - sítio Oficial do Turismo Suíço (http://www.myswitzerland.com/pt/inicio.html), com informações em também em português e em mais onze idiomas, além dos idiomas oficiais da Suíça ou informações específicas para turistas de cada país, como o Brasil.

SwissTravelSistem - informações sobre sistemas de transporte público na Suíça , inclusive com preços e tarifas reduzidas http://www.swisstravelsystem.com/pt/home.html.

Passaportes para museus - informações sobre tarifas e pacotes especiais para visitar os inúmeros museus da Confederação Suíça, em alemão, francês, italiano e inglês http://www.museumspass.ch/

Recomenda-se leitura da seção Guia de países para verificar se há mais informações sobre o destino escolhido.

Para informações sobre as relações diplomáticas do Brasil com a Suíça clique aqui.

Fim do conteúdo da página